Brincadeiras que ajudam as crianças a desenvolver a linguagem

No início de outubro, participei de um evento bem bacana no qual a Sheila Leal, fonoaudióloga especializada em crianças, fez ótimas colocações sobre o desenvolvimento infantil, principalmente da linguagem.

Logo após a sua apresentação no evento, tive a chance de conversar pessoalmente com ela e acabamos desenvolvendo melhor esse assunto. Comentei com ela que, por aqui, as coisas são bem diferentes entre os irmãos: Leo falou muito cedo, com pouco mais de 8 meses, e Caê, com quase 2 anos, ainda fala pouco.

E não é que o assunto rendeu? Papo vai, papo vem, acabei convidando a Sheila para escrever sobre o assunto desenvolvimento da linguagem aqui para o blog e, também, compartilhar com as leitoras (e comigo também, é claro) algumas dicas que ajudam nossos pequenos no processo de desenvolvimento da linguagem.

Não deixem de conferir. O texto está bem bacana, informativo e útil.

desenvolvimento-da-linguagem

Photo Credit: Titom1000rr Flickr via Compfight cc

Brincadeiras ajudam as crianças a desenvolver todos os aspectos que envolvem a linguagem  

Por Sheila Leal, especialista em desenvolvimento infantil, porta-voz do Projeto Filhos Brilhantes

Muitos pais creditam apenas à escola a responsabilidade de fazer com que seus filhos desenvolvam a linguagem (fala e escrita). Porém, gosto sempre de alertar que essa responsabilidade também é dos responsáveis pelas crianças. Os pais precisam entender sobre o desenvolvimento infantil e participar ativamente desse processo, sem deixar essa questão apenas com os professores.

Uma forma de os pais participarem do processo de desenvolvimento das crianças é através de brincadeiras que podem ajudar a desenvolver áreas específicas do desenvolvimento infantil. Existem algumas brincadeiras e atividades que estimulam as crianças e fazem com que elas desenvolvam alguma característica com maior facilidade. Em mais de 15 anos atendendo famílias em meu consultório, percebi que os pais que brincam de contar histórias, cantam músicas e estimulam os filhos a fazerem coisas além do que as crianças vivenciam na escola agregam muito mais ao desenvolvimento.

As etapas do desenvolvimento

Assim que nascem, as crianças já possuem formas rudimentares de comunicação, mas o principal é que logo ao nascer as crianças já começam a entender o mundo ao seu redor. Pouco tempo depois, quando elas aprendem a apontar para os objetos, os bebês começam a pedir pelas coisas. Aos poucos, quando ele começar a emitir os primeiros sons, os pais devem estimulá-los falando o nome dos objetos para que eles já se familiarizem com a infinidade de coisas às quais eles serão expostos.

É importante conhecer todas as etapas de desenvolvimento das crianças:

  • Os primeiros 12 meses vão garantir a noção do próprio corpo e da fala, sendo fundamental comemorar sempre que a criança emite algum som;
  • O período de 1 a 2 anos vai dar à criança a capacidade de emitir sons mais específicos e simples, como “ta”, “da”, “ca” e “ba”, sendo que ao final deste período os sons de “s”, “v” e o anasalado do “nh” também começam a ser ditos. Porém, já é esperado que ao fim desse período que a criança já elabore frases simples e tenha uma fala inteligível. Ainda com erros de pronúncia, mas bastante clara;
  • Dos 2 aos 3 anos surgem os sons de “ti”, “di” e “ch”, e dos 3 aos 4 os pequenos começam a emitir os sons de “rr”, “lh”, além de começarem a falar frases com uso de plurais, participando de diálogos e sendo capaz de criar e recontar histórias com começo, meio e fim;
  • Até os 4 anos e meio a criança já deve ter desenvolvido todos os sons da língua e estar falando com certa fluência;
  • Aos 5 anos, os pequenos já devem mostrar domínio dos encontros consonantais, falando sílabas como “pra” e “tra”, já falando com clareza palavras como “prato”, “trator”, entre outras.

Brincadeiras que ajudam

Os pais precisam estar junto e perceber o quanto os filhos estão avançando dentro do processo de desenvolvimento da linguagem e podem fazer brincadeiras simples que podem auxiliar. Primeiro, as crianças precisam se adaptar aos sons, para que possam reproduzi-los. Indico que, seguindo cada etapa do desenvolvimento que expliquei acima, os pais devem falar palavras que contenham os sons de cada uma das fases, observando se eles são repetidos pela criança. Por exemplo: com um ano, os pais podem falar palavras mais simples como “casa”, “papai”, “mamãe”, “amor”. Aos três anos, palavras como “chaveiro”, “chuva”, “arroz”, “banho”. E assim por diante, aumentando a dificuldade das palavras conforme a criança for crescendo.

Após os cinco anos, as crianças já devem possuir algum repertório de palavras e é aí que os pais devem começar a explorar cada vez mais essa questão. Eles podem brincar de falar palavras que comecem com determinada sílaba e para ver se o filho se lembra das palavras que já conhece. Também é legal que as crianças ajudem em tarefas do cotidiano, como fazer a lista do supermercado. Mesmo que seja só para escrever a letra inicial do produto, ou algumas palavras com erros, é importante que a criança tente.

Outras brincadeiras muito legais e que estimulam linguagem são: adivinhação, contação de histórias e rimas. Descreva um animal para a criança e peça para que ela adivinhe. Depois inverta. Peça para que ela descreva para que você adivinhe. Comece contando historinhas e peça para a criança continuar. Procure encontrar palavras que formem rimas como nas poesias. O importante é que os pais participem de forma natural da diversão dos pequenos, evitando o excesso de brinquedos eletrônicos, que pode atrasar o desenvolvimento da linguagem.

Alerta

Durante cada brincadeira realizada, os pais precisam observar se os filhos possuem alguma dificuldade persistente. E se alguma coisa chamar a atenção, não se desespere! Procure ajuda de um profissional capacitado, um fonoaudiólogo, um psicopedagogo para que auxilie a descobrir o que se passa. Não existe nenhuma regra para o desenvolvimento, apenas características gerais observadas em cada etapa. O que não significa que uma criança está com algum problema sério se estiver em atraso em alguma das fases. Cada caso é um caso e por isso é extremamente importante que os pais estejam presentes e possam ser os primeiros a identificar qualquer coisa.

img_5348

Eu, Leo e a Sheila Leal em evento de Mega Blocks.

1 comentário

  1. Kyara

    Show o artigo , sou mãe de um príncipe de 3 meses e pra mim é tudo muito novo , pois sou mãe de primeira viajem , mais pra mim foi muito esclarecedor as informações são de muita importância .

Deixe seu comentário