Dicas para viajar com crianças para o exterior

Quem me acompanha no Snapchat (“macetesdemãe” é o perfil lá) e no Instagram (@macetesdemae) sabe que, há poucos dias, estivemos na Itália. Fomos para o casamento do meu cunhado, que casou com uma Italiana, e aproveitamos para fazer turismo por lá (porque o que não falta são coisas para ver na Itália).

Só que a grande dúvida, antes da viagem, era: como será ficar mais de duas semanas fora, em outro país, com outro fuso horário e outra língua, com duas crianças que nunca fizeram uma viagem tão longa e tão duradoura?

Confesso que eu tremia nas bases só de pensar nisso mas que, no fim, correu tudo super bem e foi ótimo! Claro que a viagem teve as suas intercorrências (tipo uma cabeçada que levei do Caê e fiquei toda a viagem com o olho roxo), claro que teve horas que os meninos tiveram ataques de birra, se jogaram no chão e deram um trabalhão, mas, no geral, a viagem foi ótima. Leo e Caê super entraram no clima, se adaptaram ao nosso ritmo e colaboraram muito mais do que eu esperava.

Mas enfim, feita essa introdução e dito que sim, dá para viajar com duas crianças para outro país e ainda ser feliz e aproveitar, vou agora dar algumas dicas para tornar a viagem mais tranquila. Coisas que aprendi na prática com essa super aventura que vai deixar saudade.

PS: Vou dar as dicas com relação à nossa experiência na Itália, mas a grande parte das coisas que eu sugiro aqui podem ser colocadas em prática em qualquer tipo de viagem para o exterior, ou seja, para qualquer país. Então, se você não está com planos de ir para a Itália, mas para outro país, esse post é para você também.

Dicas imperdíveis para viajar para o exterior com crianças:

img_6808

A gente em viagem pela Itália.

ANTES DA VIAGEM:

Fale com o pediatra: uma consulta antes com o pediatra é uma boa. Se você puder, leve o seu filho para uma consulta com o pediatra antes da viagem. Ele poderá avaliar o estado geral da criança e, também, indicar alguma coisa que você pode levar ou fazer para garantir uma viagem mais tranquila.

Contate o seguro de saúde: avise o seu seguro de saúde que vocês estarão no exterior e confira como funciona o atendimento do plano no país para o qual você está indo. É sempre importante, principalmente quando se tem crianças, ligar para o plano de saúde e checar como é o procedimento de atendimento médico quando se está no exterior. Muitos seguros emitem uma  espécie de “liberação” para o uso de serviços médicos no exterior e/ou passam um número de contato para uma emergência. Deixar para descobrir como as coisas funcionam, no meio de uma emergência, nunca é legal. É melhor já sair daqui sabendo como tudo funciona.

Prepare a criança: antes da viagem, converse com seu filho e explique para onde vocês estão indo e o que terá de legal para ele lá (mostre fotos também). As crianças não gostam de serem pegas de surpresa. Por isso, converse com seu filho antes da viagem, diga que vocês passarão um período fora, em outro país, que lá talvez ele não entenda o que as pessoas falam, que as coisas serão um pouco diferente, mas que ficará tudo bem. Fale sempre passando uma mensagem bastante positiva, do quanto aquilo será legal. Se seu filho costuma ficar ansioso com novidades ou mudanças e não lida muito bem com isso, deixe para prepará-lo para a aventura um pouco antes de viajar e não muito tempo antes. Depois, durante a viagem, final de cada dia, peça para o seu filho contar o que ele viu de legal, o que mais gostou. Isso ajuda-o a ver a experiência como algo bem positivo.

Organize a mala: leve uma mala única, grande para os 2 filhos. Principalmente se você tem um filho menor de 2 anos, que não paga passagem e não tem direito a bagagem própria. Na hora de organizar as coisas dentro da mala, faça o seguinte: De um lado, você coloca todas as coisas de um, do outro, as coisas do outro. Depois, faça montinhos de roupas bem organizados e seguindo sempre o mesmo padrão. Por exemplo: pilha de camisetas de manga longa ficam em cima da pilha de calças. Camisetas de manga curta ficam em cima de bermudas. E aí, quando você posicionar esses montinhos na mala, coloque os dos dois filhos na mesma posição, ou seja, do filho 1 fica no canto esquerdo de baixo, o do filho 2 também, no canto esquerdo de baixo (só que do meio da mala, porque você a dividiu, lembra?). Outra dica é levar saquinhos já com as mudas de roupa divididas por dia, contendo dentro tudo que a criança vai usar: calça, camiseta, casaco, meia, cueca. E levar, é claro, algumas peças extras para o caso de uma eventualidade (Caê, por exemplo, se sujava muiiiiito, principalmente comendo, aí acabei usando muuuuita roupa por lá). Ah, e outra dica aqui: no meio da viagem, dê um jeito de lavar as roupas já usadas. Isso garantirá que você vai ter roupas até o fim da sua aventura. Levar para 2 semanas, que foi o caso da nossa viagem, era impossível. Ia dar um volume enorme, então optamos por lavar no meio da viagem e foi ótimo. (PS: ainda farei um vídeo mostrando como eu organizo a mala dos meninos em viagens. Enquanto ele não sai, confira essas dicas aqui).

Confira também esses posts:

Leve medicamentos: farmacinha também vai na mala. Não esqueça de levar na sua mala uma farmacinha com os medicamentos básicos que seus filhos utilizam: medicamentos de uso contínuo, antitérmico, antialérgico (comprimido e pomada), remédio para enjôo, remédio para dor, pomada com antibiótico (para o caso de algum corte), água oxigenada. Leve também termômetro e curativo. Confira também: Itens de primeiros socorros que não podem faltar na mala.

Escolha um vôo noturno: escolha um vôo noturno, pois aí, a chance das crianças dormirem e você ter uma viagem mais tranquila é bem maior. Os meninos dormiram praticamente todo o vôo, tanto na ida quanto na volta (a gente viajou às 22:20, tanto na ida quanto na volta, e nessa hora eles estão sempre cansados, o que ajudou-os a pegar no sono mais fácil).

Leve em conta o fuso horário: quando escolher o destino da sua viagem, leve em conta a diferença de fuso horário e o quanto isso irá impactar na rotina das crianças. O que aconteceu conosco foi o seguinte. A Itália está 5h à frente do Brasil. Assim, quando aqui seria 8h da noite, lá já era 1h da manhã. Em função dessa diferença, na verdade, nós tivemos uma super sorte. Isso porque, às 8h da noite de lá (3h da tarde daqui) os meninos ainda não estavam com sono para ir para a cama. O sono ia bater mesmo lá por 23 ou 24h. Assim, eles passaram a ir dormir a essa hora e nos acompanhar em toda a programação noturna (sempre jantávamos em algum lugar e eles iam junto).

Pesquise sobre o leite em pó que seu filho toma: veja antes se o leite em pó do seu filho vende no lugar que você irá. Pois é, achei que iria encontrar lá na Itália o leite que o Caê e o Leo usam e que seria fácil de comprar. Pois não. Não achei nem a marca de leite do Leo e nem a do Caê. Moral da história: quando acabou o leite que eu levei, acabei tendo que oferecer para o Leo e para o Caê uma marca que o Leo costumava tomar antes desse que ele toma agora. Assim, Leo não estranhou e tomou de boa. Caê, como não é enjoado com sabores, também tomou. Mas se seu filho é chato para leite, é melhor você checar antes se a sua marca de leite vende no país para o qual você está indo. Ah, e, muitas vezes, vende sim, mas o nome é outro. Essa acho que é uma dica bem importante, de algo que você tem que verificar com antecedência para acabar não tendo um problemão.

Não deixe para comprar lá itens de primeira necessidade (já leve daqui): sabe aquelas coisas que você sabe que vai precisar logo, como leite em pó, fralda, lenço umedecido, escovinha e detergente para lavar a mamaderia? Pois bem, já leve essas coisas daqui, pois chegando lá você não irá querer perder tempo procurando onde comprar. Fralda, lenço e leite leve um estoque mínimo para os primeiros dias. Aí, depois, mais ambientada ao lugar, você irá achar mais fácil essas coisas para comprar. Já a escovinha e o detergente, leve daqui que vai durar a viagem inteira e você não irá se arrepender (eu não levei e aí fiquei uns 2 dias lavando as mamaderias só com água. Foi um nojo!).

DURANTE A VIAGEM (no vôo e no destino):

Vista as crianças com roupas confortáveis: quase desnecessário dizer, mas é sempre bom lembrar, né? Esqueça as calças jeans, os casacos grossos, etc… Opte por roupas de moletom. Alguns pais, nos vôos noturnos, preferem vestir a criança com pijama mesmo. Eu não acho prático, porque tem que colocar à noite tirar no dia seguinte (a não ser que seja bebê, aí ele não se importará de sair de pijama por aí. Mas, os mais velhos, não topam). O mesmo vale para os passeios no local do destino. Sempre peças confortáveis nos pequenos!

Leve passa-tempo: mesmo que você voe à noite as crianças durmam grande parte do tempo, leve alguns brinquedinhos pequenos que os pequenos curtam para entrete-los durante o vôo. Algumas dicas são: os brinquedos favoritos dos pequenos (e que não ocupem muito espaço. Por aqui levamos os cachorrinhos da Patrulha Canina), tablet, livrinho, papel e lápis para desenhar. Lembrando que, se você der o tablet ou o smartphone para seu filho brincar, deixe-o sem som ou no volume mínimo, para não atrapalhar os outros passageiros. Ah, as crianças também adoram assistir TV durante o vôo. Os vôos internacionais costumam ter uma TV individual por assento, o que ajuda muito. E passatempo durante os passeios também são bem vindos. Não esqueça de levar alguns na mochila com você.

Leve uma bolsa térmica separada com mamadeiras, leite e pequenas porções de lanchinhos saudáveis: nós fizemos isso e foi uma mão na roda. Eu levei uma bolsa térmica e dentro coloquei 3 mamadeiras do Caê, 3 mamadeiras do Leo, os potinhos com 3 doses de leite em pó em cada e, ainda, Snacks saudáveis (levei os da Best Berry, que são práticos, gostosos e saudáveis).  A minha dica é levar 3 mamadeiras para cada criança e potinhos de leite com 3 doses em cada. E, levar também um copinho de água, daqueles que não vazam quando virados. Essa dica é válida tanto para o vôo quanto para os passeios diários da viagem.

Em vez de levar uma bolsa do bebê, leve uma mochila: sim, nós transportávamos os itens de primeira necessidade dos meninos dentro de uma mochila e não de uma bolsa. Bem mais prático porque dá para carregar nas costas e deixar os braços livres. E o que eu sugiro levar dentro da mochila? Um casaquinho para cada criança, uma muda extra de roupa para cada criança (incluindo meias e cuecas), uma fralda de pano grande, que poderá fazer as vezes de toalha, um boné para cada criança, um tablet ou outro brinquedo que ajude a entreter na hora que os pequenos enjoarem do programa, itens de higiene (lencinho, fralda, pomada), curativos adesivos (vira e mexe terá um joelho machucado), chupeta (se a criança usar), protetor solar e repelente. Ah, e não esqueça de levar essa mochila como bagagem de mão, pois você poderá ter que utilizar essas coisas durante o vôo.

Leve companhia (e ajuda): a companhia de outras pessoas ajuda (e muito!): a nossa viagem foi de família. Foi, além de nós e os meninos, o avô, a avó, a tia, uma prima e a bisa. Assim, muita gente ajudou com os meninos e eu e o Otávio acabamos conseguindo aproveitar a viagem sem ficarmos exaustos. Virava e mexia os meninos queriam a atenção dos avós (que suuuuuuuper ajudaram) e aí a gente tinha uma folguinha. Foi ótimo! Assim, sugiro mesmo fazer uma viagem em família (se a sua for bacana) ou ir com amigos que curtam crianças ou tem filhos. Aí, um ajuda o outro.

Leve tudo que você puder para ajudar no transporte das crianças: o meu maior erro nessa viagem foi achar que Europa era EUA e que eu iria achar um carrinho guarda-chuva baratinho em cada esquina. Gente! Que caca que eu fiz! Não achei carrinho guarda-chuva fácil para comprar lá (eu teria que ir atrás de loja desse tipo de acessório e aí ia perder tempo, o que não quis fazer) e aí, acabamos tendo que carregar os meninos no colo boa parte do tempo (dividindo essa tarefa com os avós. Coitados!). Assim, leve na sua viagem um carrinho guarda-chuva (são os mais práticos. Eu tenho esse aqui, que não levei porque sou uma anta), leve canguro e leve sling se você tiver também. Ou peça emprestado para levar. Mesmo o Caê poderia ter sido carregado no sling boa parte do tempo. Teria sido bem mais fácil. PS: os carrinhos são despachados na hora que você entrar na aeronave (você entrega para algum comissário na porta do avião). Você tem o direito de levar um carrinho por criança e ele não conta como bagagem.

Relaxe no quesito rotina e alimentação: olha, não quero dizer aqui que você tem que começar a oferecer qualquer porcaria para o seu filho comer. Claro que o ideal é você seguir tendo uma alimentação saudável e balanceada com ele, mesmo em outro país, mas sabemos que nem sempre isso é possível. Assim, sempre que der para vocês fazerem uma refeição bacana, com alimentos saudáveis e naturais, faça isso. Mas, quando não der, tudo bem também. Ofereça coisas que os pequenos curtem e que você encontra fácil. Como na Itália a culinária é mais parecida com a nossa, nós não tivemos muito problema com a alimentação. Os meninos comeram muuuuuito macarrão, que eles adoram, e aí não morreram de fome. kkk! E na hora do lanche, eu optava por oferecer leite, que era prático, uma fruta (banana e maçã que é fácil de achar, de comer e eles adoram), biscoito, clara de ovo cozida (eles adoram e alimenta), nozes, castanhas ou passas (que é saudável e também alimentam) e, também, porcarias como batata frita e sorvete, porque, afinal, eles não iriam morrer de comer de comer uma vez ou outra isso. Sobre a rotina, também desencane. Deixe a criança dormir no carro, na hora que for. Deixe-a dormir mais tarde, para vocês aproveitarem programas noturnos, leve um carrinho que reclina, para ela também dormir em passeios e vá se virando nos 30.

Não queira fazer tudo, pois você irá se frustar: uma coisa importantíssima em viagem com crianças: não coloque na sua agenda mil atividades e mil lugares para visitar por dia. Visite menos coisas e aproveite essas coisas que você está visitando. Com crianças, você vai acabar saindo mais tarde do hotel, vai demorar mais tempo para se locomover de um lugar para outro, vai demorar mais para fazer uma refeição. Assim, relaxe. Veja o que der e aproveite muito o que você está visitando.

Leve sempre com você o seu passaporte e dos seus filhos e tenha também uma foto desse documento no seu celular: no exterior, não saia sem o seu passaporte e o das crianças. Isso é imprescindível. Mas, além disso, mantenha uma foto desse documento no seu celular, para o caso de uma emergência (você poderá perder ou alguém te roubar o documento). Confira, também, se o passaporte do seu filho tem informação de filiação (quem é o pai e a mãe). Alguns modelos mais antigos não tem essa informação e, aí, é necessário você levar também a certidão de nascimento da criança (onde consta a filiação).

Gente, sei que esse post ficou enorme. E acredito, inclusive, que logo mais vou voltar aqui para registrar outras dicas que eu esqueci. Mas eu não poderia deixar de dividir com vocês algumas coisas que aprendi com essa experiência tão gostosa, tão maravilhosa, que tivemos o prazer de viver com os meninos.

E a minha dica final é: viaje com seus filhos. Leve-os para conhecer novos lugares, novos hábitos, novas pessoas. Crianças se desenvolvem tanto quando vivem experiências como essa que qualquer trabalho que a gente venha a ter vale a pena. E vale muito!

 

 

 

16 comentários

  1. Daniella Souto

    Adorei a dica de tirar foto dos documentos. Eu tenho 2 meninas, de 4 e de 1 ano e 7, e iremos para o Nordeste em breve!

  2. Daniela

    A-do-rei o post! Nós também estamos planejando ir para Itália com a nossa baixinha. Você tem dicas de passeios por lá pra curtir com crianças?

    1. Shirley Hilgert

      Nós fizemos uma viagem mais para adultos e eles se adaptaram. Mas em Milão tem o Museu Dei Bambini que é muito legal: http://www.muba.it/

  3. Carla Vianna

    Oi adorei o seu post! Suas dicas são maravilhosas e claras.
    Eu vou a Disney em janeiro com q minha filha de 3 anos e meu marido, ela utiliza leite em pó, sabe me disser se posso levar a lata de leite na mala, ou se é proibido.
    Em relação à dicas de alimentação lá, vc teria alguma?
    Bjos

    1. Shirley Hilgert

      Acho que pode levar sim. Só cheque com a cia aérea. bjs

  4. Ana

    Não existe leite em pó no Canada, só fórmula… e leite longa vida é muito difícil de encontrar… Achei um semidesnatado e foi esse mesmo…

  5. Ana

    Olá! Gostaria de saber como você colocou as crianças para dormir no avião, especialmente a maior. Obrigada!

    1. Shirley Hilgert

      O maior tinha o assento dele e dormiu sobre o meu colo com os pés próximo ao pai. O mais novo dormiu no colo do pai. Abs.

  6. Janete

    Muito bom o seu post! Só discordo da opção de voo noturno, mas isso é muito pessoal. Eu não consigo dormir durante o voo, então o voo noturno recarrega as baterias da criança mas me deixam exausta no dia seguinte. Prefiro ter um trabalho extra durante o voo diurno e todos dormirmos ao chegarmos ao destino….
    Também acho que a cópia dos documentos devem ficar no hotel, já que o celular também corre risco de ser roubado.
    Eu acrescentaria algumas dicas: 1) contratar uma assistência de viagem; 2) fazer uma pulseira de identificaçao da criança com contato telefônico dos pais. Não custa nada prevenir, principalmente em lugares muito lotados (como os parques da Disney, por exemplo)! 3) colocar algumas peças de roupa da criança na mala dos pais (e vice-versa), pois caso haja extravio ou atraso das bagagens, dá para se virar nos primeiros dias com uma pequena reserva…

  7. Nossa! Port super completo! Adorei!
    Todas dicas úteis que certamente usarei na nossa próxima viagem!
    Nossa última viagem com o pequeno foi mais caótica que prazerosa e por isso escrevi esse texto (sobre 6 motivos para NÃO levar bebês para a Disneys): http://somelhora.com.br/index.php/2016/01/05/motivos-para-nao-levar-bebes-para-disney/

  8. Maria Carolina

    É super importante e obrigatório contratar um seguro viagem para ser utilizado no exterior. Acrescento, como dica, tentar em hotéis/apart que tenham cozinha no quarto. É a melhor coisa quando se viaja com criança pequena!! Assim, podemos improvisar umas comidinhas pro pequeno, além de facilitar na hora de lavar mamadeiras, copos e chupetas.

    Quanto ao leite, sou totalmente neurótica com isso! Levo uma lata na bolsa de mão e mais uma em cada mala. Pq, na falta de comida por qq motivo, pelo menos a criança não passa fome. Faço mamadeira, vitamina….

    E sem carrinho não dá! Mesmo!!

    1. Macetes de Mãe

      Obrigada pelas dicas, Maria Carolina!!
      Bjss

  9. Sou turismóloga e mãe, e achei o post excelente: dicas práticas e importantes, além de muito úteis, tenho certeza que as mamães vão aproveitar bastante!

  10. Juliana

    Vou viajar para o exterior com meu filho de 1 ano e 9 meses pela primeira vez agora em outubro e tenho uma dúvida cruel: levo um carrinho guarda-chuva mais prático, mas menos confortável (meu filho não costuma dormir nele) ou levo o carrinho oficial, que é um trambolho, mas super confortável para ele (o meu é o quinny buzz)?? O que me recomendam?

    1. Shirley Hilgert

      Leve o mais prático. Com certeza! bjs

    2. Leticia Zehnder Alves

      Juliana depois me conte do carrinho, que estou nesta dúvida cruel tbem. Vamos para EUA em novembro… E apesar de ser trambolhão ele é dobrável… Mas com certeza é muito maior que um tipo guarda chuva.

Deixe seu comentário