Cárie de mamadeira

Cárie de mamadeira


25 de agosto de 2015

A cárie de mamadeira é um mal que acomete nada menos que 20% das crianças até 3 anos de idade. Na imensa maioria dos casos ela é originada por um fator: a mamada noturna da criança, seguida do sono sem fazer a devida higienização oral.

Os números não deixam dúvidas: apesar das orientações dos Odontopediatras, muitos pais ignoram a recomendação estrita de higienizar a boquinha do bebê antes de dormir. Vamos combinar que é muito prático dar a mamadeira, facilitar os arrotos e botar o bebê imediatamente para dormir, não é mesmo? A gente sabe que muitos bebês reagem à escovação, muitas vezes teimam em não abrir a boquinha. Forçar a escovação nessa hora inevitavelmente vai despertar o bebê que estava quase dormindo.

prausiam du savo dončius
Photo Credit: c r z via Compfight cc

Tudo isso é verdade, mas deixar o bebê dormir sem fazer a higienização é o caminho mais rápido para cultivar uma indesejada cárie de mamadeira. Lembra daquela velha lição de que não devemos deitar sem escovar os dentes? Pois é, ela vale também para os pequeninos.

Vamos entender como os resíduos de leite agem na boquinha do bebê.

Depois da mamada, o leite fica estagnado na boca da criança, principalmente nos dentes superiores. A saliva tem uma ação protetora dos dentes e ajuda a manter a boca limpa, mas durante o sono a quantidade de saliva diminui, o que favorece o rápido depósito dos resíduos e, logo, a instalação da cárie de mamadeira. A má higienização da boquinha do bebê faz com que a cárie se desenvolva com rapidez, causando notórios estragos nos dentinhos de leite.

LEITE MATERNO NÃO CAUSA CÁRIE MAS…

Talvez você se pergunte se cárie de mamadeira se desenvolve também com leite materno. Não, o leite materno não causa cárie nos dentinhos de leite, só o leite em pó ou o leite animal que alguns bebês tomam. Mas preste muita atenção no que eu vou dizer agora: o leite materno não causa cárie, mas outros alimentos, sim. O que quero dizer com isso? Se seu filho está mamando exclusivamente no peito não terá nenhuma propensão a desenvolver cáries. Mas essa afirmação não vale para sucos, papinhas e outros tipos de alimentos que eventualmente o bebê pode estar tomando ou comendo como complemento alimentar.

De fato, a partir dos 6 meses normalmente as mães começam a introduzir novos alimentos, como frutas, papinhas, sucos, como complemento ao leite materno. Esses alimentos contêm açúcar. Se seu/sua filho/a os come ou toma, ele/a poderá formar cáries mesmo que só mame leite materno. Você se lembra daquela equação danada (bactérias + resíduos de alimentos = placa bacteriana = desmineralização do dente = cáries) de que falei no artigo anterior? Se seu/sua filho/a comeu uma fruta e você não escovou os dentinhos dele/a, os restos de alimentos que ficaram nos dentes se juntarão às bactérias formando a placa bacteriana nos dentinhos do seu filho. O próximo passo, nós já sabemos, é a formação da cárie, que, no caso, não terá surgido por causa do leite materno, mas em função dos outros alimentos que a criança comeu.

Resumindo: enquanto seu/sua filho/a se alimentar exclusivamente de leite materno, sem nenhuma outra complementação alimentar, haverá risco zero de ele/a formar cáries. Mas se ele/a já toma sucos, come frutas e papinhas, abra o olho. Nesses casos, a higiene oral passa a ser obrigatória. Se ela não for feita corretamente, a chance de uma cárie se instalar será de 100%.

Poucos pais e mães têm coragem de acordar o bebê adormecido depois da mamadeira para escovar os dentinhos. Ok, eu sou mãe e entendo disso perfeitamente. Você demorou horas para fazê-lo/a dormir, enfrentou um alentado chororô e, afinal, ele/a pegou no sono; você sai do quarto pé ante pé, quase sem respirar para não correr o risco de acordá-lo/a. Eu sei como é isso.

Vamos combinar algo então. Se o seu filho dorme mamando (mamadeira ou peito), escove os dentes dele antes. Nesse caso, escovar significa fazer AQUELA bela higienização. Capriche! Mesmo que ele berre, mesmo que você tenha que segurá-lo. Você precisa remover toda e qualquer placa bacteriana que esteja incrustada nos dentinhos dele. Essa solução não é a ideal, mas já ajuda, porque a ação deletéria dos resíduos de leite não vão encontrar entre os dentinhos a placa bacteriana e assim os dois não poderão formar a parceria maligna (cárie).

OS MALES DA CÁRIE DE MAMADEIRA

A cárie de mamadeira pode provocar muita dor e atacar todos os dentes da criança num espaço de tempo assustadoramente curto. O que ela pode provocar? Anote: mau hálito, deficiência na mastigação e na fala, alteração nos dentes permanentes que estão se formando atrás das raízes dos dentes de leite, além de dar aos pequeninos uma estética feia. A evolução da doença é muito rápida e aqui cabe lembrar que o dente de leite está mais suscetível ao tratamento de canal porque as camadas (esmalte e dentina) que protegem o nervo do dente de leite são mais finas.

Fique sempre atenta. Se observar manchas brancas opacas ou amareladas e/ou cavidades nos dentinhos do seu/sua filho/a, não titubeie: leve seu/sua filho/a imediatamente ao Odontopediatra. Essa mancha branca opaca é o início da cárie.

Não dá para esperar. Muitas vezes a cárie que enxergamos no esmalte é, na verdade, muito mais profunda. É por isso que o Odontopediatra costuma pedir radiografias – para avaliar a profundidade da cárie.

O procedimento ideal é levar seu/sua filho/a de 6 em 6 meses para uma consulta com o Odontopediatra. Não será caro e você viverá tranquilo/a. Se surgir uma cárie, ela será diagnosticada antes de se desenvolver e será tratada com um tratamento mais conservador, sem chegar à obrigatoriedade de um tratamento de canal com a temida anestesia de dentista.

Outros fatores que provocam a cárie de mamadeira são o uso excessivo de açúcares na alimentação da criança ou então o hábito que algumas mães têm de colocar uma pitada de açúcar ou mel na chupeta para acalmar o bebê e fazê-lo dormir. Um conselho de Odontopediatra e de amiga: nunca faça isso!

VAMOS TROCAR A MAMADEIRA PELO COPO?

Com o passar do tempo a mamadeira deve ser substituída gradativamente pelo copo. Quando começar o processo substitutivo, adote alguns cuidados. Primeiro, saiba que todo processo de remoção de hábitos na criança deve ser lento e gradativo. Antes de remover a mamadeira, tenha certeza de que seu/sua filho(a) está apto a tomar líquidos no copo. Como descobrir isso? Não é difícil: primeiro, substitua apenas a mamadeira da tarde pelo copo. Quando perceber que seu/sua filho/a já toma no copo os 250 ml que antes tomava na mamadeira, avance o processo e substitua a mamadeira da manhã pelo copo. No momento em que ele/a estiver ingerindo 500 ml de leite por dia no copo, chegou a hora de substituir a mamadeira da noite.

Esse processo pode durar de 2 a 6 meses, dependendo da criança. Com que idade isso deve ser feito? Varia de criança para criança, mas o ideal é que o processo seja iniciado um pouco antes dos 2 anos de idade. Para facilitar a mudança, você pode recorrer aos copos com bico e tampa, também chamados de copos de transição.

Tudo bem até aqui? Então vamos repassar algumas dicas importantes:

  • Não adicione açúcarou mel ao leite da mamadeira nem os coloque em chupetas;
  • Capriche na escovação antes de dormir. Use um pouco de pasta de dente com flúor, já que o período da noite é mais suscetível ao surgimento de cáries;
  • Cremes dentais com gostinho saboroso e fantasiados com personagens preferidos das crianças costumam funcionar como bons estímulos à escovação;
  • Resista heroicamente à tentação: proíba que seu/sua filho/a consuma em exagero balas, doces, bolachas recheadas, chocolates e refrigerantes, principalmente no espaço de tempo entre as refeições. Se tiver de oferecer esse tipo de alimento, faça-o na sobremesa, higienizando a boquinha logo após;
  • A visita ao Odontopediatra deve acontecer a cada 6 meses para um exame preventivo, aplicação de flúor e orientação aos pais.

Cuide bem dos dentinhos do seu/sua filho/a. Eles serão fundamentais para a saúde geral e bucal dele/a – e com certeza garantirá belos e inesquecíveis sorrisos no futuro.

Um abraço,

Dra. Juliana Marchi

Especialista em Ortodontia e Mestre em Odontopediatria

Porto Alegre (RS) Fone: (51) 3573-4777