Como escolher um animal de estimação para as crianças

Já ouvi dizer que vai chegar o dia em que os meninos vão me pedir um bichinho de estimação e na verdade vão insistir tanto, mas tanto, que vou acabar cedendo (será?).

Se essa realidade já está acontecendo na sua casa e a decisão da família foi de realmente ter um novo integrante, o post de hoje poderá te ajudar.

Confesso que já pensando sobre o assunto, pesquisei qual bichinho seria interessante para os meninos, considerando o temperamento deles e do animalzinho.

Mas, antes mesmo de escolher entre gato, cachorro ou qualquer outra espécie, devemos refletir sobre algumas situações. A primeira dela é a idade da criança. Um bichinho, seja ele de qualquer natureza, contribui para o desenvolvimento emocional, sócio afetivo e sensorial, mas para isso, o seu filho precisa estar “preparado”. Se você ainda não tiver um animal de estimação, o ideal é esperar a criança completar 4 ou 5 anos. Com essa idade ela já consegue assumir algumas responsabilidades para ajudar na criação (caso contrário o bichinho será como que mais um filho, ou seja, uma tarefa só dos pais).

animal-de-estimacao-para-criancas

Photo Credit: ongushi Flickr via Compfight cc

Depois, temos que pensar na rotina da família e no ambiente: tem espaço na casa? O animal irá ficar muito sozinho? O bichinho irá interagir com as crianças do jeito que elas estão imaginando? Tudo isso deve ser considerado.

Agora, falando propriamente deles, nosso ranking de animais favoritos parece ainda ser liderado pelos cachorros. Na maioria das vezes por que eles são sociáveis, dóceis e convivem muito bem com diferentes tipos de pessoas. Além do que, a criança pode apertar e brincar com um cão sem machuca-lo.

As raças preferidas, de cães grandes, são: labrador, Golden retriever, boxer, border collie, dálmata e pastor-alemão. O bom desses cães é que eles têm expectativa de vida de mais de 20 anos.

Mas, se você preferir uma raça um pouco menor, pela falta de espaço em casa, talvez uma boa opção seja o maltês, shitzu, beagle e Ihasa apso. Só lembre-se: cachorro não gosta de ficar muito tempo sozinho e ele precisa de atenção com alimentação, banho e passeio.

Já com uma personalidade diferente, mas também carinhosos estão os gatos. Eles já suportam ficar mais tempo longe dos donos. Os persas, siamês e vira-latas são boas raças e vivem até 20 anos. Só tem um detalhe: a criança precisa entender que quando ele não estiver afim de brincar ficará em um lugar isolado sem querer conversa. Só que se o seu filho for alérgico talvez o gato realmente não seja a melhor escolha.

Outra opção que as crianças adoram são os coelhos, hamster e gerbil, conhecido como esquilo da Mongólia. Eles são dóceis, podem viver soltos ou presos e convivem bem com ambientes pequenos. Os coelhos vivem em média de 5 a 10 anos, o que é interessante. Já os hamster e gerbil por até 4 anos. Vale lembrar que os hamster têm hábitos noturnos. No geral esses bichinhos precisam de cuidado para não serem abraços demais nas brincadeiras, pois são bem mais frágeis.

Tem criança que se encanta ainda por peixinhos, eles praticamente não dão trabalho nenhum e também estimulam a responsabilidade. Os cuidados ficam em questão de alimentação e limpeza do aquário. As espécies mais indicadas são kinguio e Beta, que é o famoso peixe solitário.

Quanto às aves, a calopsita e o periquito australiano chamam a atenção dos pequenos, elas podem ser compradas sem autorização do Ibama e tem expectativa de vida de 12 a 15 anos. O contato físico, neste caso deve ser sempre supervisionado por um adulto.

É, parece que opções não faltam, agora é só avaliar a rotina da casa e as características de cada criança.

Se você já tem um esses bichinhos, compartilhe aqui no blog a sua experiência, assim outras mães também poderão aproveitar as dicas.

3 comentários

  1. Por aqui nós tínhamos uma cachorrinha antes da chegada do filhote.
    Fizemos uma boa adaptação quando o bebê chegou e hoje eles são grandes amigos!
    Conto um pouco dessa amizade aqui:
    http://somelhora.com.br/index.php/2016/10/18/bebes-e-cachorros-adaptacao/

  2. Samanta

    Nao se deve ter um animal simplesmente porque a criança pediu, animais não são brinquedos! Os pais devem realmente querer e gostar, pois se a criança “enjoar “, o animal não pode ser descartado como um objeto. E se a decisão for de ter um bichinho, não compre, ADOTE, vidas não devem ser comercializadas!!

  3. Luciana

    Ótimo post. Meus filhos tem um aquário. Eles amam cuidar dos peixinhos.
    Limpando nosso aquário – https://youtu.be/JLct6qpAyK0

Deixe seu comentário