Que vacinas as crianças devem tomar ao viajar ao exterior?

Hoje, tem mais uma valiosa contribuição da leitura Gisele Bridi Dallazuanna, que vem escrevendo uma série de posts sobre o tema viagens com bebês e crianças aqui para o MdM. Da Gisele já publiquei os textos Por que viajar com um bebê, Como tirar o passaporte do bebê, Seguro saúde para viagens. E hoje é a vez dela falar sobre viagens e vacinas, um tema que ainda gera muitas dúvidas nos pais, principalmente quando se vai viajar ao exterior.

Confira mais esse texto super explicativo e detalhado.

Vacinas e Viagem

A primeira preocupação que me passa pela cabeça ao pensar em uma viagem internacional com a Alice é: Vou estar quilômetros longe do pediatra dela! Eu sei que precisamos ser otimistas e evitar pensamentos negativos. Mas em viagens com bebê, todo cuidado é bem-vindo. Saúde é assunto para lá de sério e não se pode brincar.

Photo Credit: Secretaria de Saúde POA Flickr via Compfight cc

Falou em férias/viagem, há aquela empolgação com roteiro, organização de mala, pesquisa sobre lugares para levar os filhos, mas tem algo que as vezes não é lembrado: as vacinas.

Assim como a documentação do bebê é um item indispensável para viajar, é de extrema importância estar com o calendário de vacinação em dia. Além disso, é preciso verificar sobre a necessidade de alguma vacina específica. E essa preocupação vale tanto para destinos internacionais, como para viagens dentro do Brasil (olha o caso da febre amarela aí). É um cuidado que se deve ter não só com as crianças, mas com adolescentes e adultos também.

Conversei com o pediatra da Alice a respeito da viagem. O calendário brasileiro de vacinação é bem completo, as vacinas da Alice estão em dia. Para os países que vamos não há necessidade de nenhuma vacina obrigatória. Mas vamos para países diferentes, que têm doenças diferentes das nossas. Passaremos por aeroportos que gente do mundo inteiro transita. É muito vírus e muita bactéria diferentes reunidos. Para acalmar a mamãe neurótica aqui, o pediatra recomendou que a Alice faça as vacinas meningocócica B e a meningocócica conjugada – ACWY.

A vacina meningocócica B previne a meningite causada pelo meningococo do tipo B. A conjugada ACWY, previne infecções causadas pelos meningococos do tipo A, C, W e Y. Essas vacinas não estão disponíveis na rede pública e cada dose custa um valor bem salgadinho.

Depois da conversa com o pediatra, confesso que pelo alto valor das doses, fiquei relutante e resolvi tirar a teima no Dr Google. Queria ver os comentários e se realmente valia a pena dar essas vacinas para a Alice antes da viagem. Logo no primeiro site que visitei li o seguinte:

“A vacina meningocócica conjugada ACWY e a vacina meningocócica B só estão disponíveis na rede privada de clínicas de vacinação. A importância destas vacinas reside no fato de que muitos países, inclusive o nosso, vêm observando aumento na proporção de casos de doença meningocócica pelos sorotipos B e W. Além disso, em muitos países o risco de infecção pelos tipos B, A, W e Y é maior que no Brasil, de modo que esta vacina se torna a melhor opção para viajantes.”  (http://vaccini.com.br/fique-por-dentro/perguntas-e-respostas/45-meningites-bacterianas)

Foi um tapa na cara da mamãe aqui! Logo de cara a primeira informação que li a respeito foi suficiente para confirmar o que o pediatra havia dito. Encarei como um sinal de alerta Divino. Todas as minhas dúvidas a respeito de vacinar ou não a Alice, desapareceram no exato momento. Mês que vem ela estará com cinco meses, e vai fazer essas vacinas com certeza!

A meningocócica B pode ser dada a partir de dois meses. O valor que encontrei em Cascavel, cidade onde moro, R$ 650,00 cada dose (uia!). Segue o esqueminha das doses de acordo com a idade (fonte: http://vaccini.com.br/vacinas/vacinas-disponiveis/247-vacina-meningococica-b).

  • Crianças até 6 meses: três doses aos 3, 5 e 7 meses de idade (intervalo de 2 meses entre as doses), com um reforço entre 12 e 15 meses.
  • Crianças entre 7 e 11 meses: duas doses com intervalo de 2 meses e reforço entre 12 e 15 meses de idade, com intervalo mínimo de 2 meses da última dose.
  • Crianças entre 12 meses e 10 anos de idade: duas doses com intervalo de dois meses.
  • Crianças a partir de 11 anos, adolescentes e adultos: duas doses com intervalo de um mês.

Pode dar reações como febre, dor na perninha e choro durante o dia todo.

O esquema de vacinação da meningocócica ACWY também é aos 3, 5 e 7 meses de idade, com doses de reforço entre 12-15 meses e aos 5 e 11 anos. O valor da dose, em Cascavel, é de R$ 450,00. Também pode dar reações como febre e dor na perninha.

E atenção, em todos os sites que li, a ACWY é recomendada não só para crianças, mas para adolescentes e adultos que tem como destino os Estados Unidos, Arábia Saudita e África. Os casos de infecções causados por esses tipos de menincocócitos são elevados nesses países (olha aí pessoal que viaja para a Disney!).

Bom, já vi que não vou poder comprar nem uma bala durante a viagem. Vou gastar tudo em vacinas. Mas para mim, depois de tudo que pesquisei, esse tipo de precaução se tornou indispensável. Dessa forma vou conseguir viajar mais tranquila sabendo que a Alice está imunizada. Não considero uma despesa, e sim um investimento.

E falando em saúde e viagem, não deixe de conferir o post no qual eu falo sobre o assunto Seguro saúde em viagens.

 

Um abraço,

Gisele Bridi Dallazuanna

Deixe seu comentário