Puerpério – um desabafo de quem está passando por ele

Amo, simplesmente amo, quando leitoras e seguidoras me mandam textos relatando experiências, dividindo verdades, abrindo seu coração. Sinto que existe um grande carinho e confiança no Macetes de Mãe e isso me enche de alegria.

E hoje, quem compartilha com a gente os seus pensamentos é a leitora Rebeca Carvalho. Rebeca é de Fortaleza, Ceará, tem 25 anos e é mãe da Sarah e Isadora (que nasceu há quase dois meses). Quando me escreveu, a Rebeca me contou que, há alguns dias, em um dia bem difícil, ela escreveu um texto a respeito do puerpério. Segundo ela, as palavras rodavam em sua cabeça como um vendaval e em menos de dez minutos o texto que hoje compartilho com vocês nasceu.

Photo Credit: Aurelien G. Photographie Flickr via Compfight cc

Rebeca me mandou o texto porque acredita que o tema puerpério precisa ser debatido pela sociedade para que outras mulheres, como ela, que estão passando por essa fase tão difícil, encontrem compreensão e, principalmente, uma forte e fiel rede de apoio.

E como eu concordo com ela, em gênero, número e grau, compartilho com vocês esse texto lindo, forte e tão verdadeiro. Não deixem de ler! Mesmo, mesmo, mesmo! Ele é incrível. Fiquei arrepiada do início ao fim.

Puerpério

Por Rebeca Carvalho

Olá, peço licença para me apresentar, meu nome é puerpério. Você já pode ter ouvido falar de mim, ter visto vídeos a meu respeito, conversado sobre mim em grupos de apoio, mas eu te garanto que você só vai me conhecer por completo quando me viver.

Devo lhe informar que não sou fácil, longe disso. Você não vai passar por mim incólume. Há situações na vida que deixam marcas profundas, e eu sou uma delas. Vou te enlouquecer, te fazer arrancar os cabelos, tirar teu chão e você vai se perguntar o que está acontecendo. Você vai chorar, ah meu bem, como vai… Vai chorar no chuveiro, antes de dormir, depois de acordar, no café da manhã, almoço e jantar…

Vou fazer você repensar a ligação com a pessoa com que você compartilhou o maior laço da sua vida, antes da maternidade, normalmente será sua mãe, mas pode ser também sua tia, irmã ou avó. Vou criar muitas perguntas sobre essa relação. Algumas irão te machucar, outras te farão se arrepender, muitas te trarão muita gratidão.

Quero também te dizer que se você tiver um relacionamento sério, ele vai passar por um teste de fogo. Em muitos momentos, você pensará em desistir dessa pessoa e ela de você. Talvez acabe, talvez não. Se for verdadeiro mesmo, ele resistirá e seguirá mais forte depois de mim.

Mais uma coisa, você nunca se sentiu tão sozinha em toda a sua vida. A solidão é brutal. Principalmente, na madrugada, quando a casa estiver silenciosa e escura, ela vai te invadir de uma forma que vai te tirar o ar. Você vai achar que não vai conseguir, algumas vezes, você vai ter certeza disso. Vou te fazer questionar tudo o que achava de si mesma, tudo mesmo, e vai encontrar verdades que só eu vou te mostrar.

Mas calma, coisas maravilhosas também irão te acontecer. Você vai conhecer o amor da sua vida e muitas vezes, perceber que nunca se sentiu tão completa, plena, feliz e realizada. Meio contraditório, não é? Assim eu sou e não me importa se você já me viveu uma, duas ou dez vezes, você vai achar que me conhece, mas mais uma vez vou te virar de cabeça para baixo.

Por fim, quero compartilhar uma grande verdade. Eu passarei, afinal tudo passa, não é? Pode demorar seis meses ou um ano, eu passarei. Se apegue a isso. Só quero te pedir uma coisa, me deixa te mudar, te modificar, posso te transformar em alguém muito melhor, se você deixar. E se eu puder te dar um conselho, tenta maneirar na culpa toda vez que ela te estrangular, olha nos olhos dela e lembra que você está passando por um dos momentos mais difíceis da sua vida e tenta se perdoar. Tenta se relevar. Quando eu for embora, você vai agradecer por eu ter ido, mas também por ter me vivido.

1 comentário

  1. Simone

    FANTÁSTICO!!!

Deixe seu comentário