Você sabe mesmo como deve ser o banho de sol dos bebês (tão indicado pelos pediatras)?

Ah, o sol! Desde a época de nossas avós a recomendação dos pediatras é unânime: criança precisa tomar banho de sol todos os dias! Mas, será que existe uma regra ou um jeito certo para tomar esse banho de sol? Essa é a dúvida de uma leitora do blog, que me escreveu há algum tempo e desde já agradeço o carinho e a sugestão (que foi muito bem-vinda, especialmente nessa fase do ano).

Então, no post de hoje, falo sobre esse assunto (que saibam vocês: é cercado de polêmica).

Photo Credit: maxguitare1 Flickr via Compfight cc

A relação do sol com a vitamina D

A vitamina D é famosa por ser essencial para a formação e manutenção da saúde óssea. A ingestão de alguns alimentos e até mesmo do leite materno têm essa vitamina, mas a fonte principal é mesmo o sol. Além disso, o banho de sol é uma forma de prevenir o amarelão, uma disfunção do organismo do bebê que produz em excesso a bilirrubina, substância que deixa a pele amarela.

Pediatras X dermatologistas

É aqui que gira a polêmica. A maioria dos pediatras sempre orienta as mães sobre a importância do bebê tomar sol, já os dermatologistas são totalmente contra essa indicação (claro que a opinião varia muito de especialista para especialista, mas estou colocando um relato do que mais noto conversando com outras mães).

A Sociedade Brasileira de Dermatologia até lançou em 2013 um Consenso Brasileiro de Fotoproteção, no qual NÃO aconselha o bebê menor de 6 meses a tomar sol. E depois dessa idade a recomendação é ficar exposto ao sol somente com o uso do protetor solar superior a 30.

Mas, e agora?

Como dica, acredito que vale uma conversa com o pediatra do seu filho, sobre a necessidade e a frequência do sol para ele.

Quanto ao banho de sol existem sim alguns cuidados para melhor aproveitar essa exposição. Separei as principais orientações abaixo para vocês:

  • o recém-nascido precisa ficar exposto ao sol apenas de 5 a 10 minutos por dia;
  • o banho de sol deve ser antes das 10h ou depois das 16h, período em que os raios ultravioletas são menores;
  • em bebês com menos de seis meses o uso do protetor solar está proibido por causa do risco de alergia;
  • colocar o bebê para tomar sol atrás de um vidro/janela vai barrar boa parte dos raios solares, então o melhor é o contato direto mesmo (essa é uma dúvida que a maioria as mães tem);
  • porém, se o tempo esfriou aí sim a opção através do vidro é melhor do que nada;
  • coloque roupas leves na criança. Braços e perninhas devem estar de fora, para que o corpo consiga absorver a quantidade de vitamina necessária;
  • crianças com mais de 3 anos podem ficar mais tempo no sol, mas nada além de 30 minutos e, neste caso, use o filtro solar ideal para a idade delas.

Bom, espero que esse post ajude a esclarecer algumas dúvidas que eu sei que muitas mães tem. E como citei acima, no caso de dúvidas, converse sempre com o pediatra do seu filho.

 

1 comentário

  1. Larissa

    Muito bom o post. Apenas uma “crítica”. Na verdade o sol não é a fonte de vitamina D. Nós ingerimos a vitamina D em uma forma inativa e os raios solares convertem esta forma inativa em forma ativa. É isso que ocorre :-)

Deixe seu comentário