As 10 coisas que você não deve fazer com os filhos dos outros

As 10 coisas que você não deve fazer com os filhos dos outros


18 de Março de 2014

criancasHá alguns dias, recebi uma sugestão de post de uma leitora eu achei muito, muito, muito pertinente. Ela pediu que eu escrevesse sobre algumas coisas que a gente não deve fazer com os filhos dos outros. Um dos posts mais amados e odiados desse blog já segue essa linha, mas ele é voltado para recém nascidos (50 coisas que você não deve fazer, falar ou perguntar para uma recém mãe), então hoje eu resolvi fazer um texto voltado também para crianças maiores.

Sei que vou ouvir desaforos de novo, sei que vão me xingar de chata e exagerada, mas sinceramente… prefiro ser assim do que ser sem noção, intrusa e desagradável (eu respeito o filho dos outros, respeito os pais e todo mundo que estiver por perto. Bom, pelo menos tento).

Então, se você é pai ou mãe e acha que alguns desavisados andam rondando o meio que o seu filhote frequenta e colocando o bem estar e segurança dele (e a sua sanidade) em risco, não deixe de, discretamente, compartilhar esse post. Tenho certeza que muita gente irá se tocar (E o bom é que eu que vou passar por por chata. Já que você está simplesmente compartilhando um texto que achou “engraçadinho”. Hahá!)

Ah, e podem aumentar a lista, deixando as suas contribuições nos comentários. Outras mães agradecem!

  1. Não beije o rosto e mãos do bebê quando ele for recém nascido (eles levam às mãos à boca, caso alguém ainda não saiba)
  2. Não ofereça o seu peito para o bebê mamar (bizarro? Juro que duas pessoas me contaram que já viveram isso. Chegaram no local onde seu filho estava e foram informadas que outra pessoa o amamentou. Oi? Quase caí para trás!)
  3. Não ofereça qualquer alimento para a criança sem o consentimento dos pais (exagero? Que nada! Os pais tem o direito de decidir com o que alimentam os seus filhos e em qual idade determinados alimentos serão introduzidos na sua dieta. E mais do que isso, muitas crianças são alérigas e NÃO PODEM comer determinados alimentos. Então, se você está morrendo de dó e quer dar um docinho porque o coitadinho nunca provou, esqueça! Fale antes com a mãe ou não dê, simples assim! PS: e não tenha dó de uma criança que nunca provou isso ou aquilo. Tenha dó das que vivem se empanturrando de porcarias).
  4. Não dê comida para uma criança de um talher que já tenha passado pela sua boca ou boca do seu filho. Sim, muita gente tem a mania de comer algo e, automaticamente, colocar esse algo na boca da criança, para ela provar. Menos, né, gente? Se for oferecer (com o consetimento dos pais, lembram?) pegue um talher limpo. Obrigada!
  5. Não dê um bebê para outra criança segurar. Se seu filho quiser muito, muito, muito segurar o bebezinho que acabou de vir ao mundo, peça se a mãe permite e só faça isso se o seu filho estiver sentadinho e você dando o suporte necessário (sim, segurar um bebê é muita responsabilidade para uma criança).
  6. Não fume perto de uma criança. Primeiro porque faz mal à saúde, segundo porque é um péssimo exemplo.
  7. Não carregue uma criança no colo se você está “altinho(a)”. Ok, você foi na festa de família, tomou umas a mais, está animado e quer desfilar o sobrinho por aí, mostrando todo seu amor, carinho e consideração por ele. Faça isso, mas só depois que o “pilequinho” passar. Beleza?
  8. Não leve uma criança doente para ter contato com outras crianças. Se o seu filho está doente (febre, virose, etc…) faça um bem para todo mundo e não o leve para festinhas, encontros, escola… Seu filho e as demais crianças agradecem (criança doente quer e precisa descansar, lembram? E criança que está saudável não quer pegar a virose do amiguinho).
  9. Não compare o seu filho com o filho do outro e vice versa. Pelo bem dos dois. Cada criança é única, tem suas características pessoais e é especial a seu modo.
  10. Não rotule. Isso mesmo, não fale na frente dos pais ou, mais importante ainda, na frente da criança, que ela é brava, birrenta, preguiçosa ou o que quer que seja. Às vezes, é só um momento, às vezes é só uma fase, mas de tanto ficar ouvindo essas coisas a criança pode sim acabar desenvolvendo essa característica (Lembre-se: boca fechada não entra mosca!).

Atualizando com as sugestões das leitoras:

  • 11. Não coloque fotos das crianças nas redes sociais sem a autorização dos pais.

E tem a versão em vídeo também, com mais duas dicas inéditas. Confira!

Bom, agora que você já leu tudo, pode amarrar o meu nome na boca do sapo, falar mal de mim pelas próximas semanas e me xingar de louca e exagerada pelos próximos meses. Só não esqueça de seguir as dicas direitinho e se tornar um familiar ou amigo ótimo de se ter por perto.

E o que pode fazer com o filho dos outros afinal? Resta alguma coisa para fazer com a pobre criatura? Claro que sim, você pode alimentá-la, mas com o que os pais costumam dar para ela; você pode carregá-la no colo, desde que não esteja bêbado, tenha fumado ou esteja doente;  você pode brincar (muuuiiiiiiitto) com ela, enfim… você pode fazer tudo que dá vontade de fazer com uma criança, só respeitando os limites dela e dos pais.

E você, o que incluiria nessa lista? Deixe nos comentários abaixo.