Amor de mãe para filho – nem sempre ele é à primeira vista

No conversa de mãe de hoje, lá no Canal Macetes de Mãe, eu vou falar sobre um tema sugerido por uma leitora, a Neila Mara Fonseca.

A Neila pediu que eu comentasse um pouco sobre o “amor que nasce aos poucos”. Ou seja, sobre aquele sentimento que muitas mães tem de não amar o bebê de cara, não ter aquele amor arrebatador assim que o bebê chega ao mundo (e que outras tem), mas ir descobrindo e construindo o amor aos poucos.

Achei a sugestão super interessante e ela está no conversa de mãe de hoje.

Assistam e não deixem de fazer os seus comentários lá no vídeo. Contem como foi com vocês: amor à primeira vista ou aquele que se construiu aos poucos, com a convivência e o passar dos dias.

Você curtiu esse vídeo? Então inscreva-se no nosso Canal para ficar por dentro das novas publicações e atualizações. Todas as Terças, às 11h, vai ao ar um Conversa de Mãe ou um vídeo de DIY (faça você mesma). E às Quintas, também às 11h, você confere os vídeos de “Macetes e Dicas”, Receitas e Review de Produtos.

Créditos do vídeo:

 

5 comentários

  1. Aline

    Foi o meu caso. Quando vi minha filha acho q o sentimento predominante foi a preocupação. Qdo cheguei em casa com ela fiquei desesperada…não muito tempo depois já a amava mais que tudo e já queria ter outro filho pois sentia que tinha nascido para ser mãe. Rsrs

    1. Shirley Hilgert

      Uma pena as pessoas não falarem mais sobre isso né? Aí a gente se sentiria menos estranha. bjs

    2. Luana

      Nossa Aline, mim senti exatamente assim, depois de uma semana, que mim conscientizei que era meu e era pra vida toda!….Hoje comento isso com outras pessoas, outras mães, mim olham com olhar atravessado.Muito bom abordar este assunto.

    3. Iara

      Eu me identifiquei totalmente!

  2. Eu concordo plenamente que amor de mãe não é à primeira vista. Já escrevi sobre isso no meu blog (incluindo uma poesia própria):
    http://somelhora.com.br/index.php/2015/10/15/terceiro-mes-amor-nao-primeira-vista/

Deixe seu comentário