Saiba como cuidar de queimadura infantil

Criança e queimadura é uma dupla que não combina, mas que infelizmente ouvimos falar dela com bastante frequência. O assunto é tão sério que, não sei se vocês sabem, mas segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria a queimadura é a quarta causa de morte infantil em todo o país.

Por isso, no post de hoje, resolvi falar um pouco sobre o que causa a queimadura, quais os graus dela, quando é preciso levar a criança ao médico e principalmente o que NÃO fazer quando seu filho se queimar. Vamos conferir?!

queimadura-infantil

Photo Credit: Phil Dragash Flickr via Compfight cc

O inimigo (quase sempre) está dentro de casa

Sim, a maioria das queimaduras acontece em nossos lares mesmo, especialmente na cozinha e na lavandeira. Bom, as crianças podem se queimar com alimentos ou bebidas quentes derramadas sobre elas ou com o contato direto com o fogo ou uma superfície quente, como o fogão, forno ou ferro de passar roupa.

Mas, nossos filhos também podem se queimar com produtos químicos, corrente elétrica, radiação e até plantas e animais, neste caso a queimadura comum é com água-viva, na praia.

Quando é preciso levar ao médico?

Essa é uma dúvida frequente, afinal uma queimadura infantil é muito mais grave do que se acontecer em nós, adultos. Para ter uma noção, uma criança com 10% do corpo queimado já significa um quadro grave.

Mas, antes de sair “desesperada” para o hospital, saiba identificar o tipo de queimadura, pois elas são divididas em três graus:

– Queimadura de primeiro grau – essa é a queimadura mais “leve” (se assim pudermos dizer). Ela danifica a camada mais externa da pele, geralmente deixe o local vermelho e com um leve inchaço. A critério de comparação, esse tipo de queimadura é muito parecida com a quando exageramos ao tomar sol. O bom é que ela raramente deixa cicatriz e também não é necessário levar a criança ao hospital, desde que o local queimado seja pequeno e não haja nenhum sintoma acompanhado.

– Queimadura de segundo grau – essa já é bem mais dolorida e vem seguida de inchaço, bolhas ou desprendimento da pele. Se essa queimadura for maior que uma bolinha de pingue-pongue é importante consultar o pediatra. A recuperação, nesse caso, leva semanas e infelizmente pode deixar cicatriz ou mancha na pele.

– Queimadura de terceiro grau – apesar de ser a mais grave, a dor não é tanta, pois os nervos, que transmitem a sensação de desconforto também são afetados. A pele pode ficar branca ou cinzenta e com lesões. O pediatra deve ser consultado o quanto antes.

Sendo assim, a criança deve ir ao hospital em queimaduras de segundo e terceiro graus, especialmente se o local afetado for o rosto, mãos e órgãos genitais.

Em situação de choque elétrico também leve imediatamente seu filho ao médico, assim como quando houver sinais de infecção que gera piora da dor, com inchaço, vermelhidão, saída de líquido ou pus, febre e mau cheiro no local afetado.

Sobre os cuidados hospitalares, geralmente em queimaduras de terceiro grau é normal a criança ter de ficar internada para troca de curativos, manter a hidratação corporal e evitar infecção, ok?

 

O que fazer e o que NÃO fazer em casa

O cuidado imediato é só um e deve ser o de lavar o local queimado com água fria e corrente por 10 a 15 minutos, que é o tempo ideal para diminuir a temperatura do local (ah, não coloque gelo ou água gelada, eles vão queimar ainda mais a pele). Depois de lavar a região, cubra a queimadura com uma gaze até levar a criança ao hospital (se for o caso).

Porém, o que acho mais importante neste assunto é o que não devemos fazer, isso mesmo, o excesso de “receitas milagrosas” neste caso, só tende a piorar a situação.

Sendo assim, não toque a queimadura com as mãos, pois a chance de infecção é muito grande; jamais fure as bolhas (caso elas apareçam); se algum tecido ou corpo estranho grudar na pele não tire em casa, deixe que o médico faça isso; e o alerta geral fica para nunca colocar manteiga, pó de café, creme dental ou qualquer coisa do tipo, pois esses agentes só aumentam as chances de infecções e terão que ser tirados depois (ou seja, mais dor).

Para tratar a queimadura é normal ter de passar creme, pomada ou dar analgésico para a criança, mas só faça isso com orientação do pediatra.

Como mães, sempre queremos ver nossos filhos bem, mas adotar qualquer medida por conta própria, nesta situação, só vai piorar o quadro.

Deixe seu comentário