Seu filho está doente? Dicas práticas para facilitar as coisas  (para você e para ele)

O dia a dia de mãe não costuma ser fácil e, quando os filhos estão doentes, as coisas complicam mais ainda. Parece que a rotina vira de pernas para o ar, que tudo fica mais difícl (comer, dormir e até tomar os remédios) e que aquela fase ruim não vai passar nunca.

Sabendo que isso acontece – e não é nada raro, infelizmente – fiz esse post compartilhando alguns macetezinhos simples e práticos que descobri para facilitar a vida nos períodos em que os pequenos estão dodóis:

 

imagem-post-1-floratil

Photo Credit: hayleesherwood via Compfight cc

  • Ajude seu filho a descansar. Quando nossos pequenos estão doentinhos, uma das primeiras coisas que ficam prejudicadas é o sono. E aí, quando eles não descansam, as coisas se complicam mais ainda: eles demoram mais para melhorarem (o sono ajuda na cura), ficam mais irritados e nós também acabamos mais estressadas. Nesse caso, minha dica é fazer de tudo para ajudar a criança a dormir quando ela estiver demonstrando cansaço, nem que isso signifique andar horas de carro pela cidade (sim, eu já fiz isso e conto tudo aqui).
  • Facilite a vida do seu filho também na hora da alimentação. Normalmente, as crianças ficam doentinhas e param de comer. Ou, pelo menos, diminuem muito a quantidade de alimentos. Então, aqui a dica é oferecer os alimentos preferidos do seu filho, aqueles que eles aceitam melhor e poderão comer mais. Também ajuda você oferecer comidas mais pastosas, como sopas e cremes, frutinhas mais macias e alimentos com maior índice calórico (esses fornecem energia e ajudam na recuperação. Mas atenção, guloseimas ou comidas nada saudáveis não contam, hein! Nessa hora vale continua valendo a boa alimentação.
  • Ainda no quesito alimentação, outra dica é tentar manter a febre da criança baixa nos momentos que antecedem as refeições. Isso porque ela costuma tirar o apetite e aí, se seu filho estiver febril, não irá comer direito.
  • Mantenha a criança sempre muito bem hidratada. Isso é essencial para a recuperação. Fique atenta para oferecer líquidos, de preferência água, mais vezes ao dia.
  • Dê prioridade para oferecer medicamentos de fácil aceitação e fáceis de administrar. Criança não gosta de tomar remédio, e se ele for ruim ou difícil de engolir, aí mesmo que aquela briga estará comprada (aposto que você já viveu isso). Então, a dica é sempre pedir para o pediatra indicação de medicamentos que são mais fáceis de a criança tomar. Por exemplo: optar por medicamentos que não precisam ser administrados várias vezes ao dia (em vez de tomar de 6 em 6 horas, tomar de 12h em 12h), cujo gosto e a consistência seja mais aceitável (os mais docinhos ou sem sabor são os que funcionam melhor. Assim como aqueles cheio de grânulos ou muito viscosos são mais complicados), ou, ainda, oferecer medicamentos que podem ser administrado em formato de supositório (já tem vários tipos de medicamento nesse formato de apresentação).Mas MUITA ATENÇÃO: não é você que irá definir que medicamento dar. Converse com o pediatra da criança e peça uma indicação adequada, explicando para ele quais as dificuldades, limitações e preferências da criança.
  • De prioridade por oferecer medicamentos que fazem efeito mais rápido (desde que seguros e indicados pelo médico). Se a criança não está se sentindo bem, é importante tratar os sintomas quanto antes. Se sentindo melhor, a criança passará a se alimentar e descansar melhor também, o que super ajuda na recuperação.
  • E seguindo os conselhos que dou nesse post, uma ótima alternativa para tratar crianças com diarréia (um mal bastante comum entre os pequenos, em qualquer época do ano) é o probiótico Floratil®, que é de fácil aceitação (pó sabor tutti fruti, que pode ser administrado direto na boca ou misturado a líquidos e alimentos, ou cápsulas, que podem ser abertas e cujo conteúdo (pó sem sabor) também misturado a líquidos (inclusive leite) e alimentos. Além disso, Floratil® tem rápida ação, agindo contra a diarréia até 4 vezes mais rápido do que outros medicamentos (que podem levar até um dia para agir, o que acaba aumentando o risco de desidratação pela constante perda de líquidos através da diarréia).

Floratil® também pode ser administrado a partir do primeiro mês de vida, com total segurança (posso afirmar isso porque Leo consome Floratil® desde bebê. Por causa da APLV dele, ele tinha muita diarreia. E aí, para equilibrar a sua flora intestinal, o nosso pediatra sempre indicava Floratil® – que é o medicamento para diarreia mais indicado pelos médicos).

Converse com o seu pediatra e pergunte sobre Floratil®. Porque, apesar das dicas desse post serem muito úteis, elas não substituem a orientação de um médico.

FLORATIL®® É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA

Floratil®® (Saccharomyces boulardii-17 liofilizado) M.S 1.0089.0090. Floratil®® está indicado como auxiliar na restauração da flora intestinal e também como auxiliar no tratamento de diarreias de diferentes causas.

SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO. SAMM 6242/2016 setembro 2016

Mais informações sobre Floratil, acesse o site www.floratil.com.br

publi-incentivo

2 comentários

  1. Flavia

    Shirley e meninas
    Muito bom o post em relação às dicas para quando as crianças estão doentinhas. ..
    Só preciso fazer um alerta: floratil não é recomendado para quem tem APLV… Aplv tem que tomar outros probióticos pq esse não é limpo :/

    1. Shirley Hilgert

      Oi, Flavia, tudo bem? Muito obrigada pelo comentário! Levei essa observação para a marca Floratil e a médica, Dra. Renata Prioli, respondeu o seguinte: “Frequentemente lactose é encontrada como excipientes em probióticos. A lactose é um açúcar presente em produtos lácteos. Floratil possui menos de 35 mg de lactose, enquanto iogurtes comuns possuem até 7,4g de lactose por unidade*. Porém vale lembrar que pacientes alérgicos a um dos excipientes e/ou leite não devem utilizar o produto. *Referência: http://actapediatrica.spp.pt/article/viewFile/4414/3272).”
      Beijos!

Deixe seu comentário