O desfralde do Caê

Caê desfraldou há poucos meses. E como comentei sobre isso no Insta Stories, muita gente me pediu para falar sobre o processo, dar dicas, dar uma luz, já que para muitas famílias nem sempre essa é uma experiência tranquila.

Bom, por aqui foi bem tranquilo e extremamente rápido o desfralde do Caê e eu acho que isso justamente aconteceu porque eu fiz o que considero ser a dica mais importante para o desfralde de qualquer criança: eu respeitei o tempo do meu filho. Eu dei tempo ao tempo. Eu não corri para desfraldá-lo assim que ele fez 2 aninhos.

No primeiro semestre de 2017 a escola do Caê conversou comigo dizendo que iam começar o processo de desfralde de algumas crianças e que estavam pensando em fazer o do Caê também. Na época, ele tinha acabado de fazer 2 anos e eu não achava que era a hora ainda. Eu tinha e impressão de que era muito cedo e eu preferia esperar um pouco mais. Até porque, Leo desfraldou mais tarde e a experiência foi ótima (conto sobre ela aqui).

Então, esperei mais um tempo. Depois, no segundo semestre, quando o calor começou e Caê já estava com 2 anos e 8 meses, mais ou menos, resolvi retomar essa questão. Conversei na escola, disse que eu viajaria uma semana com meu marido e que os meninos ficariam com os avós mas que, na nossa volta, eu começaria o desfralde.

Nessa semana que o Caê ficou nos avós a escola já começou o desfralde lá e me posicionou depois dizendo que havia corrido tudo bem, só com dois escapes de cocô (Caê teve dois dias de cocô mole), mas fazendo xixi direitinho no peniquinho. Na verdade, durante essa semana, o que a escola fez foi receber o Caê com fralda, tirar a fralda na sua chegada e aí deixá-lo sem até a hora de ir embora, quando ela era colocada novamente. Nesse tempo sem fralda, ele era levado para fazer xixi no penico (e aceitou fazer numa boa) e era levado para fazer cocô na hora que pedia ou na hora que as professoras sabiam que ele costumava fazer (após o almoço).

Na minha volta, eu tirei a fralda do Caê também. Só na parte do dia. Assim, na segunda-feira mesmo, já o mandei para a escola sem fralda e avisei que também não precisava colocar a fralda para ele voltar para casa. Durante essa primeira semana sem fralda durante todo o dia, eu perguntava bastante para o Caê se ele queria fazer xixi, mesmo que ele dissesse que não algumas vezes eu levava e ele fazia e, também orientava-o a pedir sempre que quisesse. Coisa que com o tempo ele começou a fazer. Também observava se ele mexia no pipi, se trançava as pernas, e se via isso o levava para fazer xixi.

Uma coisa que ajudou bastante também por aqui foi um acessório, que inicialmente eu achei desnecessário, mas que se mostrou muito útil. Caê ganhou um peniquinho da Fisher-Price que toca som quando a criança faz xixi nele (se chama Troninho Toilette Fisher Price). Esse detalhe de tocar musiquinha eu achava um exagero, mas na verdade se mostrou bem bacana. Caê adorava ouvir a musiquinha de comemoração tocando e aí pedia para fazer xixi várias vezes ao dia (o que acabou fazendo com que a gente tivesse só um ou dois escapes de xixi durante as duas primeiras semanas).

Aqui, coloco a foto do peniquinho que nós utilizamos e que realmente eu acho que ajudou no desfralde do Caê.

Ele se chama Troninho Toilette e é da Fisher-Price

E para terminar, enumero 5 dicas que eu acho que colaboraram para o desfralde do Caê ser bem fácil e tranquilo:

  1. Respeitei o tempo dele. Não quis desfraldar assim que ele fez dois anos.
  2. Esperei ficar mais quente, pois no frio dá mais vontade de fazer xixi.
  3. Usei o peniquinho que toca música. Caê sempre gostou de fazer xixi lá então isso era um incentivo.
  4. Comemorei todas as vezes que ele fez xixi direitinho.
  5. Não briguei com ele quando houve escape. Disse que era assim mesmo e tratei a situação numa boa.

Mais dicas nesse post aqui, sobre o desfralde do Leo.

 

 

Curta e compartilhe esse post nas redes sociais:
Pinterest

Deixe seu comentário