7 dicas que ajudam quando você sair sozinha com o bebê | Macetes de Mãe

7 dicas que ajudam quando você sair sozinha com o bebê


14 de Abril de 2013

Quando saimos sozinhas com nossos bebês, ainda mais quando eles são bem pequeninos e ainda não temos muito traquejo nessa nossa nova condição, se não soubermos nos organizar direitinho, poderemos ter ingratas surpresas.

Sim, eu já passei por poucas e boas, coisas de rir e de chorar, porque simplesmente dei uma chave de braço no Léo e saí porta afora, sem me organizar direitinho antes, sem pensar no que levar, como levar e onde levar tendo em vista que estaremos grande parte do tempo com apenas um única mãozinha livre.

Bom, mas depois de já ter pago alguns micos e passado alguns apuros, aprendi alguns macetezinhos que facilitam a minha vida quando eu saio sozinha com o Léo. Vai aí uma relaçãozinha para vocês lerem, imprimirem, colarem na porta da geladeira e irem fazendo o check antes de partir.

1. Se possível, organizar a bolsa do bebê bem antes da hora de sair, num momento que você estiver calma e com tempo (Oi? Essa coisa de calma e com tempo existe na vida de mãe? Sim! Quando os pequenos dormem). Lembre-se que se você deixar para organizar a bolsa do bebê na hora H pode ter algum contra-tempo e acabar esquecendo coisas importantes em casa. Isso aconteceu comigo na primeira visita ao pediatra. Eu não só esqueci de levar algumas coisas como esqueci de levar a bolsa inteira! Então, fica a dica: organize tudo que você precisa levar antes, assim, se esquecer de algo, dá tempo de incluir.

2. Vai sair com o bebê nos braços e mais um monte de outras coisas penduradas em você? Evite acidentes e opte por sapatos baixos ou então com saltos mais largos, que a deixem mais “estável” para caminhar. Já imaginou o perigo de você despencar de um salto 15 agulha com um baby nos braços? Deus me livre! Ah! Também acho mais prudente evitar roupas perigosas: aquelas saias que teimam em subir quando você dá o primeiro passou ou serem carregadas por um vento mais assanhado, blusas que abrem com um simples olhar ou, ainda, acessórios que atraiam demais a atenção e aos mãozinhas do bebê. Eu já sei quais são os colares e brincos favoritos do Léo e esses eu deixo em casa quando saio com ele agarrado em mim (aprendi a fazer isso pois, se não, iria ficar sem uma orelha em breve).

Não vivo mais sem sapatilhas. Esse modelo da Capodarte é o meu favorito. Muiiiiiito confortável. Se pudesse, teria um de cada cor. Imagem: site do fabricante.

3. Opte por sempre sair com roupas que tenham bolso, pois aí você pode deixar coisas que precisa ter acesso rápido, como chaves do carro e da casa, dentro deles. Eu já passei pela seguinte situação: saí com um vestido que não tinha bolso, estava com o Léo, a bolsa dele e a minha pendurada no ombro. Quando fomos entrar no carro, estava chovendo e eu estava com as chaves do carro dentro do bolso interno da minha bolsa. Bom, você imagina o caos que foi para eu abrir o carro com tudo aquilo pendurado em mim e debaixo de chuva. Jurei que depois desse dia eu nunca mais sairiam com uma roupa sem bolso. Ou então, quando ela não tem bolso, antes mesmo de pegar o Léo no braço e ir rumo ao carro eu já pendura a chave em algum outro lugar de fácil acesso. Até debaixo da alça de uma blusinha eu já coloquei. Dentro do cós da calça também. Vale tudo para você não perder minutos cavocando a sua bolsa atrás da bendita chave. Ah! o mesmo vale para o celular, viu! Sempre em lugar de fácil acesso, amigas!

4. Se você ainda amamenta, lembre-se sempre de sair com blusas fáceis de abrir. Camisas são a melhor opção nessas horas.

Camisas são a melhor opção apra quem amamenta. Uma dos motivos é porque depois de passar essa fase elas continuam sendo super úteis. Imagem: usobranco.com.br

5. Juro que no meu próximo filho compro uma mochila de passeio do bebê em vez de uma bolsa. Quando saio eu carrego o Léo no braço esquerdo. Por coincidência, também acostumei a levar a minha bolsa e a bolsa do Léo no mesmo braço. Moral da história, eu vivo parecendo um pêndulo inclinado para o lado esquerdo. Um horror! Se contar a dor que fico nesse ombro no fim do dia. E não adianta eu mudar o Léo ou as bolsas de lugar. No outro ombro as bolsas não param, me incomodam e caem. E também não consigo carregar o Léo sem ser do lado esquerdo. Pode ser toque, mania, sei lá… o que sei é que é tudo do lado esquerdo então no próximo vou optar por uma mochila. Sei que a Fisher-Price tem uma especial para esse fim – carregar coisas do bebê. Mamães que usam já comentaram que é tudo de bom!

Michila da Fisher-Price. Detalhe: do lado direito tem um bolso para guardar a embalagem de lenços umedecidos  e com abertura especial para fácil acesso.

6. Acople ganchos, cestas, redinhas ou outros suportes no carrinho de passeio do bebê. O carrinho que eu uso com o Léo, o Quinny Zapp Xtra tem uma cestinha minúscula e ela ainda fica quase inacessível quando o carrinho está virado para frente (ou seja, sempre!). Por isso, acoplei nele uma redinha lateral e também um gancho para pendurar algumas coisas. O gancho quase não uso, porque penduro o que tiver que pendurar na parte que seguro o carrinho (não sei como se chama isso), mas a tal redinha salva a minha vida! Lá eu levo celular, carteira, brinquedos, fraldinhas, enfim… tudo que preciso levar quando deixo a bolsa em casa. Acho tudo de bom, pois deixa as coisas super à mão, mais à mão do que se eu estivesse usando a cestinha do carrinho.

Essa redinha porta trecos é da marca J.L. Childress e eu comprei no site da Amazon.

7. Vai sair sozinha e precisa ter as duas mãos livres (caso de uma viagem de avião sozinha, por exemplo)? Então use e abuse do canguro e do sling. Nessa hora, que você precisa fazer mil coisas e não tem com que deixar o bebê, ou não levou o carrinho, esses dois acessórios salvam vidas. Eu nunca tinha usado o canguru do Léo. Sempre tive o hábito de sair levando-o no colo ou no carrinho, mas esses tempos viajei sozinha com ele e o canguro foi tuuddddddo de bom e me quebrou vários galhos. Sem contar que o Léo amou dormir dentro dele.

Canguru: uma ótima alternativa quando você sair sozinha com o bebê e precisar ter as duas mãos livres (em viagens sozinha, por exemplo).

Bom, essas são algumas dicas baseada na minha experiência. Se você também tiver as suas e quiser compartilhar com as demais leitoras, é só dar o seu pitaco no espaço dos comentários abaixo. Vou adorar atualizar esse post e incluir os seus macetezinhos também.