Gagueira – até quando é normal e quando há necessidade de procurar ajuda

Esses dias recebe um e-mail de uma leitora em que ela falava sobre gagueira. Ela explicou que a filha, que tem a mesma idade do Leo (pouco mais de 4 anos), tem apresentado dificuldade na fala. Bom, o Leo nunca deu nenhum sinal de gagueira, mas resolvi pesquisar sobre o assunto e descobri que muitas mães podem estar passando pela mesma situação dela.

Para começar, fique calma, que isso pode ser mais normal do que imaginamos. E então vamos entender um pouco mais sobre o assunto:

É, falar não é fácil!

Para falar a criança tem que aprender a transformar os pensamentos em sons. Então ela pode ter uma conversa cheia de “hums” e “hãs” ou tipo “ei, ei, ei mãe”, principalmente quando estiver cansada ou irritada. Esses pequenos “empecilhos” na fala podem aparecer entre os 2 e 4 anos, que é o período em que elas tentam frases maiores e mais elaboradas.

gagueira

Photo Credit: glezbetz via Compfight cc

Sobre a gagueira

Os sinais de gagueira são bem específicos, como prolongar o primeiro som da palavra, como “quero s-s-s-suco” ou quando a criança até abre a boca para dizer algo, mas o som não sai e dá para notar uma tensão na mandíbula e nas bochechas.

O que se sabe sobre o assunto

Na verdade, não existe uma explicação para a gagueira, mas o histórico familiar conta muito. Cerca de 60% das pessoas com gagueira tem algum parente gago também (mas o problema não é hereditário, ok).

Ah, os meninos são os que mais apresentam o problema: cada quatro meninos, uma menina será gaga. E elas também têm mais facilidade para se recuperar.

E só para reforçar, gagueira não tem nada a ver com inteligência ou sinais de problemas psicológicos. Claro que quando a criança fica nervosa ela tende a gaguejar mais, porémm isso não é a causa.

Então, o que fazer?

Espere um pouco e observe. Se o seu filho gaguejar quando estiver irritado ou aborrecido é considerado gagueira leve e ele sozinho vai se livrar do problema.

Como a gagueira pode ser “parte” do aprendizado da fala até os 3 anos ela pode ser “normal”. Mas se dentro de três a seis meses ela não passar marque uma consulta com um psicólogo ou um fonoaudiólogo (vale comentar com o pediatra também, especialmente se você já tiver uma consulta agendada). É interessante que o tratamento comece antes dos 4 anos, porque assim evita que a criança fique ansiosa ou tenha sentimento negativos ligados à comunicação.

Enquanto isso, em casa…

  • Se você perceber que se filho está com dificuldade para falar, continue olhando pra ele normalmente, com uma expressão calma, como se nada estivesse acontecendo. Se você demonstrar aflição ele pode fica ainda nervoso;
  • E como já ouvimos várias vezes a orientação de fonoaudiólogos e psicólogos, nunca complete a frase quando for à vez dele de dizer;
  • Quando conversar com o seu filho fale devagar, por que ao responder ele também vai manter esse ritmo e será mais fácil formar uma sentença;
  • Quando você estiver sem tempo para conversar (sabemos que às vezes isso acontece), explique que você não pode falar agora, mas que assim que der vocês conversam (senão ele vai começar a falar e você vai prestar atenção em outra coisa e não é legal).
  • A gente sabe também que ao cantar ninguém gagueja, então aproveite para arriscar umas canções com ele (isso aumenta a autoestima dos pequenos);
  • Ah e fale abertamente sobre essa dificuldade com ele, senão a criança nunca irá dizer algo sobre a gagueira, por achar que é um “assunto proibido”.

Deixe seu comentário