Rachaduras e fissuras no peito – 10 dicas para evitar e tratar

Quem já amamentou sabe que rachaduras e fissuras no peito não são algo raro. Na verdade, muito pelo contrário! Isso é mais do que comum e, para ser sincera, eu não conheço nenhuma mãe que amamentou e que nunca tenha passado por isso.

E como isso é bem comum, é claro que muita gente quer saber se existe alguma receita infalível para evitar ou para tratar as tais rachaduras e fissuras. Bom, a verdade, é que não existe uma receita milagrosa para evitar rachaduras e fissuras no bico do peito. Não há algo que se possa fazer e que irá garantir que o peito não será machucado. Isso porque, é comum esse tipo de coisa acontecer, já que a pele do bico do peito é muito sensível e será estimulada bastante nos primeiros dias de vida do bebê. Mas é claro que dá para fazer algumas coisas sim, enquanto se está grávida e até depois, quando o bebê já nasceu e está mamando, para amenizar o problema.

DURANTE A GESTAÇÃO – como evitar rachaduras e fissuras

Banho de Sol

Durante a gestação, exponha os seios, com protetor solar, ao sol. O ideal é que isso seja feito antes das 10h da manhã e após as 16h, pelo período de 30 minutos por dia e por, pelo menos, 3 meses. A pele do bico do seio, justamente por nunca ser exposta ao sol, é mais fina e sensível. Passando por essa exposição ela tende a se tornar mais resistente.

E se estiver frio, posso tomar banho de sol dentro de casa deixando o sol entrar através do vidro da janela? Não é o ideal, o ideal é o sol pegar direto na pele, mas no caso de estar muito frio para se expor ao sol do lado de fora da casa, serve sim tomar sol através da janela. Usando também protetor solar.

Banho de luz

No caso de você morar em regiões frias, nas quais não é possível tomar sol do lado de fora de casa, em regiões com menos sol ou longos períodos de chuva ou, ainda, caso você trabalhe fora durante o dia e não consiga fazer os banhos de sol,  uma alternativa é fazer banhos de luz.  Para isso, você deve utilizar uma lâmpada de 40 a 60 watts a uma distância de 15 cm do seio, por um período de 15 minutos em cada seio, todos os dias, por pelo menos 3 meses durante a gestação.

Não usar cremes e pomadas

Cremes e pomadas para preparar o seio não são indicados, justamente, porque eles tendem a deixar a pele do bico e da aréola ainda mais fina e delicada, o que pode piorar o problema das rachaduras e fissuras.

Não usar conchas de amamentação

A concha de amamentação é um acessório que até pode ser usado durante a gestação, mas aí, para ajudar a formar o bico do peito, no caso de seios que tem bico invertido ou muito pequeno. Entretanto, ela não serve para evitar rachaduras ou fissuras. Para esse tipo de problema, elas podem, inclusive, piorar as coisas, pois a concha torna o ambiente em volta do bico do peito mais úmido e abafado e isso pode deixar a pele mais sensível.

Não usar buchas no bico do peito ou e puxá-lo

É contra indicado o uso de buchas para esfregar o bico do peito ou, então, a prática de puxá-lo para ficar mais resistente.  Isso pode, inclusive, machucar a região e prejudicar a amamentação.

 

DURANTE A AMAMENTAÇÃO – como evitar e como tratar rachaduras e fissuras

Nessa parte, irei dar junto as dicas de como evitar e como tratar rachaduras e fissuras durante a amamentação. Isso porque, os métodos para evitar são os mesmos utilizados para tratar, então não tem porque falarmos sobre eles em separado.

Higiene delicada:

O bico do peito e a aréola, durante a amamentação, devem ser lavados apenas com água, sem esfrega-los com bucha ou toalha. Isso porque, nesse período, é produzida uma lubrificação natural, vinda das glândulas de Montgomery, localizada nas aréolas, e essa lubrificação ajuda muito na proteção da área. Se lavar com força, essa lubrificação acaba saindo e aí a área fica mais desprotegida e as fissuras e rachaduras tendem a aparecer ou aumentar.

Sutiens adequados

Soutiens de tecido de fibra natural e com tamanho adequado aos seios (que ficam maiores durante a gestação) também ajudam a manter os seios protegidos e a evitar rachaduras e fissuras. Principalmente o tipo de tecido ajuda a manter protegida a pele sensível e delicada da área.

Usar rolinhos de fralda

Até pouco tempo, a orientação era o uso de conchas de amamentação já que, ao utilizá-las, o bico do peito não entra em contato com nenhuma superfície e aí fica mais protegido (e se estiver machucado pode se recuperar pela ausência de atrito). Entretanto, agora as coisas mudaram. Pelo risco da proliferação de fungos, já que as conchas abafam a área, a orientação agora é você cortar pedaços de fralda, fazer pequenos rolinhos com ele, e colocar esses rolinhos em volta do bico do peito, deixando o centro aberto (como se fosse uma rosquinha com um furo no meio). Fazendo isso, o bico do peito também não entra em contato com o soutien, fica protegido como dentro da concha, mas sem o risco de proliferação de fungos.

Pomadas à base de lanolina

Durante a amamentação, é indicado o uso pomadas e cremes à base de lanolina para proteger e tratar  fissuras e rachaduras. Esse princípio ativo, inclusive, é o mais indicado, já que além de proteger e tratar a pele não apresenta risco para o bebê (a pomada não precisa ser removida na hora que o bebê for mamar. Inclusive, isso nem é indicado, pois, ao remover a pomada tem se atrito com a pele e isso pode machuca-la mais ainda). O ideal é aplicar uma pequena quantidade para justamente ela ser absorvida pela pele e, depois, o bebê pode mamar sem problema algum.

Leite materno

Um dos mais eficientes “segredos” para proteger e tratar o bico e a aréola do peito é o uso do leite materno. Isso mesmo, antes e após amamentar, pressione um pouco o bico (com delicadeza) para sair um pouco de leite e passe-o sobre o bico e a auréola. O leite materno é um excelente cicatrizante, além de ser de graça e absolutamente seguro para o bebê.

Pega do bebê (muita atenção!)

Um dos maiores causadores de rachaduras e fissuras é a pega errada do bebê. Ou seja, o bebê e, principalmente, a sua boca estarem posicionados de forma errada sobre o peito (e aí ele acabar abocanhando apenas o bico do peito e não toda a aréola na hora de mamar). Quando isso acontece, certamente teremos fissuras e rachaduras, pois a pressão sobre o bico é muito grande (quando, na verdade, a pressão deveria ser feita sobre toda a aréola). Inclusive, esse sugar do bico e não de toda a auréola também torna a mamada pouca eficiente, já que saiu muito pouco leite e aí, claro, o bebê tende a sugar mais e mais para sair mais leite e aí o peito fica ainda mais machucado.

Ao retirar o bebê, também, tenha cuidado. Com as mãos limpas, introduza o dedo mínimo na boca da criança e, quando ela pegá-lo, afaste-a do peito. Não se esqueça: se ela estiver dormindo, aumente o cuidado, pois se retirá-la de repente, devido ao reflexo, ela poderá morder o seio.

Leia também: Amamentação e fissuras no peito

Assista:

 

 

Curta e compartilhe esse post nas redes sociais:
Pinterest