7 dicas simples para lidar com filhos desobedientes

De repente, aquele bebê que você cuidou com tanto carinho cresce um pouco e começa a ter comportamentos que nem nos seus piores pesadelos você poderia imaginar Sei porque estou vivendo exatamente isso por aqui. Caê, que sempre foi uma criança calma, tranquila e bem humorada, está geniosa, birrenta e desafiadora. Meu pequeno se recusa a se vestir, arranca o tênis e a meia e só quer ficar descalço, sempre quer o brinquedo que o irmão mais velho escolheu, briga na hora de comer, dá chilique quando ouve um não e por aí vai.

Isso começou a acontecer quando ele chegou próximo dos dois anos, ou seja, a famosa fase dos Terrible Two, da qual já falei algumas vezes (aqui, aqui), e como já passei por isso com o Leo, sei que não há necessidade de arrancar os próximos cabelos e nem de se achar a pior mãe do mundo. O que precisamos, mesmo, é manter o auto-controle e virar o jogo e, para isso, trago hoje algumas dicas. 

Photo Credit: FotoGrazio Flickr via Compfight cc

Em primeiro lugar, é importante saber que não há uma causa única que leva uma criança a começar a ter atitudes de desobediência. Os motivos podem ser os mais variados, como buscar chamar a atenção dos pais por sentir ciúmes do irmão, a chegada a uma fase em que ela tem mais desejos, vontades e anseios mas não tem condições de resolver essas questões sozinha e aí se frustra (bem característico da fase de 2 anos, que estamos passando) ou até mesmo um problema de baixa auto-estima da criança (entre outros).

1. Fortalecer o vínculo afetivo: talvez a principal dica para lidar com essa situação que, nem de longe, é fácil, é os pais buscarem fortalecer, cada vez mais, o vínculo afetivo com a criança. A criança precisa de demonstração de carinho, de um tempo para “conversar”com os pais (mesmo que eles ainda não saibam falar muito) e também de um momento de brincadeira em família. A criança também deve se sentir valorizada na casa, tendo o seu espaço na mesa e o seu espaço no sofá da sala, por exemplo. Desta forma, ela se sente segura, fazendo parte da rotina e do ambiente da família.

2. Criar regras e explicá-las: A segunda dica é criar regras e garantir que a criança as compreenda. Lembre-se que as crianças estão em processo de formação, elas não sabem o que é certo ou não, então precisam sim de regras e disciplina. Mas não é só impor. O certo é explicar o porquê de cada coisa, o porque daquela regra, daquele limite, daquele não. A criança entende muito mais do que a gente imagina.

3. Dar ordens claras: A terceira dica, apesar de parecer óbvia, muitas vezes não é colocada em prática ou é colocada de forma errônea. Aqui, a orientação é dar ordens claras às crianças, usando palavras que ela entenda e falando sempre olhando nos olhos, de preferência agachada à altura da criança. Ao pedir algo, espere um pouco e, caso ela não tenha feito ainda, pergunte o porquê ainda não o fez e se preciso vá com ela (até que ela entenda que aquilo deve ser cumprido). Quanto às chances de erro que comentei, elas acontecem quando pedimos algo à criança e, antes mesmo que ela tenha ido fazer ou tenha terminado, acabamos por pedir outra coisa. Isso gera uma confusão na cabeça dos pequenos e aumenta a chance deles não atenderem a um pedido futuro.

4. Respirar fundo e não voltar atrás: Porém, se mesmo com esses cuidados o seu filho agir com desobediência, respire (se preciso respire novamente). Nem sempre o objetivo deles é afrontar o adulto, mas, às vezes, é sentir uma satisfação momentânea. Então, fique calma, e diga com firmeza o que ele fez de errado e por que deveria ter feito o certo. E o mais importante, não volte atrás na regra.

5. Não perder o controle: Dependendo do local onde a desobediência aconteceu, como em um local público, a orientação é nunca falar alto, expondo a criança. O ideal é chamar a atenção, sendo firme, e ressaltar que em casa vocês terminam de conversar (e não se esqueça de fazer isso mesmo). E, para evitar o choro ou alguma cena desagradável, tente desviar a atenção da criança.

Leia também:

6. Focar no problema que está acontecendo naquele momento: No diálogo com o seu filho, foque no problema que aconteceu naquele dia. Nada de dizer coisas passadas ou que afetem a autoestima.

7. Reforçar atitudes positivas: E, por falar em autoestima, reforçar as atitudes positivas da criança e elogiar sempre que ela fizer algo que você pediu pode também evitar algumas cenas de desobediência.

Deixe seu comentário