Primeiros passinhos – andar mais cedo ou mais tarde interfere na inteligência e na coordenação motora?

 

Hoje, trago mais um texto muito interessante das queridas Ale Palazzin e Graziela Faelli, autoras do blog Tempo Mágico (que trata sobre desenvolvimento infantil). Nele, elas falam sobre um assunto que ainda gera muitas dúvidas, inseguranças e até angústias nos pais: os primeiros passinhos do bebê. E nele elas também respondem aquela dúvida que é de muitos pais: afinal, andar mais cedo ou mais tarde interfere na inteligência e na coordenação motora da criança? Confira!

Primeiros passinhos do bebê – andar mais cedo ou mais tarde interfere na inteligência e na coordenação motora.

Por Ale Palazzin e Graziela Faelli, autoras do blog Tempo Mágico 

Primeiros passinhos – Photo Credit: Xiaozhuli Flickr via Compfight cc

 “Atenção atenção todos olhem pra mim. Meu primeiro passinho (opa!)”

Eu sou um bebezinho – Palavra Cantada

E quanto esse primeiro passinho não é aguardado?? Por pais, avós, tios, amigos, vizinhos… Sem duvida, esse é um marco importante na vida da criança, pois demonstra que ela já não é mais um bebê e, por isso, muitas vezes tal conquista é esperada por volta do primeiro aniversário (que é, em média, quando isso geralmente acontece). E se ocorre mais cedo, muitas vezes acaba sendo encarado como sinal de “inteligência” e se ocorre mais tarde, a ansiedade começa a aparecer. Especialmente quando são feitas comparações com outras crianças ao redor.

Mas será que faz realmente diferença, a longo prazo, a idade com que a criança começa a andar?

Um estudo realizado com 222 crianças saudáveis em Zurique (2013) demonstrou que os pais não tem com o que se preocupar.

Os pesquisadores examinaram 119 meninos e 103 meninas, sete vezes durante os dois primeiros anos de vida. Depois desse período, eram realizados novos testes motores e de inteligência, a cada 2 ou 3 anos até atingirem 18 anos. Os resultados mostraram que eles começaram a andar com uma idade que variava entre 8,5 meses e 20 meses (média de 12 meses), o que demonstra uma variação considerável no tempo que as crianças levaram para adquirir essa habilidade. Além disso, não foi encontrada uma relação entre a idade em que as crianças atingiram esse marco de desenvolvimento  e seu desempenho nos testes motores e de inteligência entre sete e dezoito anos.

Em resumo, no momento em que atingem a idade escolar (7 anos), não existe mais diferença, tanto na coordenação quanto na inteligência, entre as crianças que começaram a andar mais tarde ou mais cedo.

Por isso, papais e mamães, podem ficar mais relaxados não apenas em relação a idade que seu filho começar a andar como também em relação a buscar artifícios para tentar antecipar essa aquisição. Sim, é importante oferecermos condições para que ele desenvolva suas habilidades (possibilidades para que ele explore o ambiente de forma independente e preferencialmente descalço, mesmo que seja se apoiando nos móveis, ensaie seus passinhos, caia e levante mil vezes), mas sempre respeitando o tempo de cada criança. No entanto, se seu filho tem mais de 20 meses (1 ano e 8 meses) e ainda não é capaz de andar de forma independentem talvez seja interessante buscar a avaliação de um profissional especializado.  (Fonte: Science Daily)

Por Ale Palazzin e Graziela Faelli, autoras do blog Tempo Mágico, que trata sobre desenvolvimento infantil. (Confira também o perfil no Facebook).

As autoras já escreveram para o Macetes de Mãe sobre os seguintes temas: Qual o sapato ideal quando o bebê começa a andarFases do desenvolvimento do bebê – por que conhecê-las, Benefícios de se conversar com o bebê durante a gravidez.

Curta e compartilhe esse post nas redes sociais:
Pinterest

Deixe seu comentário