“Dor de Crescimento”: o que é e como aliviar os sintomas

 

Você há ouviu falar em dor de crescimento? Esse é um tipo de dor que costuma atingir principalmente os membros inferiores de crianças a partir de 6 anos de idade. Então, se seu filho está nessa fase e começou a reclamar de dor nas pernas, fique de olho nesse post e entenda do que se trata 0 problema.

“Dor de Crescimento”: o que é e como aliviar os sintomas

Por Dr. Tania Castro, reumatologista pediátrica do Hospital São Camilo

Photo Credit: Predi Flickr via Compfight cc

A dor em membros, também conhecida popularmente por “dor de crescimento”, é uma queixa muito comum no consultório pediátrico. Apesar de comum, o termo “dor de crescimento” está errado, já que a maioria dos especialistas concorda que esse processo – o do crescimento – é indolor. A faixa etária que o problema costuma acontecer é de 6 e 13 anos e a causa do surgimento dele é desconhecida.

A “dor de crescimento” é, na verdade, uma dor crônica, com história de, no mínimo, três meses de duração e que acontece, geralmente, em coxas, região anterior das pernas, atrás do joelho e panturrilhas (mas muitas vezes a criança não consegue definir o local). Além disso, não é constante, ela aparece com intervalos onde a criança pode ficar livre das dores por dias e até meses.

As crianças costumam apresentar queixas de uma dor muito forte que, por muitas vezes, até as impede de dormir. É comum que ela ocorra mais no final do dia ou à noite, podendo até despertar a criança do sono. O exame físico, os exames laboratoriais e de raios-x não apresentam alterações, mas a dor é real e pode afetar a qualidade de vida de quem a tem. As crises de dor costumam ter duração de 10 a 15 minutos e tendem diminuir de forma espontânea nas horas seguintes.

Ainda, quando a dor é muito intensa ou não cede com medidas como bolsa de água quente e massagem, é preciso procurar um especialista. O pediatra é o profissional habilitado para avaliar a criança com dor em membros. Ele é capaz de diferenciar as causas de dores que necessitam de um médico especialista ou de um atendimento urgente. Sintomas gerais como febre, perda de peso, cansaço e claudicação (mancar) não fazem parte do quadro clínico de dor em membros, devendo-se investigar outras doenças. Além disso, em alguns casos, a avaliação do psicólogo também é necessária.

Os pais podem ficar tranquilos quanto à “dor do crescimento”, pois apesar de não se saber a sua causa exata, a sua natureza é benigna. Ou seja, não é algo perigoso para a criança. Ainda, é importante os pais entenderem que apesar de não existir uma doença orgânica, a dor é real e talvez essa seja a forma da criança expressar seus conflitos, medos e ansiedades.

Curta e compartilhe esse post nas redes sociais:
Pinterest

Deixe seu comentário