Óculos para crianças: 8 sinais de que seu filho pode estar precisando de óculos

Ainda outro dia, vi uma criança que deveria ter mais ou menos a idade do Caê usando um modelo e óculos para crianças. Então, comecei a pensar: será que todos os pais sabem da importância de avaliar se a criança precisa ou não usar óculos? Será que sabem o que precisam fazer para descobrir isso? E por que é tão importante avaliar isso o mais cedo possível?

O que sabemos é que todo recém-nascido, ainda na maternidade, passa pelo teste do olhinho. Até já fiz um post só sobre ele aqui no blog. O teste é feito nas primeiras 12 horas de vida e pode identificar doenças como catarata e glaucoma congênitos, tumores, inflamações e hemorragias intraoculares.

Photo Credit: Misko78 Flickr via Compfight cc

Depois, o recomendado é que a criança seja levada ao oftalmologista com até um ano. Nessa consulta, o médico observa se ela segue luz e objetos, se tem estrabismo ou miopia e também consegue identificar se há grau de óculos ou alterações na retina (Agora, faço o “mea culpa” e admito que levei os meninos quando estavam só com 1 ano e meio, mais ou menos. E deveria ter levado antes mesmo! Pois o pediatra já havia pedido e nós temos casos de problemas de visão na família – pai e tios dos meninos – o que torna ainda mais importante uma avaliação para evitar problemas futuros).

>>> Clique aqui e entenda por que é tão importante levar a criança ao oftalmologista.

Essa visita ao oftalmologista é como que uma prevenção, porém, nada impede que alterações na visão aconteçam mais tarde.

Normalmente, os pais desconfiam de que há algo de errado quando o filho começa a frequentar a escolinha, isso porque eles tendem a apresentar problemas de aprendizado que não tem relação nenhuma com falta de atenção ou dedicação. Até mesmo os professores podem nos alertar sobre isso e, muitas vezes, o fazem.

Mas ainda em casa a criança já demonstra sinais de dificuldade em enxergar, por isso, hoje, separei alguns detalhes aos quais devemos ficar atentas:

Dor de cabeça: um dos sinais de que seu filho pode estar com problemas de visão é a queixa de dor de cabeça, localizada na testa. Esse desconforto aparece quando a criança precisa focar a visão em algo, seja para brincar, ver um livrinho ou assistir TV.

Sentar-se próximo à TV ou aproximar muito o rosto de tablets e smartphones: por falar em televisão, desconfie caso o seu filho se sente muito próximo ao aparelho ou faça o mesmo ao brincar com tablet ou celular. Apesar de muitas vezes ser apenas uma mania, aproximar os objetos tende a ser um sinal de miopia, que é a dificuldade de enxergar de longe.

“Apertar” os olhos: observe também se a criança aperta os olhos para ver, como se estivesse melhorando o foco. Em certas situações, além de apertar o olho ela pode até, espontaneamente, tapar um olho com a mão, para usar apenas o “olho bom”. Isso pode acontecer durante uma brincadeira simples e o ideal é não repreender perguntando o porquê ela está fazendo isso, mas sim procurar por um oftalmologista e relatar o que fato. E, aqui, vou ilustrar com a nossa história: Leo começou a fechar um pouco os olhos para assistir TV. Como eu precisava levar o Caê para uma avaliação com o oftalmo mesmo (sua primeira consulta), resolvi levar o Leo para fazer uma segunda avaliação também (ele já tinha feito com um aninho e pouco). E, para meu alívio, Leo, apesar do hábito de apertar um pouco os olhos de vez em quando, segue enxergando muito bem. Então, aqui deixo o meu alerta: não quer dizer que se o seu filho faça isso – apertar os olhos ao olhar para algo – ele tem problema de visão. Mas só uma pessoa pode avaliar e afirmar isso: o oftalmologista. Então, converse com o seu pediatra e peça indicação de um oftalmologista, caso você ainda não tenha, para levar seu filho para uma avaliação caso você desconfie de algo.

Olhos lacrimejando: uma consulta também deve ser marcada se o olho da criança lacrimejar muito. Uma explicação é que, à noite, ela não fecha os olhos totalmente levando a um ressecamento deles. Só que durante o dia o olho acaba por produz muita lágrima, o que atrapalha a visão.

Coçar os olhos: coçar o olho também é outro sinal. Neste caso, além da consulta, converse com o seu filho e explique que ele não deve fazer isso, o hábito lesiona as pálpebras.

Incômodo com a luminosidade: e você já ouviu falar do estrabismo? Ele acontece quando um dos olhos é desviado da direção correta. Infelizmente, essa condição nem sempre é visível (como erroneamente a gente pode pensar), porém, um alerta para o problema é o incômodo exagerado com lugares iluminados ou com a luz do sol.

Andar de cabeça baixa: ainda sobre o estrabismo ou mesmo desequilíbrios no músculo ocular, eles causam dupla visão das coisas, então a criança pode andar de cabeça baixa para se sentir mais segura e evitar a queda.

Dificuldades na alfabetização: mesmo não havendo nenhum desses sinais, caso o seu filho esteja em idade escolar e comece a apresentar dificuldades na alfabetização, fique alerta.Crianças com problemas oculares não conseguem ler palavras ou frases ou adotam como costume seguir a leitura com o dedo, como se estivesse criando um espaço entre as letras. Então, não demore em procurar uma avaliação médica.

Enfim, para terminar, quero deixar um conselho pessoal: não espere o primeiro sinal de alerta aparecer para levar o seu filho para uma consulta com um oftalmologista. A partir de 6 meses você já pode levá-lo para uma avaliação. Ainda, quando ele começar na fase da alfabetização isso é extremamente indicado. Inclusive, algumas escolas exigem que se leve um atestado do oftalmologista afirmando que está tudo bem com a visão da criança (a escola do Leo não exige, mas recomenda e nós fizemos. Para nossa alegria, tudo certo por aqui com os dois pequenos).

 

1 comentário

  1. roberta zagui

    Olá Shirley, é por isso que sou fã do blog. Sou oftalmopediatra e o texto é preciso e de extrema importância. Como a visão dos pequenos se desenvolve principalmente nos 2 primeiros anos de vida é indispensável que saibamos se há alguma alteração para ter tempo de tratar e garantir boa visão para o resto da vida. Com criança prevenção é sempre a palavra de ordem!

Comentários fechado.