Cadeirinha para a bicicleta: como escolher

Para quem me segue no Instagram já deve ter visto algumas fotos minha com os meninos e meu marido, andando de bike por São Paulo. Ou então me visto saindo com eles para um passeio no Insta Stories ou no Snapchat. Adoro esse programa! É bom por que a gente pratica um esporte ao ar livre e o Leo e o Caê também se divertem e criam uma afeição à atividade física (além de ser de graça e não poluir o meio ambiente!).  

Se você também está pensando em sair por aí pedalando com o seu filho, o que super-recomendo, é preciso se atentar há alguns itens, como o assento para ele e os acessórios de segurança. Então, hoje separei dicas sobre como consegui incrementar a bicicleta para carregar os meninos.

A primeira coisa é saber se o seu filho está preparado para o passeio. O recomendado é que ele tenha 1 ano de idade ou que consiga se sentar sozinho e manter o corpo estável. Tudo isso considerando um pesinho extra que é do capacete.

Sobre a bicicleta, caso você já tenha uma, leve-a na hora de comprar a cadeirinha (super indico!) ou anote o modelo ou tire uma foto, pois nem todo tipo comporta o novo acessório. As cadeirinhas frontais normalmente se encaixam bem em bicicletas de passeios, desde que sejam mais robustas e com espaço que caiba o assento entre o banco e o guidão. Dependendo do modelo da cadeirinha traseira, será preciso uma bike com bagageiro. Mas também há modelos que se acoplam direitinho à bicicletas sem bagageiro, o que é o caso da minha. Então, para não ter erro, leve a bicicleta e faça o teste na loja, até por que quem vai pedalar também deve se sentir seguro com o acessório, pois será o responsável pela criança.

Até aí parece ser uma compra fácil, porém, não é. Sobre as cadeirinhas (o momento de maior dúvida) existem dezenas de modelo no mercado e a escolha por um deles depende da altura, peso e idade da criança. Acho mais interessante comprar em loja especializada de bike do que em hipermercados ou lojas de brinquedos, devido a maior possibilidade de opções e também a uma melhor orientação por parte dos vendedores. 

A cadeirinha frontal ou dianteira é indicada quando a criança é pequena e precisa de atenção por mais tempo. Como quando compramos as nossas bicicletas e cadeirinhas o Caê já tinha mais de 1 ano e era bem firmesinho, optamos por já comprar direto o modelo que se usa na traseira da bicicleta. Mas tenho amigas que, mesmo o filho já tendo 2 anos, seguem usando o modelo dianteiro, só que aí não fica tão confortável assim para quem dirige e também já está no limite do tamanho da criança para a migração para o modelo traseiro (porque fica difícil dirigir com uma criança maior na frente). O legal da cadeirinha dianteira é que, com ela, dá para conversar, interagir e ficar de olho no filho durante o percurso.

Outro detalhe: para crianças pequenas, é interessante ter um suporte que elas possam ficar segurando com as mãos. Só que esse modelo só existe nas cadeirinhas dianteiras.  Com essa cadeirinha também é mais fácil parar e tirar a criança do assento. O ponto negativo é que você precisará se esforçar mais para pedalar (devido ao peso ficar só na parte da frente). Então, cuidado caso tenha algum problema no joelho e não exagere no trajeto! Geralmente, essa cadeirinha suporta uma criança de até 15 kg.

Modelo de cadeirinha frontal, com suporte para as mãos (para segurar), cinto de 3 pontos e presilha para pés. Esse modelo, justamente por ficar na frente, não em encosto para o pescoço.

 

Outro modelo de cadeirinha dianteira. Aqui, o que muda é o suporte para mãos.

Como eu disse, para os meninos eu comprei direto o modelo de cadeirinha traseira.  O bom dela é que a criança estará protegida de insetos, poeira e tudo que vier à frente (já que nós funcionamos como uma proteção). Só há de se ter cuidado ao descer da bike, pois o peso continua na parte de trás e na hora que a gente sai ela pode desequilibrar e cair caso não esteja bem firme.

Ainda, esse tipo de cadeirinha aguenta uma criança de 22 a 30 kg, dependendo da marca. Se o modelo tiver suporte para os pés é melhor, assim não existe o risco de enroscar o sapato ou o pé no aro da bike (não quero nem imaginar!).

No modelo mesmo que escolhi para os meninos eu observei se havia esse suporte para os pés e também se havia encosto para o pescoço, pois acho importante, já que garante um maior conforto para a criança e também maior segurança (com o suporte para os pés evita da criança ficar balançando a perninha e acabar batendo na roda e o encosto para o pescoço também dá mais conforto e estabilidade no caso de um “solavanco”). Outro detalhe quanto ao suporte para os pés é se ele tem regulagem. Isso é importante porque, conforme a criança cresce, o suporte deve ser baixado para garantir que a criança siga cabendo nela (e não fique com os joelhos dobrados).

Se atente também se o assento tem cinto de segurança. Jamais compre um sem o acessório (que salva vidas)! É comum, especialmente quando a criança está muito cansada, acabar dormindo ao andar de bike (já aconteceu umas três vezes com o Caê. Juro!) e aí o cinto a mantém no lugar, sem o perigo de tombar para frente ou para os lados). Tem cadeirinha com cinto de dois ou três pontos. Mas aqui a dica é: quanto menor a criança, melhor ter mais segurança, então opte por modelos de três pontos (as nossas são).

Modelo de cadeirinha traseira. Veja que ela é mais alta atrás, ou seja, tem encosto para o pescoço. Ainda, ela tem cinto de três pontos e suporte para os pés, regulável.

Outro modelo similar ao acima. Esse é o que temos por aqui. Ele tem todos os pontos importantes (cinto 3 pontos; suporte pés com presilha, regulável; encosto para cabeça) e, ainda, tem um dispositivo de engate e desengate rápido, que ajuda na hora de tirar e botar na bicicleta. Esse modelo é indicado para bicicletas que não possuem bagageiro.

Outro detalhe que acho que super vale a pena analisar: se a cadeirinha tem sistema de engate e desengate fácil. Isso porque, algumas vezes você poderá optar por andar de bicicleta sem carregar o filho e, aí, se for complicado tirar a botar a cadeirinha, você acaba desistindo. O modelo que escolhemos tem isso  é uma mão na roda. Eu coloco e tiro sozinha em segundos.

Então, reforçando: a cadeirinha deve ter cinto, encosto para a cabeça e suporte para os pés, com presilha (Leo nunca usou a presilha, mas Caê sim, quando era menorzinho. Agora não usa mais.), assim as crianças ficam seguras e confortáveis (foram as escolhas que fiz).

Outro acessório que precisa ser adquirido é o capacete. Ele deve ter um bom encaixe e um ajuste apropriado conforme o tamanho de cada criança, por isso, ao comprá-lo, leve a criança junto e vá em lojas especializadas em bicicletas e acessórios para bicicletas pois, aí, os vendedores podem passar orientações adequadas (super indico fazer isso. Nós fizemos e posso dizer que aprendi muita coisa conversando com ótimos vendedores).

A última é dica é sobre o percurso. Prefira parques ou lugares planos, sem muitos buracos ou movimentos de carro. Depois desses detalhes, é só pegar a bike e sair para uma voltinha em família! A gente faz direto e ama!!!!

 

2 comentários

  1. Py

    Shirley, qual a marca da sua bicicleta? Como sou baixinha (1.60m), algumas bicicletas para minha altura não permitem encaixe da cadeirinha traseira.
    Obrigada!
    PS: não estou te chamando de baixinha, tá?!

    1. Shirley Hilgert

      ahahahah! Fique tranquila. Menina, eu não lembro o modelo da bicicleta. Só sei que é da Caloi.

Deixe seu comentário