Como adormecer um bebê sem ser mamando no peito

Como adormecer um bebê sem ser mamando no peito


24 de outubro de 2014

No seu último post da coluna Sono e Pós-parto, a colunista Marcia Horbacio deu dicas de como fazer o bebê dormir sem ser embalado ou mamando. Mas as leitoras sentiram falta de informações mais detalhadas de como fazer os pequenos dormirem sem ser mamando, já que o post abordou mais a questão de como fazê-los dormir sem ser embalados.

Pois bem, hoje, a Márcia está de volta para dar dicas de como fazer as crianças dormirem sem ser mamando no peito. E, o mais importante, de como fazer isso sem envolver mal estar ou traumas. Como sempre, um texto claro, informativo e cheio de informação dessa nossa querida colaboradora. Confiram! Boa leitura!

dicas para fazer o bebe dormir sem ser mamando no peito
Photo Credit: pabIo via Compfight cc

Como adormecer um bebê sem ser mamando no peito

Por Marcia Horbacio

Mamães, aqui estou eu de novo, pois sei que algumas de vocês sentiram falta de mais informações no último post publicado, o qual tratava sobre associação de sono com o peito, e eu já suspeitava que isso fosse acontecer. Bom, suspeitava não só porque a associação peito – sono  é uma associação bastante comum, mas também porque eu não dei informações suficientes e houve uma razão para isso! Esse é um assunto longo e há maneiras diferentes de tratá-lo, então, eu planejei uma série de artigos sobre esse tema e vou começá-los hoje.

Como vocês devem saber, sou mãe de quatro meninos,  todos já adultos. Hoje, o mais novo tem 21 anos. Tive a sorte de, na época do nascimento do primeiro, ter uma pediatra que já há 33 anos era a favor da amamentação exclusiva até os 6 meses e, através desses maravilhosos ensinamentos dela, fui em frente amamentando todos o máximo que pude. O apoio dela foi fundamental para mim que só tinha 16 anos na época do nascimento do primeiro. Agora, imaginem eu, aos 16 anos, brigando com a minha mãe que queria que eu desse fórmula para o bebê logo nos primeiros dias e eu lá seguindo as instruções da pediatra e dando o peito o tempo todo até ele pegar (ele nasceu um pouco prematuro, mas não muito) .

Alguns  anos mais tarde,  me tornei doula pós-parto e consultora de sono materno-infantil e, durante o processo da minha formação, tive o privilégio de fazer um curso de aleitamento com ningúem menos que Jack Newman, o pediatra mais conhecido no Canadá por apoiar o aleitamento e dar suporte a mães e a doulas (para que essas dêem  assistência e apoiem a amamentação exclusiva ou quase exclusivamente de bebês  gêmeos e trigêmeos). Com a equipe dele,  aprendi a ajudar uma mãe a lactar quando ela não é a mãe biológica, a ficar lado a lado com as mães de múltiplos nos momentos mais difíceis, quando elas pensavam em desistir de tudo, e a ter o desejo de entender e estudar cada vez mais o assunto.  Foi uma jornada e tanto  e ainda  tem sido porque ainda trabalho como doula pós-parto aqui em Toronto, onde vivo,  com famílias de bebês múltiplos dando assistência na amamentação.

Por toda essa experiência como doula  e por tudo que vivi com meus filhos que são hoje 4 homens saudáveis,  e   quatro mamma’s babies  como dizem minhas noras aqui, sou apoiadora incondicional do aleitamento materno, da livre demanda e do aleitamento exclusivo até pelo menos 6 meses de idade. Estou contando a vocês tudo isso para que vocês saibam que o assunto que vamos abordar aqui não tem nada a ver com negar o peito ao seu bebê quando ele precisa mamar para se alimentar ou até mesmo para acalmá-lo e confortá-lo. Dormir no peito também é natural e hoje já sabemos que o leite materno tem substâncias que induzem o sono. Mas em alguns casos, mamar para dormir pode ser uma preocupação para a mãe porque o bebê não consegue dormir senão no peito , e ela está perto de precisar voltar ao trabalho ou ela percebe que o bebê, mesmo vindo mamar no peito, está exausto por interromper os ciclos de sono muitas vezes à noite, sempre querendo mamar ou  “chupetar” para voltar a dormir. A essas mamães que desejam ajuda, estou aqui hoje para dar meu suporte explicando o mais detalhadamente possível quatro técnicas de mudança dessa associação de sono. Como cada técnica é um pouco longa, resolvi dividi-las em dois artigos.  O de hoje vai falar de duas técnicas específicas: uma para bebês de todas as idades e uma outra mais específica para crianças acima de 18 meses, que já são capazes de entender o que a mamãe fala. Não deixe de acompanhar o próximo artigo que vai falar de mais duas maneiras de disassociar o peito da hora de dormir. Vale a pena informar-se sobre todas as opções disponíveis e depois escolher a que funciona melhor para você.

Vamos começar pela primeira técnica, que serve para crianças de todas as idades.

1. Escolha pela substituição da associação do peito por outra (colo do papai, colo da mamãe com balanço, shushing e ruído branco para depois ir eliminando um por um)

Lembre-se que o objetivo aqui é fazer o bebê adormecer sem peito. Depois podemos partir para a eliminação gradual de outras associações que ele criou substituir o peito na hora de dormir.

Vamos fazer assim: Alimentamos o bebê sempre que for a hora que você sabe que ele realmente sente fome. Por exemplo: um bebê de seis meses pode estar mamando na hora de dormir, uma ou duas vezes a noite e de manhã. Vamos dizer que essas são as vezes que você sabe que ele sente fome ou que são as vezes que você deseja que ele mame. As outras vezes que acorda , ele suga um pouco e volta a dormir logo. Você vai, então, se preparar para alimentar nas horas de fome e vai passar o bebê para o papai na hora que ele chorar querendo o peito e o papai vai acalentar. Se ele chorar, lembre ele está acolhido e no colinho do papai.

Muitas mães falam para mim que o bebê fica muito zangado quando o papai vem e ele percebe que não vai mamar. Fique firme e deixe o papai fazer o papel dele. O seu bebê está acolhido, no colo do papai, e pode ter certeza que ele não vai ficar zangado por muito tempo. O que acontece muito é que a mamãe tenta fazer isso uma noite e, como ele chora, ela desiste. Lembre mamãe: seu bebê está aprendendo a se acostumar com uma nova maneira de dormir e é natural que ele reclame. Mas ele não está só, está acolhido, no colo do papai. Não faça uma noite, faça algumas noites e vai notar que valeu a pena. Normalmente, lá pela terceira ou quarta noite, ele protesta muito menos, às vezes nada! Vocês não tem idéia de como eu recebo emails de mães totalmente surpresas com suas conquistas porque conseguiram chegar na terceira ou quarta noite e o bebê passou a dormir sem precisar mamar o tempo todo!

Se você não tiver a ajuda do papai, ao invés de dar o peito, coloque o bebê no colo e entre vocês dois coloque uma camiseta que o papai vestiu o dia todo. Pode balançar, acalentar, mas não dê o peito para fazê-lo dormir.

Se durante esse processo no colo do pai ou da mãe ele começar a chorar muito, ficar muito estressado,  você então deve ceder e dar o peito para acalmar seu choro . Mas, veja bem, para acalmar e não para ele adormecer lá. Evite fazer isso o tempo todo, mas principalmente nas duas primeiras noites, faça se realmente precisar.  

A surpresa é que se você perseverar, sem choro e sem traumas, ele começa a acordar menos.

Vou lhe contar o segredo dessa abordagem: paciência e determinação por pelo menos três ou quatro noites e você vai ter uma surpresa!

2. Abordagem do convencimento – Essa abordagem é para usar com crianças que já entendem o que você fala.

Durante o dia, comece a conversar com seu filho dizendo que, quando ele acordar à noite, tem que esperar ficar claro para poder mamar porque o leitinho agora está fazendo. Não subestime a capacidade do seu filhinho entender. Com atenção, carinho e conversas  durante o dia, já consegui que muitas crianças mudassem sua maneira de dormir à noite.

Depois de uns três dias conversando durante o dia  sobre não mamar quando não está claro, comece na primeira noite , toda vez que ele acordar, explicando  que o leitinho ainda está fazendo dentro do peito da mamãe. Se ele dormir na mesma cama com você, vire para o lado e fale, daqui a pouco OK? E de novo, mais tarde quando ele acordar, diga que o leitinho ainda está fazendo. E vá dizendo quando ele acordar, ainda não está pronto. Se ele dormir na cama dele, vá até ele e diga a mesma coisa. Diga que vai vir de manhã assim que o peito tiver leitinho pronto para ele. Se ele chorar, fique ao lado, sem conversar muito apenas lembrando “o leitinho está sendo feito…”

Quando usar essa abordagem, não esqueça de conversar com ele durante o dia, explicando que à noite não tem leitinho, que o leitinho está sendo feito e que ele tem que esperar o dia clarear para poder mamar. Se você tiver paciência, vai se surpreender com o poder das suas palavras. Não precisa negar, apenas diga : “daqui a pouco”.  E em poucas noites de paciência e determinação você vai ver a diferença.

No próximo artigo, vou falar de mais duas técnicas que vocês podem usar. Mamães, acreditem, funciona se vocês perseverarem. E tudo isso, sendo feito de maneira calma, carinhosa e com respeito não trará malefícios e nem traumas para a criança.

Colunistas MdM Marcia- sono. - NOVO 25.08cdr