Crianças tímidas – como lidar

Ele se esconde entre as suas pernas e fica mudo quando alguém lhe faz alguma pergunta? É, parece que o seu filho vem passando por aquela fase de timidez.

Na infância, a timidez é bastante comum entre 1 e 3 anos de idade, que é o período em que as crianças estão saindo mais de casa, conhecendo outras pessoas e vivendo situações novas.

Claro que algumas são mais quietinhas, envergonhadas e apegadas às pessoas conhecidas por natureza (e não adianta forçar que não dá para transformar todo mundo naquele filho falante e que gosta de ser o centro das atenções), só que quando elas ficam literalmente no cantinho e não interagem com ninguém, de jeito nenhum, devemos entrar em ação e “criar” algumas situações para que elas enfrentem melhorm essa fase.

crianca timida

Photo Credit: Kostya Kartavenka via Compfight cc

Para isso, separei algumas dicas super fáceis para ajudar a contornar/amenizar a timidez dos pequenos. Espero que vocês gostem!

  • Manter um ambiente familiar que estimule a criança a falar e a interagir com outras pessoas ajuda muito no desenvolvimento dos pequenos e assim, a barreira da timidez será bem menor;
  • Nada de ser uma mãe ou um pai superprotetor, daqueles que não deixam o filho com ninguém, nem brincar na casa dos amiguinhos. Essa proteção em excesso faz aumentar a timidez e a criança terá mais dificuldade em interagir;
  • Ah, não fique dizendo que o seu filho é tímido. Ele pode se sentir incomodado com esse rótulo e demorar ainda mais para se soltar. E se alguém vier e te dizer na frente dele “nossa, como ele tem vergonha, né?”, você pode simplesmente responder “não se preocupe, ele está se acostumando com as pessoas novas”;
  • Seja na escola, em uma festinha ou no playground do prédio, você pode, no começo, ir brincar com o seu filho. E depois, quando ele estiver mais à vontade com as outras crianças, você se afasta aos poucos;
  • Outra dica legal é chegar cedo a uma festa, por exemplo, assim ele se adapta ao lugar e se sinta mais solto quando outras pessoas chegarem;
  • Ah, não demostre frustração se ele não quiser participar da apresentação da escola ou preferir ficar com as crianças mais ao fundo, ok?;
  • Se ele tentou sozinho conversar com alguém ou brincar com um novo amiguinho, elogie essa atitude. Dessa maneira você cria mais confiança na criança;
  • A companhia de um irmão mais expansivo ou de um coleguinha falante também ajuda muito;
  • E não force a criança a nada. Cada pessoa tem o seu jeito e o seu tempo para se adaptar. Às vezes, ser mais quieto é uma característica da personalidade do seu filho. Mas se houver alguma interferência na fala ou no convício social procure orientação com um psicólogo.

Deixe seu comentário