Seu filho tomou vacina? Saiba o que fazer para aliviar as reações

Manter a carteirinha de vacinação dos nossos filhos em dia é sinônimo da prevenção de inúmeras infecções graves e até uma forma de evitar epidemias regionais.

Mas, apesar de serem desenvolvidas e testadas de forma bastante cautelosas, algumas vacinas podem causar reações desde simples a mais sérias (essas bastantes raras, ainda bem).

Bom, quanto aos sintomas característicos de uma reação à vacina, eles aparecem em até 48 horas após sua aplicação e podem durar de 2 a 3 dias.

É considerado “normal” a criança ter febre, sono excessivo, falta de apetite, dor e vermelhidão na aplicação, além de indisposição e irritabilidade. A boa notícia é que nem todas as crianças vão passar por isso (Leo e Caê, por exemplo, nunca tiveram nada! Ufa!).

Mas, será que dá para fazer alguma coisa?

De modo geral realmente não existe uma solução ou uma forma de prevenir esses desconfortos, porém existem algumas dicas para lidar com eles, sim.

A primeira é deixar seu filho bem relaxado na hora de receber a vacina, então o coloque no seu colo de uma forma que ele fique à vontade. Depois, se vier o choro é hora de paparicar os pequenos. Se o seu filho ainda se alimentar pelo leite materno dar o peito é uma boa forma de acalma-lo.

Quanto àqueles sintomas que descrevi acima, eles também podem ser amenizados.

O vermelhidão, o inchaço e a dor no local são comuns em até 3 dias. Nesse período aplique gelo, enrolado em uma fralda, por 15 minutos, por até três vezes ao dia. Mas lembre-se, deve ser gelo ou água gelada, nada de colocar água morna, pois ela piora o sintoma.

Como a criança fica um pouco amuada devido ao mal-estar deixe-as dormir bastante (esse período de sono excessivo pode durar até três dias também).

Após a vacina prefira dar alimentos mais leves, como sopas de legumes e frutas e dê pequenas quantidades de leite, mesmo que tenha que alimentar seu filho mais vezes do que de costume.

Se houver febre altere alguns banhos e mantenha seu filho bem hidratado, porém, se mesmo assim a febre não passar é preciso consultar um pediatra. Algumas crianças precisam tomar antitérmicos ou até mesmo analgésicos.

Ah, vale lembrar que a vacina BCG, aquela que imuniza contra a tuberculose, tem uma reação característica, que é uma bolinha vermelha que depois evolui para uma pequena ferida que dura dias ou até semanas. Quanto a essa reação ela realmente é a esperada em toda criança.

Situação menos esperadas, porém mais graves

Apesar de serem bem raras (para nosso alívio) é importante conhecer as reações mais sérias. Então vamos a principal que é o chamado choque anafilático. Geralmente essa reação surge bem rápida, em até 30 minutos depois de a criança ter tomar a vacina. Neste caso, ela irá sentir coceira e devem surgir bolinhas na pele, além disso, a criança tem dificuldade em respirar, porque o pescoço fica inchado e pode vir acompanhada de vômito. Essa reação é bastante grave e o bebê precisa ser levado o quanto antes ao hospital.

Cuidados especiais em criança alérgica

Também vale destacar os bebês que têm alergia a certos compostos da vacina. Afinal, você já deve ter ouvido falar de pessoas que tiveram reações quando tomaram a vacina Influenza, isso porque elas eram alergias a proteína do ovo.

Neste caso, o pediatra vai te passar a recomendação do que fazer, lembrando que se a criança for alergia a proteína do ovo, esse composto está em vacinas como a Influenza, febre amarela e tríplice viral que previne contra sarampo, rubéola e caxumba.

Os bebês com alergia a gelatina também podem passar por desconfortos com as vacinas da Influenza, raiva, varicela, tríplice viral e tríplice bacteriana, que é contra difteria, tétano e coqueluche.

Só por questão de curiosidade, nessas situações específicas, pode existir a possibilidade de o médico proibir a criança de tomar a vacina ou indicar que a aplicação seja feita de forma fracionada.

Deixe seu comentário