Dicas de Viagem – Amsterdã (e arredores) com as crianças

Em setembro do ano passado fizemos uma viagem muito bacana com as crianças (e mais várias outras pessoas da família) para a Itália. Pois bem, essa experiência me mostrou que viajar para destinos “de adulto” com crianças pode ser uma boa pedida sim. Por isso, vou buscar compartilhar com vocês, aqui, experiências de outras mães que passaram pelo mesmo. Que fizeram viagens maravilhosas com crianças mesmo para locais não considerados os mais atrativos para o público infantil. Tudo para incentivar esse hábito tão bacana, saudável e importante: viajar com os nossos pequenos, mostrar para eles novas culturas, hábitos e costumes, ensiná-los sobre diversidade, coragem e aventura.

E, nessa pegada “viagem com crianças”, trago hoje o relato e as dicas da Fernanda Braz, autora dos livros Vovô já foi para Barcelona e Vovô já foi para Paris. No seu texto, ela fala sobre viajar para a Europa com crianças.

Confira! Vale a pena. O texto está superbacana e útil.

Dicas de Viagem – Destino Europa com as crianças

Por Fernanda Braz

Por muito tempo acreditei que Europa era destino de adultos e não conseguia imaginar meus filhos felizes visitando museus… só que o Velho Mundo é muito mais que museus. Minha experiência mostra que Europa é destino para crianças sim. A primeira coisa é reduzir a ansiedade e entender que a viagem terá outro ritmo e pode ter imprevistos. O importante é equilibrar diversão, passeios, cultura, descanso e principalmente reservar tempo para brincar.

A vantagem é que tudo é muito perto, mas não caia na tentação de querer conhecer a Europa toda em 15 dias. Portanto, dedique pelo menos de 4 a 5 dias em cada cidade para fazer tudo com calma e poder ajustar a programação no caso de uma dor de barriga, febre ou simplesmente cansaço.

As dicas são de uma cidade que muitos não imaginam levar os filhos, mas acredite: Amsterdã é um destino que as crianças adoram.  Não se prenda ao que ouviu em relação ao bairro da luz vermelha porque a Holanda tem um lado encantador perfeito para os pequenos. Não se assuste com o trânsito de bicicletas, desprenda-se dos padrões que está acostumado e mostre para seus filhos que muitas pessoas têm um modo de vida diferente do que estamos acostumados.

O que tem de bacana em Amsterdã, além do passeio pelos canais e muita diversão no Vondelpark:

  • Museu Van Gogh – veja os autorretratos, encontre o quadro dos Girassóis e dos Comedores de Batatas.
  • Museu Rijksmuseum – faça um caça ao tesouro e encontre o quadro Ronda Noturna de Rembrandt.
  • Casa de Anne Frank – chame atenção deles para a passagem secreta e se possível assista ou leia o Diário de Anne Frank antes de viajar.
  • Casa de Rembrandt – surpreenda-se ao ver que a cama da cozinheira fica na cozinha e que naquela época as pessoas dormiam sentadas.

As dicas são de quem já esteve em Amsterdã com os filhos e que retrato com detalhes no livro “Vovô já foi para Amsterdã”, um dos próximos lançamentos da Coleção Vovô Conhece o Mundo.

Museu Van Gogh

Reserve um dia para conhecer Haia. Lembra do Maurício de Nassau nas aulas de história? Além da referência que você pode fazer a invasão holandesa ao Brasil, a casa de Mauricio de Nassau, Mauritshuis,virou um museu muito bacana.

Procure o quadro A Moça do Brinco de Pérola, do renomado pintor Johannes Vermeer. Esse quadro é considerado a Mona Lisa dos holandeses. Se você gosta de cinema, assista o filme lançado em 2004, com a atriz Scarlett Johansson, que conta a história dessa belíssima obra.

O Museu fica perto da estação de trem e todos podem ir caminhando. Depois do passeio em família, pegue um trenzinho (VLT) e passe o dia em Madurodam. Um parque que mostra a Holanda em miniatura e é diversão na certa.

Parque Madurodam

Parque Madurodam

Outra escapada que vale a pena é ir de trem a Zaanze Schans para conhecer moinhos. Visite o moinho de sementes, assista o filme que mostra o funcionamento do moinho e cuidado com o rato! Eles vão adorar! A cidade tem cheiro de chocolate por causa da fábrica que fica próxima à estação.

Viagem nunca é custo, e sim investimento. Contudo, se o orçamento estiver apertado, lembre-se que o livro é um incentivo à cultura, pois, além de nos transportar para lugares incríveis, marcam os primeiros carimbos no passaporte da vida.

Boa viagem!

 

Deixe seu comentário