Como conseguir gratuitamente a fórmula especial para bebês com APLV | Macetes de Mãe

Como conseguir gratuitamente a fórmula especial para bebês com APLV


30 de agosto de 2012
Como já comentei aqui anteriormente, o Léo tem APLV – Alergia à Proteína do Leite de Vaca. Pois bem, hoje fui até o Ambulatório Regional de Especialidades Maria Zélia, na Zona Norte de São Paulo, para retirar as 15 latas mensais às quais ele tem direito (fornecidas pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, gratuitamente).
Agora que passei por todo o processo para conseguir o leite, que sinceramente, não é muito complicado, contrariando o que normalmente é a realidade da saúde pública no nosso país, divido com vocês os detalhes, pois tais informações poderão ser úteis para outras mães e pais.
 
Minha sugestão, antes de mais nada, é levar o bebê com suspeita de APLV para uma consulta com um gastropediatra ou num alergologista (no nosso caso levamos no gastro). A pediatra do Léo já havia dado o diagnóstico, mas ter a confirmação de um médico especializado nos deixou mais seguros quanto ao problema. Além disso, gastropediatras ou alergologistas costumam conhecer bem todo o procedimento para a requisição do leite junto à Secretaria de Saúde o que facilita a vida dos pais.
 
No estado de São Paulo, os documentos necessários para a PRIMEIRA SOLICITAÇÃO da fórmula de aminoácidos especial para bebês e crianças com APLV são:
 
– Ficha de avaliação para fornecimento de Fórmulas Infantis Especiais preenchida pelo médico (gastropediatras ou pediatras alergiastas costumam ter essa ficha e saber exatamente como preenche-la, mas se o seu pediatra não a possui, é possível baixar o arquivo através desse link:http://www.saude.sp.gov.br/ses/acoes/assistencia-farmaceutica/protocolo-clinico-da-dispensacao-de-formulas-infantis-para-pacientes-com-alergia-a-proteina-do-leite-de-vaca)
– Relatório Médico justificando necessidade de Fórmulas Infantis Especiais;
– Xerox dos exames do paciente (se houver);
– Receita médica em duas vias, carimbada e assinada;
– Xerox da certidão de nascimento do paciente;
– Xerox do comprovante de residência;
– Xerox do CPF e do RG dos pais (ou Carteira de Habilitação que tenha essas informações impressas);
– Xerox do Cartão Nacional de Saúde (Cartão SUS – Sistema único de Saúde) do paciente.
 
IMPORTANTE 1: aqui vai uma dica super valiosa! Com esses documentos é possível fazer a solicitação da fórmula infantil, mas não é possível já retirar as latas de leite na hora, só após 30 dias. Para que o posto libere as latas já na primeira solicitação é NECESSÁRIO que o médico forneça um documento extra informando o caráter de URGÊNCIA da entrega da fórmula. Sem que o médico faça esse atestado (que pode ser escrito em folha de receituário médico mesmo) e sem que contenha as expressões “urgente” ou “em caráter de urgência”, o posto de saúde não irá liberar a fórmula no momento da solicitação. Por sorte, meu médico tinha esse conhecimento e já me forneceu esse documento, o que fez com que eu saísse do posto de saúde com as 15 latinhas para o Léo.
 
Depois de 30 dias da primeira solicitação, o pai e a mãe poderão retirar novamente a fórmula. Dessa vez, não é necessário levar toda a documentação de novo, apenas uma folha que é fornecida pelo posto e uma cópia da receita que foi entregue pela primeira vez (o próprio posto entrega tudo isso grampeado e certinho para nós e passa a orientação toda).
 
IMPORTANTE 2… é legal que um médico experiente no assunto dê o diagnóstico do problema e faça o encaminhanto de toda a documentação pois alguns detalhes chatinhos, que normalmente só eles conhecem, deverão ser observados. Por exemplo, na receita não deve conter o nome do leite em pó (Neocate) mas apenas a descrição “Fórmula de aminoácidos livres”. Além disso, no formulário que o médico preenche tem que ser informado o número específico do médico junto ao SUS, algo que nem todos os médicos possuem. Enfim… detalhes que médicos que estão acostumados com esse tipo de solicitação já sabem de cor e salteado.
 
Abaixo o endereço de onde a fórmula poderá ser retirada na cidade de São Paulo:
 
Ambulatório Regional de Especialidades Maria Zélia da UNIFESP
Rua Jequitinhonha, 360, Belenzinho, São Paulo – SP (Zona Norte. É fácil de chegar, via Marginal Tiete)
Telefone: 3583-1900
 
Dica: chegue no local até 7h30min da manhã, no máximo. Dessa forma, você será atendido mais rápido. Se passar desse horário, você poderá perder horas por lá.
 
OBS.: Cada estado tem um procedimento diferente para liberação de fórmulas infantis especiais. Verifique informações relativas ao seu estado, caso esteja fora de São Paulo.
 
Leia mais a respeito desse tema: