10 dicas para ter filhos felizes (comprovadas cientificamente)

Acredito que eu e você temos um desejo em comum: a felicidade plena dos nossos filhos. Confesso que, em alguns dias, acredito que isso possa ser possível, mas em outros, fico com medo do que os pequenos possam enfrentar nesse mundo.

Porém, ao ler o texto 10 dicas para ter filhos felizes, da autora Alli Worthington, mãe de cinco meninos, percebi que existem coisas fáceis (e que podemos fazer ainda hoje) que vão tornar a infância e a vida adulta deles ainda melhor. Ah, e todas essas dicas têm confirmação científica de que só fazem o bem.

Então, hoje compartilho com vocês este texto. Ele é uma tradução livre publicada no site Babble.

criancas-felizes

Photo Credit: Alexander Glavtchev via Compfight cc

Você quer ter filhos felizes? Tente estas 10 dicas (comprovadas cientificamente)

Livre tradução de um texto de Alli Worthington

O que você quer para a vida dos seus filhos? Quer que eles tenham muito dinheiro? Que se tornem famosos? Que escrevam um grande romance?

Provavelmente não. Bem, com certeza, talvez… de forma abstrata.

Mas, na minha experiência, quando os pais são convidados a esta pergunta eles simplesmente têm uma resposta, “Eu quero que eles sejam felizes”.

Feliz.

Não seria ótimo se houvesse uma maneira de garantir isso? Claro que, como tudo na vida, não há garantias. Mas, como mãe de cinco meninos, eu tenho encontrado ao longo dos anos (por tentativa e erro) algumas táticas para trabalhar melhor a busca da felicidade das crianças. Agora eu tenho também evidências científicas para algumas delas!

10 dicas cientificamente comprovadas para ter filhos mais felizes (sério, pesquisas afirmam isso!)

  1. Tenha certeza de que eles tenham tempo de sobra para brincar

Claro, meus meninos praticam esportes, fazem o dever de casa e outras atividades extracurriculares. Mas eles são crianças, e eu tento me lembrar de que o dever deles é realmente brincar. Então eles têm tempo, todos os dias, com poucas exceções, para se dedicar a brincadeira.

“Um artigo recente, publicado no American Journal of Play relatou como o tempo das crianças brincarem diminui muito, assim como a falta de brincadeira afeta no desenvolvimento emocional, levando ao aumento da ansiedade, da depressão e de problemas de atenção e autocontrole. ‘Desde 1955… a brincadeira infantil livre tem diminuído pelo menos em parte, porque os adultos têm exercido cada vez mais controle sobre as atividades das crianças’, disse o autor Peter Gray, Ph.D., Professor de Psicologia (emérito) no Boston College. Gray define ‘brincadeira livre’ como uma brincadeira que a criança se comprometa a direcioná-la e terminá-la quando quiser, sem que seja uma atividade organizada”. (Saiba mais aqui).

  1. Elogie os esforços deles

Em toda brincadeira ou trabalho o Jack é (bom)… espere. Isso não irá tornar ele assim!

Quando meus meninos se esforçam para realizar uma atividade eu tento me lembrar de elogiar o trabalho que eles tiveram com aquela tarefa. Eu quero que eles aprendam que seus esforços são importantes, mesmo quando os resultados não são perfeitos.

“Nós achamos que nossos bebês são tão inteligentes, tão incríveis, tão bons. Mas, por favor”, dizem os pesquisadores da Universidade de Stanford, “não digam isso a eles”.

“É melhor se concentrar no esforço e na ação que os seus filhos estão fazendo, como: ‘Vocês trabalharam duro nisso’ ao invés de ‘você é tão bom nisso’”, disse o professor de psicologia de Stanford Carol S. Dweck. (Saiba mais aqui).

  1. Mantenha tradições

Jantares em família (ou cafés da manhã!), filmes pelo menos uma vez ao mês, decorações típicas todos os Natais ou comemorações especiais em aniversários… tudo isso passa segurança para a criança e segurança significa felicidade. É simples assim! (Saiba mais aqui)

  1. Deixe-os fazer suas próprias tarefas

Eu tenho uma amiga que sempre revisava as tarefas da filha mais velha e corrigia todos os erros. E também a ajuda nos trabalhos, fazendo com que tudo ficasse perfeito. Ela fazia isso por amor… mas, o que ela aprendeu é que sua filha não era capaz de completar suas tarefas sozinha quando chegou a época dela fazer isso. (Saiba mais aqui)

  1. Ensine seus filhos que emoções “negativas” são saudáveis

Ninguém gosta de ficar com raiva, ou triste, ou com medo. Estes sentimentos… bem, eles fazem as pessoas se sentirem mal. Mas eles fazem parte do ser humano, e aprender que eles são normais e podem acontecer é importante para as crianças. Uma ótima maneira de explicar isso para elas é quando você está vivendo uma dessas emoções, “Viu? A mãe pode ficar nervosa com as coisas, também! É apenas parte da vida!”

“Hoje em dia, os costumes populares são de que os pais ignorem a emoção”, diz o Dr. Gottman. “Ao invés disso, baseiam-se em teorias educacionais que levam em conta o mau comportamento infantil, mas esquecem de considerar os sentimentos por trás desse mau comportamento. O grande objetivo quando se cria uma criança não deveria ser simplesmente tê-la bem educada e comportada. Muitos dos pais esperam, muito, além disso, para seus filhos” (Saiba mais aqui)

  1. Deixe-os errar

Errar significa que você está tendo chances, e nós queremos que nossos filhos a tenham para viver a vida! Se eles não estão errando, eles não estão tentando coisas novas e nem descobrindo todas as coisas divertidas que a vida tem a oferecer. Então, quando eles estiverem tristes por errarem lembre-se do conselho número 5. (Saiba mais aqui).

  1. Não compare seus filhos entre eles… ou com os amigos

Pode ser tentador oferecer os outros como “exemplo”. Mas eu descobri que é quase sempre melhor resistir à tentação. É realmente difícil comparar sem criar rótulos… e as crianças só tendem a ouvir: “Ah, Sam é aquele bom de basquete, não eu” ou qualquer outro tipo de comparação que era para ser bem intencionada.

“É natural que os pais comparem seus filhos, para procurarem um ponto de referência sobre os suas atitudes e comportamentos”, dizem os especialistas. “Mas não deixe que o seu filho ouça você dizendo isso. As crianças se desenvolvem em seu próprio ritmo e têm o seu próprio temperamento e personalidade. Comparar o seu filho com outra pessoa dá a entender que você deseja que ele seja diferente”. (Saiba mais aqui)

  1. Crie memórias felizes

Sinceramente, esse é o meu objetivo real. Quero criar boas lembranças para os meus meninos. Talvez isso signifique fazer coisas engraçadas, inesperadas, planejar um tempo especial só com eles, etc. No final, um dia pode ter várias memórias. Torne-as felizes… isso pode literalmente transformar as crianças em adultos melhores. (Saiba mais aqui)

  1. Seja um pai feliz

Ah, sim. Esta dica. Muitas vezes é mais fácil falar do que fazer. Mas ser o modelo de felicidade para seus filhos é uma das melhores formas de encoraja-los a serem felizes. E é difícil para a criança ser feliz quando seus pais não o são. Assim, cuidar de si mesmo… como, você sabe, quando você está em um avião e a aeromoça diz para colocar a sua própria máscara de oxigênio primeiro para que você seja capaz de cuidar de seus filhos? A mesma coisa se aplica a felicidade.

“Carolyn Pape Cowan e Philip Cowan, marido e mulher, psicólogos da Universidade da Califórnia concluíram que é possível prever o quão bem as crianças vão ser emocionalmente, socialmente e academicamente. O segredo? Como os pais são. Isso é verdade, mas tanto faz se os pais estão juntos ou separados, o que importa são as horas que eles passam com os filhos, mesmo que sejam aqueles momentos depois do trabalho e ‘as crianças não ficam bem se os adultos não estiverem cuidando de si mesmo e de suas relações’”. (Saiba mais aqui)

  1. Não brigue ou tenha grandes discussões na frente deles

Passando por uma grande mudança? Está com problemas financeiros? Anda preocupada com a avó? Os ouvidos das crianças podem ouvir mais do que imaginamos, e as preocupações e incertezas podem fazer com que elas se sintam inseguras. Portanto, mantenha essas discussões em sigilo, para que as crianças possam ser crianças, passando assim pela infância.

“E ainda, os pesquisadores dizem, nem todo conflito é problemático para as crianças. Mas, se os pais criticam um ao outro ou são violentos um com o outro, ao invés de resolver seus problemas de forma construtiva, as crianças ficam terrivelmente incomodadas com o conflito. O segredo para manter o bem-estar da criança não é ter um casamento perfeito, sem conflitos”, dizem os autores do estudo. “Mas é ser capaz de controlar as emoções e resolver os problemas de uma forma que não ameace a estabilidade da família”, explicam eles. (Saiba mais aqui).

Tudo isso parece ser apenas uma apresentação? Sim, é difícil. Ninguém espera ser perfeito (e se for, é preciso se olhar no espelho)… todos nós cometemos erros. Mas, ter intervenções científicas é uma boa forma de nos ajudar nessa tarefa.

E quais as suas dicas para criar filhos felizes?

2 comentários

  1. Reginaldo

    Realmente, a felicidade de nossos pequenos depende muito mais de coisas simples do que de ganharem o celular da moda ou vestirem roupas das melhores marcas! Pena que muitos pais não se dão conta desse segredo tão simples: o segredo de crianças felizes é poderem contar com pais presentes!

  2. a mãe leoa

    A minha dica maior é estar perto dos filhos com um tempo saudável, com dedicação e participação ativa. Muito amor todo dia…minha maior dica!!! bjooo e parabéns querida, pelo seu trabalho…

Deixe seu comentário