7 Dicas práticas para ajudar mães que não sabem exatamente o que fazer da vida depois da chegada dos filhos

Muitas vezes, depois que temos filhos, nos sentimos perdidas. Sim, essa é a verdade! O bebê chega e, um pouco antes de acabar a licença maternidade, começamos a nos questionar: O que fazer agora? Volto a trabalhar? Deixo a carreira para lá e viro mãe em tempo integral? Arranjo algo para trabalhar em casa e ter mais flexibilidade? O que, afinal, eu quero mesmo para mim? Para minha família?

Bom, não fui diferente de vocês. Quando eu engravidei do Leo estava cumprindo aviso prévio e optei por sair mesmo da empresa que estava para ter uma gravidez mais tranquila. Mas depois que o Leo chegou, conforme os meses foram passando, eu passei a me questionar sobre o que eu iria fazer da vida. Se iria voltar a trabalhar fora, se iria empreender, se iria virar mãe em tempo integral…

Bom, para minha imensa sorte, na minha vida, as coisas meio que se encaminharam sozinhas e o Macetes de Mãe virou o meu trabalho. Mas não é para toda mãe que isso acontece (digamos que isso é beeeeem raro!). Ou seja, não é para todo mundo que as coisas se ajeitam naturalmente e que a resposta do que fazer da vida simplesmente cai diante dos olhos.

E aí, para tentar ajudar tantas mães que vivem esses dilemas, é que foi escrito o post de hoje. Nele, a Coaching especialista em Pós-maternidade, Ligia Folquitto, dá algumas dicas bem práticas que nos ajudarão a responder essas e tantas outras dúvidas que surgem depois da chegada dos filhos.

Não deixem de ler. As dicas são muito bacanas e eu tenho certeza que irão ajudar muita gente.

coaching-pos-maternidade

Photo Credit: Paul of Congleton Flickr via Compfight cc

7 Dicas práticas para ajudar mães que não sabem exatamente o que fazer da vida depois da chegada dos filhos

Por Lígia Folquitto, Coach especialista em Pós-maternidade

Nós, mulheres modernas, vivemos grandes dilemas na maternidade. Sofremos pressões constantes e, muitas vezes, nos sentimos sozinhas nessa empreitada, nos questionando se estamos fazendo escolhas assertivas para a nossa vida.

A maternidade é um desafio! Desafio do que é ser mulher na atualidade e nossos diferentes papéis. Estamos sempre divididas entre questões de trabalho e família, e transitamos entre o desejo e a realização de ser mãe, ao mesmo tempo em que vivemos um “turbilhão” de questionamentos, pensamentos, julgamentos e conflitos internos.

No inicio tudo parece tão complicado que questionamos se um dia voltaremos a “ter vida normal”. Que difícil passar por toda essa transformação! A alegria de tornar-se mãe é algo surreal, e talvez por isso ninguém fale aos quatro ventos que muitas transformações irão acontecer e que tudo vai passar!

Mas e agora? Com a maternidade tudo mudou e já não somos mais a mesma pessoa. Temos outras prioridades, outras vontades…outra vida! A grande sacada é identificar qual é o seu papel em cada fase da vida e que sim, eles vão mudar. Somos únicas e cada uma de nós possui uma vida, uma realidade.

Então, se você se tornou mãe e está perdida com todas as transformações que a maternidade lhe trouxe, deixo aqui algumas dicas que podem te auxiliar neste período:

Dica 1: Faça uma lista de todos os papéis que você exerce hoje: mãe, esposa, profissional, filha…e questione cada um deles.  O que eu quero ser como mãe? Quero levar e buscar meu filho na escola, deixa-lo com a babá ou quero ficar o tempo integral com ele? O que eu quero ser como profissional? Quero voltar ao trabalho, buscar algo mais flexível, virar  empreendedora ou simplesmente não trabalhar? O que eu espero como esposa? Filha? Amiga?

Dica 2: Não tente se basear na vida de outras mulheres. Não é porque a fulana voltou ao trabalho que você precisa fazê-lo também. E o inverso a mesma coisa. Pense e reflita na sua vida, na sua realidade e nas suas escolhas!

Dica 3: Determine suas prioridades para o momento. Pense em todos os âmbitos possíveis pessoais e profissionais. Destaque o que você realmente quer, gosta e sentirá feliz. Talvez você descubra que quer continuar sendo uma excelente profissional, porém neste momento gostaria de dedicar um pouco mais ao bebê ou prefere dedicar ao profissional neste momento, para no futuro poder ter mais tempo e recursos para seu filho.

Dica 4: Faça um exercício de perdas e ganhos para cada item lançado na lista e coloque-os numa balança. O que você ganha com isso? O que você perde com isso? Qual é mais interessante no seu ponto de vista? Como posso encaixa-lo na minha nova rotina?

Dica 5: Aceite suas escolhas sem culpas, pois você avaliou e identificou que nesta fase este é o melhor que pode ser feito.

Dica 6: Tente evitar aquilo que lhe faz mal e te deixa confusa. Se existe uma pessoa que te fala coisas desagradáveis ou que simplesmente não estão de acordo com os seus pensamentos e valores, evite por um período. Quando tiver passado por esta fase, verá que tirará de letra esta situação e isso não mais a incomodará.

Dica 7: E se mesmo assim você seguir em dúvida, procure um(a) coach, de preferência especialista em pós-maternidade, para lhe ajudar. Através de uma metodologia e ferramentas, o processo de coaching faz com que você tenha insights, ideias, pensamentos e ações, que a auxilie a conciliar e alcançar tudo o que deseja!

Afinal, não há certo ou errado, não há melhor ou pior, o que existe são escolhas e cada um tem as suas!

Por Ligia Folquitto, Professional Life Coach na Coach2U, formada pela IAC (International Association of Coaching) e SLAC. – Membro da Sociedade Latino Americana de Coaching – Especialista em Coaching pós-maternidade. O Coaching pós-maternidade ajuda a recente mamãe ou a mamãe mais experiente a entender qual seu momento, o seu propósito, quais são suas prioridades e o que ela quer, exclusivamente pra ela, seu bebê e sua família! Traz autoconhecimento e entendimento, que o que funciona para outra pessoa, talvez não funcione pra vida dela, pois somos únicas! Email: contato@coach2u.com.br – Site: www.coach2u.com.br

 

1 comentário

  1. Vanessa

    Muito boa a matéria! O item 5 foi o que mais “pegou” pra mim, “Aceitar minhas escolhas sem culpas”! Foi bem difícil!

Deixe seu comentário