Brincar na escola: por que é tão importante

No post de hoje, as fisioterapeutas e autoras do blog Tempo Mágico, Ale Palazzin e Graziela Faelli, falam da importância do brincar na escola. Acho importante abordar esse assunto aqui porque muitos pais acham que escola é lugar de aprender. Ponto! E se a criança estiver lá “só brincando” não está tirando proveito da experiência, não está fazendo nada útil, não está aprendendo nada.

Pois saibam vocês que a verdade é muito diferente dessa crença popular e incorreta. E é isso que a Ale e a Graziela irão explicar hoje.

Photo Credit: VISITFLANDERS Flickr via Compfight cc

Brincar na escola: os benefícios isso traz para a criança

Por Ale Palazzin e Graziela Faelli, fisioterapeutas e autoras do blog Tempo Mágico

A importância do brincar para as crianças, especialmente na primeira infância, está cada vez mais evidente. E, ainda bem, mais presente nas escolas também. Têm se observado um movimento de valorização deste momento por parte dos professores, que conseguem favorecer o aprendizado de seus alunos com atividades lúdicas e, ao mesmo tempo, por parte dos pais, que  têm apresentado uma preocupação maior em inserir mais momentos de brincadeira no dia a dia com seus filhos.

Como vocês talvez já saibam, o brincar é a forma que a criança se relaciona com o mundo, seja objetos ou pessoas. E também é a partir disso que ela entende quem ela é, como se movimentar e se expressar. Levando isso em conta, diferentes locais e pessoas trazem contribuições distintas e importantes. Nesse sentido a escola torna-se um local extremamente rico para diversificar a exposição aos diferentes aspectos do mundo. Lá o aprendizado também ocorre através da brincadeira (uma forma muito poderosa de consolidar o que estão aprendendo), e vai além dos aspectos pedagógicos, envolvendo todo o desenvolvimento motor e social, fornecendo experiências que não tem em casa.

Mas o que o brincar na escola traz de benefício para as crianças?

  1. Exploração de ambientes diferentes: a escola dá a possibilidade de experimentar outros terrenos (areia, rampas, escadas…), instrumentos (balanços, escorregador…), objetos, móveis e trajetos que não tem em casa. Além disso, este pode ser um ambiente mais amplo e com maior contato com a natureza do que ela tem no dia a dia (muitas vezes moram em locais com espaço menor, como prédios, sem parquinho). Assim ela consegue correr, extravasar, ampliar e testar sua gama de movimentos.
  2. Interação com outras crianças: brincando há um treino do relacionamento social. Elas ensaiam quando pequenas para realizar no futuro. Cada uma tem seus gostos, personalidades, vontades, e isso possibilita que tenham que expressar o que querem, treinar o ouvir os outros, negociar (ou não rsrs) para chegar a um consenso e, principalmente, lidar com as frustrações. Estar com outras crianças possibilita que esse faz- de- conta e interação ocorra de forma mais leve do que na relação com os adultos, elas se enxergam como iguais e se sentem com maior liberdade de se expressar. Outro fator importante é que elas provocam interferências e colocam novos elementos nas brincadeiras, o que é muito diferente de brincar sozinho ou com o irmão. Isso aumenta a capacidade de adaptação, aumenta e estimula ainda mais a criatividade (“quem conta um conto aumenta um ponto”), e elas também pode contribuir com suas ideias: quem não gosta de dar um pitaco?
  3. Outros adultos de referência: cada um têm a sua vivência e transmite isso. Elas vêem outros exemplos e outras fontes de informação. Aprendem como outros adultos jogam, criam estratégias e se relacionam no momento da brincadeira, tanto entre eles quanto com as crianças.
  4. Brincadeiras diferentes: são expostos a outras brincadeiras propostas pelos professores. O brincar é enriquecido pela intervenção adulta, permite que aprendam novas formas, jogos, e isso aumenta o seu repertório. O brincar é inato, ou seja, é natural para a criança, porém o aumento do acervo favorece a criatividade e uma maior quantidade de informações levadas ao cérebro.

Para a criança o brincar acontece em qualquer momento, e na escola é uma ótima oportunidade de criar ocasiões que potencializarão todo o aprendizado e desenvolvimento. Vamos valorizar esse tempo e deixá-las curtir e se divertir que o benefício vem naturalmente.

Leia outros posts das mesmas autoras:

4 Fatores importantíssimos no desenvolvimento saudável do seu filho

Brincar com os filhos: o que eu faço se eu não gosto de brincar? 5 dicas que irão ajudar

Curta e compartilhe esse post nas redes sociais:
Pinterest