Antibióticos e crianças – a importância de se respeitar a receita

Antibióticos e crianças – a importância de se respeitar a receita


20 de agosto de 2015

Vocês devem se lembrar que, até algum tempo atrás, era muito fácil se comprar antibióticos. Bastava ir até uma farmácia, explicar quais eram os sintomas da doença, pegar a orientação do farmacêutico de qual antibiótico deveria ser tomado e, depois, fazer uso dele. Algumas mães, inclusive, iam além. Elas já chegavam lá sabendo o que queriam. Pelo histórico dos seus filhos, tinham conhecimento de qual a medicação que deveria ser administrada – e de quantas em quantas horas – e aí só faziam o pedido.

Só que antibiótico é coisa séria e, para nossa segurança, isso mudou. Hoje em dia, para se comprar um antibiótico você deve ter receita – que inclusive fica retida na farmácia.

 

foto destaque post
Photo Credit: PistigriloXP via Compfight cc

E por que houve essa mudança? Pelo fato de que um antibiótico, quando tomado incorretamente – medicação errada, em menor quantidade, por mais tempo que o prescrito etc. – leva ao aumento da resistência das bactérias e, consequentemente, gera problema para toda a população.

E um cuidado importantíssimo para evitar a resistência das bactérias é seguir corretamente a receita médica. Afinal, se a receita passou a ser exigida porque ela é importante, protege a nossa saúde, nada mais óbvio que segui-la à risca.

Entretanto, não é o que se vê por aí. O que se vê bastante são receitas sendo substituídas nas farmácias, doses sendo alteradas por quem administra a medicação (em vez de se dar três comprimidos, se dá apenas dois), horários de se tomar o medicamento não sendo respeitados (com intervalo maior do que o prescrito entre uma dose e outra), duração do tratamento não sendo obedecido (toma-se por menos tempo para economizar ou por mais tempo acreditando-se erroneamente que irá trazer mais efeitos), entre outros problemas comuns.

Além de evitar a resistência da bactéria, outro ponto importante de se respeitar a receita médica é para evitar os efeitos indesejados do antibiótico. Esses medicamentos podem causar diarreia e alergias e, quando usados inadequadamente, os sintomas podem ficar mais fortes.

Ninguém melhor do que o pediatra para tratar os problemas de saúde dos nossos filhos. Nós, pais, não temos conhecimento técnico e científico para fazer a interpretação de receitas e, se tentarmos, poderemos colocar em perigo a saúde das crianças. Por isso, fica aqui a dica: respeite a receita que o pediatra ou outro profissional da área da saúde passar. Eles estudaram e se preparam para isso e são responsáveis por aquilo que receitam.

E para finalizar, quero deixar outras duas dicas bastante úteis em se tratando de antibióticos ou outros medicamentos:

  • Sempre que for prescrito um medicamento, questione o profissional da saúde que o receitou se há alguma recomendação específica para o uso (como ele ter que ficar armazenado em geladeira depois de reconstituído, por exemplo);
  • Não deixe jamais de ler a bula na íntegra. É nela que você encontrará todas as informações pertinentes sobre o medicamento. Não esqueça de checar a data de validade da medicação. Medicamentos fora do prazo de validade não devem ser tomados jamais.

Esse foi um post de alerta sobre a importância de se seguir a receita prescrita pelos pediatras e pelos profissionais da saúde que cuidam de nossos filhos, principalmente em se tratando de antibióticos, que são medicamentos extremamente importantes para a nossa saúde, mas também bastante sensíveis.

Esse post é um publi editorial, feito com o apoio da GSK, e faz parte da campanha #nãotrocopornada, que busca sensibilizar as pessoas sobre a importância de se respeitar as receitas médicas.

publi-incentivo