O aniversário de uma mãe

A Heliana Martins é seguidora do Macetes de Mãe, mãe da Luiza e da Manuela. Há alguns dias, ela publicou um texto muito legal (e absolutamente verdadeiro) no seu perfil pessoal do Instagram e me marcou. Li o texto, me identifiquei com muita coisa e perguntei se eu poderia compartilhá-lo aqui com vocês. E como ela deixou, aqui está ele.

Com certeza, você também irá se identificar.

Na foto, Heliana e suas duas filhas: Luiza e Manuela

Aniversário de uma mãe – uma carta de uma mãe para sua filha no dia do seu aniversário

Por Heliana Martins (@helianamp)

Minha querida, ontem foi meu aniversário e senti vontade de escrever. Então aí vai…

Mãe de duas filhas pequenas, a gente demora um pouco para voltar a se reconhecer. O primeiro filho vem e toma conta de todo o nosso ser e, dali a pouco, vem o segundo. “Mais fácil”, a gente pensa, e por um lado realmente é. Mas então você percebe que só tem duas mãos e elas estão ocupadas a maior parte do tempo.

O segundo filho vem para provar que o amor se multiplica, isso é verdade. E durante um bom tempo você segue explodindo de felicidade, sendo a mãe da Luiza e da Manuela (ou do Joaquim e do Fernando, da Maria e do Pedro, …).  Uma verdadeira alegria em meio ao caos. E afirmo: não há  felicidade maior do que ser mãe de duas (ou de dois). Mas aí, com o tempo, começa a surgir a dúvida: e a minha identidade?

A verdade é que, em muitos momentos, a gente se sente só. Terrivelmente só. A gente se torna chata e egoísta para algumas pessoas, pois a atenção que dávamos aos amigos, ao trabalho, ao marido não é mais a mesma e, muitas vezes a gente tenta, de verdade, ser como antes, e se cobra, mas tantas outras vezes, não consegue fazer isso.

E isso porque, nossos olhos e nossa alma estão, sim, totalmente ocupados com aqueles e aquelas que dependem intensamente de nós (e aqui não estou, de forma alguma, excluindo os pais, mas a dependência da mãe é sempre diferente). A gente fica um pouco louca, sabe? Me considero uma pessoa que lida bem com as mudanças e li muito sobre essa “coisa de ser mãe” (@macetesdemae, seus textos!) para fazer o melhor. Mas tem coisa que ninguém nos conta e a gente tem que aprender a lidar. As prioridades mudam mesmo sem querer e, apesar de sentir saudade de muita coisa, o que nos deixa louca é a saudade que sentimos de nós mesmas.

Por isso, hoje, estou aqui. As minhas filhas estão crescendo, a loucura vai passando e posso afirmar para as minhas amigas que são mãe: Um dia você voltará a se reconhecer. E, o melhor,  você vai se ver nas suas filhas (ou filhos), nos amigos que ficaram, na família que te apoiou. Enfim, você voltará a gostar de si mesma e, no final, perceberá que tudo estava ali o tempo todo.

Agradeço a Deus pelas pessoas que tenho e pelas que passaram também, porque isso faz parte da vida. O que mudam são as circunstâncias, mas o que vale é o que se carrega no coração.

Curta e compartilhe esse post nas redes sociais:
Pinterest