A importância do exame do cotonete, ou streptococo B

A importância do exame do cotonete, ou streptococo B


30 de Março de 2015

Estes dias, recebi um email de uma leitora me contando de um caso de um bebê que morreu no interior de São Paulo depois de contrair a bactéria streptococcus B (leia a triste notícia aqui) uma coisa que poderia ser evitada com um exame simples durante a gestação ou na hora do trabalho de parto e que, tanto ela como eu achávamos que era obrigatório e de rotina em todos os hospitais e maternidades do país.

Streptococcus
Photo Credit: Lucas Vieira Moreira via Compfight cc

O casal que passou por essa tristeza tomou inclusive uma atitude muito legal: está fazendo até uma campanha para divulgar a necessidade do exame.

Então, eu resolvi fazer também a minha parte alertar as grávidas sobre o quanto este exame é fundamental e que todas devem pedir que seja realizado durante a gestação ou na hora de terem seus bebês, ok? Acredito que com informação a gente sempre corre menos riscos e mesmo se não for obrigatório onde você mora, você pode pedir para evitar que ocorra algum problema com você e seu filho. Então vamos lá:

O que é o streptococcus B?

É uma bactéria que é bem comum no intestino das pessoas. Lá ela não faz mal nenhum, mas algumas vezes essa bactéria acaba “indo viver” no canal vaginal. Também por lá não há perigo algum, nem para você nem para o bebê durante a gravidez. O risco ocorre na hora do parto, quando o bebê precisa passar pelo canal vaginal e, nesse caminho, pode ser contaminado pela bactéria

Como é feito o exame?

É superhipersimples. Entre a trigésima quinta e trigésima sétima semana de gravidez o seu médico ou um profissional de laboratório vai coletar material da sua vagina e da região do ânus com um tipo de cotonete. Tanto que o apelido do exame é “exame do cotonete”. E a análise em laboratório vai mostrar se a bactéria está presente ou não no seu corpo. Não adianta fazer antes, pois como é uma bactéria comum, ela pode aparecer e voltar durante os meses todos de gravidez. O que importa é mesmo saber se ela está por ali perto do parto, quando se torna perigosa para o bebê.

Todas precisam fazer?

Sim, todas as grávidas precisam fazer. Se não for feito no consultório, quando der entrada na maternidade avise aos médicos.

E se deu positivo?

Nada para você se estressar. Avise do exame positivo assim que você chegar à maternidade. O problema é tratado lá mesmo com antibióticos, em geral dados por via venosa algumas horas antes do parto. Se por acaso você não fez o exame antes os médicos podem dar o antibiótico mesmo sem saber se você tem a bactéria ou não, por garantia. Os mais precavidos dão até para as mulheres que vão fazer cesárea agendada. Converse com o seu médico durante o pré-natal para esclarecer qualquer dúvida.

O que pode acontecer com o bebê se o exame não for feito?

Na hora de passar pelo canal vaginal o bebê pode contrair a bactéria, que causa uma infecção conhecida como sepse neonatal precoce, que afeta o sangue, pode ser muito séria e trazer várias complicações, entre elas a pneumonia e a meningite. É mais perigosa ainda para os prematuros e em casos extremos pode levar a morte.

Agora que o alerta foi feito e que vocês estão bem informadas, não deixem de lembrar os seus obstetras sobre a realização desse exame. Ele salva vidas!