Crianças: as doenças de verão mais comuns (sintomas e como prevenir)

Estou para fazer esse post desde o início do verão, mas com a correria das férias escolares ele está  ficando pronto só agora. Nele, eu trago uma listinha com os oito problemas/doenças que mais costumam incomodar as crianças nessa época do ano. Confira quais são eles, quais os sintomas e como evitar. Também vale a pena compartilhar a informação com as amigas.

Photo Credit: 藍川芥 aikawake Flickr via Compfight cc

Diarreia e vômito

Ela está no topo da lista. A gastroenterite é uma infecção do sistema gastrointestinal adquirida ao ingerir alimentos mal lavados ou água contaminada.

  • Sintoma – a criança apresenta um quadro de diarreia, cólicas intestinas e vômito. É preciso tomar cuidado quanto à questão da desidratação.
  • Prevenção – como no período de férias comemos mais vezes fora de casa é preciso cuidado ao comprar alimentos e bebidas de lugares desconhecidos. A água para beber deve ser sempre potável, seja mineral, filtrada ou fervida e prefira comidas mais leves e saladas e frutas bem lavadas. A atenção deve ser redobrada com frituras, ainda mais quando vendidas na beira da praia, o melhor é evitar.

Impetigo

O impetigo é uma infecção causada pelo desequilíbrio de bactérias na pele. Ela acontece a partir da contaminação de um ferimento pré-existente como picadas de inseto, assaduras ou cortes (Leo teve impetigo devido a assadura).

  • Sintomas – a criança apresenta pontos, pequenas manchas vermelhas ou bolhas na pele com pus, que depois formam uma casca amarela, sem dor, mas que pode coçar.
  • Prevenção – a higiene pessoal, a limpeza de ferimento e a proteção contra picadas de inseto ajudam a prevenir a contaminação à bactéria. 

Insolação

Vale reforçar, todos os anos, que a exposição solar e a baixa ingestão de líquidos é um perigoso para saúde, ainda mais das crianças.

  • Sintomas – a pele vermelha é só um dos sinais do problema. Elas ainda podem sentir mal estar, dor de cabeça, náusea e tontura.
  • Prevenção – leve a criança na piscina, praia ou playground antes das 10h ou depois das 16h, horários em que o sol fica um pouco mais fraco. Mesmo assim, ofereça bastante líquido durante a brincadeira e não deixe que ela fique exposta diretamente aos raios solares. Para os bebês maiores de seis meses abuse do protetor solar infantil.

Conjuntivite

A conjuntivite viral tem picos de contaminação no inverno e também no verão e aconteceu por uma inflamação na membrana transparente que cobre a parte branca do olho e dentro da pálpebra.

  • Sintomas – o olho fica vermelho, lacrimejando, queima, coça, pode ter secreção, doer e a criança fica com aquela sensação de “areia” nos olhos.
  • Prevenção – a principal forma de contágio da conjuntivite é por meio de vírus ou corpos estranhos levados pelas mãos ao coçar o olho. É importante sempre manter as mãos da criança limpas e explicar que não pode passar a mão no olho toda hora.

Otite

Depois do resfriado a otite é uma das doenças que certamente o seu filho terá. Quando a criança fica muito tempo em contato com a água, no mar ou na piscina ela aumenta as chances de pegar fungos ou bactérias que afetam o ouvido.

  • Sintomas – febre, dor ( eles ficam muito irritados quando vamos mexer na orelhinha), secreção ou cheiro ruim no ouvido, perda de apetite, mudança no padrão de sono e pode acontecer até de ter diarreia e vômito.
  • Prevenção – coloque touca ou protetores de ouvido quando os pequenos forem nadar, seque bem o ouvido deles quando sair da água e tenha cautela ao limpar o ouvido, seja com hastes flexíveis ou na hora do banho. O cerume é importante para proteger o ouvido.

Dengue

O verão é a época do ano em que aumentam os casos de dengue. A doença é transmitida pela picada do famoso mosquito contaminado Aedes aegypti.

  • Sintomas – febre alta repentina, dor de cabeça, ao redor dos olhos, nos músculos e articulações. A criança pode ter diarreia, desconforto abdominal, enjoo, perder o apetite e apresentar manchas vermelhas na pele.
  • Prevenção – o primeiro cuidado é não deixar água parada em casa para evitar o foco da dengue. Quanto aos mosquitos, use telas no berço ou nas janelas para impedir sua ação. O uso de repelente infantil também é importante.

Brotoeja

Devido ao calor e ao excesso de suor os bebês podem ter erupções cutâneas (Leo sempre teve muita brotoeja. Caê tem menos, mas também tem).

  • Sintomas – as áreas que formam “dobrinhas” ficam vermelhas, como pescoço, debaixo dos braços e onde há contato com a fralda.
  • Prevenção – coloque roupas frescas nas crianças e de preferência as de algodão. Evite banhos quentes e lugares abafados.

Micose

A micose é uma infecção causada por fungos e tem relação com o excesso de umidade da pele.

  • Sintomas – é comum o surgimento de manchas esbranquiçadas, acastanhados ou vermelhas e que descamam.
  • Prevenção – evite que os pequenos fiquem de roupas molhadas. Caso depois de sair da piscina eles queiram brincar coloque uma roupa seca, mesmo que depois eles entrem novamente na água.

Se mesmo com essas ações de prevenção o seu filho ter um dos sintomas acima converse com o pediatra. Com o tratamento correto as crianças saram rapidinho e ainda conseguem aproveitar o melhor do verão.

Deixe seu comentário