A introdução alimentar do Caê (+ dicas para o processo)

A introdução alimentar do Caê (+ dicas para o processo)


19 de agosto de 2015

Não comentei antes aqui no blog, mas iniciamos a introdução alimentar do Caê mais cedo, com 5 meses. Cae sempre mamou pouco e, por isso, acabou ganhando pouco peso (em três meses ganhou apenas 700g, no total). Assim, quando ele fez 5 meses, minha intuição de mãe “pediu” uma certa mudança na sua dieta e eu fui conversar com o pediatra. Sugeri introduzirmos os sólidos antes, expliquei meus motivos (meu filho não ganha peso! ou ganha pouquinho, melhor dizendo) e eu acho que já podemos experimentar dar frutinhas e comidinhas para ele. Pediatra analisou e topou. Assim, aos 5 meses, começamos com a papinha do almoço, antes das frutinhas, como é o padrão na Europa. Alguns dias depois, também comecei a dar frutinhas, e o Caê aprovou. Começou a comer, cada dia um pouco mais, e assim fizemos a sua introdução um tantinho antes do tempo normal.

introducao alimentar 1
Photo Credit: .imelda via Compfight cc

A OMS, a Sociedade Brasileira de Pediatria e a Sociedade Americana de Pediatra indicam aleitamento materno exclusivo até 6 meses e a introdução dos sólidos somente depois dessa idade, mas meu filho não vinha ganhando peso adequadamente (caiu na curva) então eu resolvi seguir a minha intuição e dar papinha e frutinhas antes e não acho que isso tenha trazido qualquer prejuízo para ele (claro, só fiz isso com a aprovação do pediatra). Pelo contrário, no primeiro mês comendo ele ganhou mais peso que havia ganhado nos últimos três meses de vida (800g frente aos 700g que havia ganhado nos últimos três meses).

E foi fácil a introdução? Olha, não posso dizer que foi difícil não. Claro que não foi dar a papinha e ele bater um pratinho cheio, que os primeiros dias foram mais enroladinhos, mas nada que me levasse ao desespero.

Nos três primeiros dias Caê, como acontece com toda criança, tinha o reflexo de colocar a línguinha para fora quando eu colocava a colher na frente da boca dele e, assim, empurrar a comida. Aí, coloquei em prática uma dica que o pediatra me deu (e que vou explicar abaixo) e tudo começou a entrar nos eixos. Depois de três dias comendo pouquinho, só se “ambientando” aos alimentos sólidos, ele começou a comer um pouco melhor. No início, comia 30 ou 40g e, depois, pouco a pouco, foi passando para 60, 70, 80, 90, 100g.

Cae agora está com 6 meses e meio e já almoça, janta e come dois lanches de frutas. Eu não dou suco para ele, pois acredito que a fruta em natura é mais saudável, rica em fibras e conserva melhor seus nutrientes.

Até agora, Cae já provou papinha com os seguintes ingredientes: mandioquinha, batata, cenoura, abóbora, chuchu, abobrinha, beterraba, brócoli, cebola, cebolete, couve e frango (sempre faço a papinha com 1 tubérculo, 2 ou 3 legumes, 1 folha, frango e temperos). De frutas, ele já provou pera (sua favorita), maçã, mamão, banana, manga e abacate.

Bom, mas qual o aprendizado que eu tirei dessa minha segunda experiência com introdução alimentar e que posso compartilhar com vocês? (Não deixe de ler as dicas que compartilhei quando fiz a introdução alimentar do Leo. Dicas SUPER úteis e que complementam estas abaixo).

Primeiro, a dica mais importante de todas, que eu acho que foi fundamental para “treinar”o Caê a comer. Como a criança tem o reflexo de colocar a língua para fora quando um objeto se aproxima de sua boca (lembre-se, ela está na fase oral, sente o mundo pela boca e língua), o ideal é posicionar a colher no meio da língua da criança e aí “depositar” a comida lá. Para isso, tem que dar um jeito da criança abrir a boca (colocando a colher na frente ela irá abrir) e, quando ela abrir, posicionar a colher bem no meio da linguinha e “largar” a comida (papa ou fruta) ali.

Depois de feito isso, outra dica que dou é segurar uns segundos a colher na frente da boquinha da criança, para o caso dela empurrar a comida de volta para fora. Com a colher em frente, quando a comidinha voltar, é só colocar para dentro de novo. Aos poucos, a criança vai acostumando com a novidade e passa a engolir.

Outra dica é entreter e distrair a criança enquanto ela come. Claro que isso não deve ser feito sempre, que o ideal é a criança estar focada na refeição na hora que está comendo, mas nesse início, até que ela aprenda a comer, pode sim dar um brinquedinho para ela, balançar algum objeto na frente, cantar, etc…

Minha quarta dica é mudar a criança de lugar. Sim, a criança deve comer sempre no mesmo lugar para identificar aquela como a hora da refeição, mas nesse início, quando o objetivo é ela aceitar aquela novidade, não vejo problema nenhum em trocar a criança de lugar quando ela se enjoar de ficar onde está. Por exemplo, eu começava dando a comidinha no carrinho e quando o Caê começava a reclamar, para distraí-lo, passava-o para o bouncer e aí ele comia mais um pouco.

Outra dica é parar um pouco o processo no meio e depois retomar. Ou seja, se a criança comeu só um pouquinho e começou a reclamar, leve-a para trocar a fralda, por exemplo, e depois continue dando a papinha ou frutinha. Muitas vezes, essa pausa ajuda ela a aceitar mais alimentos e assim você fazer com que ela coma mais um pouquinho, o que é bastante importante nesse início, para ela se tornar familiarizada com o processo da alimentação.

Bom, e a última mas não menos importante dica é não forçar. Se a criança demonstrou que não quer mais e você já usou as técnicas que eu indico acima, não force. Quando a criança começar a fechar a boquinha, ou reclamar e ficar chorosa, é hora de parar.

O início da introdução alimentar não é fácil. Há de se ter paciência, calma e, acima de tudo, acreditar que vai dar certo. Se a criança sente a mãe, o pai ou o cuidador tenso e nervoso durante o processo, ela acaba sendo influenciada por isso. Então, a dica é relaxar, ir com calma e acreditar que cada dia será melhor que o anterior.

Abaixo, trago algumas dicas que eu compartilhei quando fiz a introdução alimentar do Leo. Elas irão complementar as dicas que dou acima.

Boa sorte! Espero que tenha curtido esses macetes que aprendi na prática e que achei bacana compartilhar com vocês.

Introduzindo papinha de frutas e suquinhos na dieta do bebê

Técnica para ajudar o bebê a comer papinha

Dicas que ajudam na hora da papinha

Receita básica de papinha completa

Como preparar papinha – dicas de mistura de ingredientes

Dicas de colaboradoras do blog:

Dicas para preparar papinhas

Confira, no vídeo abaixo, como preparar a papinha ideal: