Afta em crianças – como tratar

Se a gripe foi tão forte que baixou a imunidade do seu filho, fique atenta, que outro problema pode surgir: são as aftas. Em nós, adultos, essas feridinhas já incomodam, em crianças então, não gosto nem de imaginar!

As aftas estão relacionadas à estomatite, que na maioria das vezes aparecem por causa do vírus do herpes simples ou dos vírus da família Coxsackie especialmente quando a imunidade está baixa.

Fique de olho nela!

As aftas podem ser pequenas ou grandes e em comum elas têm a aparência, que é amarelada no centro e avermelhada por fora.

Photo Credit: chefranden Flickr via Compfight cc

Elas surgem na língua, no céu ou lá no fundo da boca, no interior da bochecha, na gengiva ou até mesmo na garganta.

O problema dura de dez a 15 dias (Senhor! Que eternidade!) e até o sétimo dia é considerado o período de maior desconforto.

A estomatite, que resulta na afta, é mais comum na primeira infância, principalmente quando o bebê deixa de se alimentar com o leite materno, mas a maior incidência das aftas fica entre 2 e 5 anos (Leo já teve estomatite. Confira o que eu falei sobre o problema aqui)

Por causa dessas feridinhas é comum à criança ficar irritada, não querer comer, sentir dor de cabeça, ter mau hálito, dificuldade para dormir, ínguas no pescoço e até febre.

A boa notícia é que o problema desaparece sem deixar sinais e não é motivo para muita preocupação.

Mas, se você perceber que a febre é constante e que o seu filho realmente não consegue comer é importante levar ao pediatra para que ele receite uma pomada e até um analgésico.

E quais dicas caseiras realmente dão certo?

Como não existe nenhum tratamento específico para o problema dá para adotar algumas medidas simples, em casa mesmo, para que a criança não sofra tanto com as aftas até elas sumirem. Vamos lá:

– Ofereça bastante líquido para o seu filho, pode ser água, sucos naturais (como de maçã) ou vitaminas de frutas;

– Ainda sobre os líquidos, evite somente as bebidas ácidas (como suco de limão e de laranja), pois elas pioram a dor;

– Nesta fase, dê preferência aos alimentos frios e sem temperos, como gelatina, sopa fria, purê de batata ou mandioquinha, iogurte, etc;

– Se por causa das aftas estiver difícil fazer a escovação, limpe a boca da criança com uma gaze ou algodão umedecido em água fria ou em soro fisiológico.

Sobre a prevenção

Não existem evidências de que dá para prevenir 100% a criança do problema. Porém, é importante adotar algumas medidas, como lavar sempre as mãos, manter os objetos que as crianças levam a boca bem higienizados (lave sempre com água e sabão neutro). E nada de dividir talheres nem com os pais e nem com os amiguinhos.

Mas, se seu filho já teve o problema é comum a reincidência dele, já que o vírus fica no corpo pela vida toda. Então, se caiu à imunidade as aftas irão aparecer, mas em sintomas mais brandos, conforme o avanço da idade.

E vale lembrar que aftas e sapinho são infecções diferentes. A primeira, como vimos, é causada por um vírus, já o sapinho é resultado da infecção por um fungo que deixa pontos brancos em qualquer região da boca.

1 comentário

  1. Sarah

    Olá. Na realidade a afta ou ulceração aftosa recorrente é uma desordem autoimune não especifica não relacionada a vírus. Muitos adultos também tem quando ocorre alguma alteração de imunidade, trauma, etc.
    Já as lesões pelo vírus da herpes também são úlceras mas não aftosas e muitas vezes chamamos esse primeiro contato de GEHA ou gengiva estomatite herpética aguda.
    Já o sapinho ou candidíase aguda pseudomembranosa está associada ao fungo da candida.

    Espero que tenha contribuído de alguma forma.

Deixe seu comentário