Cadeira de alimentação do bebê

Como escolher a cadeira de alimentação do bebê


10 de junho de 2013

Vira e mexe eu recebo um e-mail ou alguém entra lá no grupo de discussão Macetes de Mãe pedindo dicas para escolher a cadeira de alimentação do bebê. Eu, particularmente, não tive muitas dificuldades nessa escolha. Decidi que que iria comprar um cadeirão e não uma cadeirinha de acoplar (meu apartamento comportava mais esse trambolhinho), que não o iria trazer dos EUA mas comprar por aqui mesmo (muito grande para trazer de lá) e aí só faltava escolher o modelo.Para decidir o modelo, também foi muito simples. Fui até uma loja e escolhi um cadeirão levando em conta, principalmente, o seu custo x benefício (e confesso, sem na época entender muito bem sobre o que era bom ou ruim, necessário ou dispensável). Só que por sorte, acertei na escolha. Escolhi um cadeirão que atende super bem as minhas necessidades e do Léo e não deixa a desejar a nenhum modelo super-hiper-mega-ultra equipado (apesar do seu modelo ser simplesinho e ter saído em conta).

Bom, agora que já tenho uma boa experienciazinha no assunto (meses usando o negócio), me sinto confortável para compartilhar algumas dicas com vocês.

Abaixo, tudo que você precisa saber antes de fazer a escolha da cadeira de alimentação do seu bebê. Espero que ajude!

Por que ter uma cadeira de alimentação para o bebê:

Porque é importante o bebê se acostumar, desde cedo, com um lugar para fazer as suas refeições. Não que ele não possa sair desse lugar de vez em quando, até porque ele faz várias refeições fora de casa, mas para ajudar na criação da sua rotina de alimentação. Bebês funcionam na base da rotina (que pode ser quebrada de vez em quando, mas é importante que ela exista) e quando ela está estabelecida, eles tendem a ficar mais calmos, pois já sabem o que esperar de cada situação, e a cooperar mais. Assim, a cadeira de alimentação ajuda a estabelecer a rotina da alimentação (estou aqui então sei o que vou fazer agora) e, por consequência, ajuda papais e bebê nessa nova experiência.

O que levar em conta na hora de escolher a cadeira de alimentação do seu bebê:

Basicamente, três quesitos devem ser levados em conta na hora de escolher o modelo da cadeira de alimentação:

  • Espaço disponível na casa/apto: não adianta você sonhar com um cadeirão enorme e cheio de funcionalidades se você vive em um apartamento minúsculo. Antes de você escolher se vai querer um cadeirão ou uma cadeirinha compacta de acoplar à mesa ou cadeira, é importante levar em conta essa questão (se falta espaço onde você mora, também lembre-se de ver o tamanho que o cadeirão escolhido fica quando fechado, caso você opte por essa alternativa).
  • Verba disponível: esse não é um dos itens mais baratos do enxoval do bebê. Muito pelo contrário! Já cheguei a ver cadeirões que custavam mais de 2.500 reais (uma insanidade). Então, é importante você decidir um valor que poderá ser investido nesse item antes de fazer a escolha do modelo e marca.
  • Seu estilo e preferências: aqui você deve parar e pensar o que você busca num modelo de cadeira de alimentação, além dos itens já citados acima (tamanho e valor). Nesse quesito se encaixam: estilo (clean, cheio de “fru-frus”, modernoso,…), componentes (cheio de detalhes e acessórios ou bem básico), cor (cor que tenha a ver com o sexo da criança ou cor neutra, que serve para ambos os sexos), entre outros,…

O que não pode faltar numa cadeira de alimentação:

  • Segurança: independente do modelo, ela deve ser segura. Se for cadeirão, não pode ter o risco dele tombar, se for cadeirinha compacta, dessas de acoplar em cadeiras ou mesas, ela deve prender com facilidade e ficar bem firme. Ambos os modelos não podem apresentar nenhum perigo para o bebê. Dê preferência a modelos que tenham cintos de segurança, se possível, de cinco pontos, pois há bebês mais ativos e corajosos, e aí, é melhor que eles estejam bem firmesinhos para não tentarem fugir da hora do lanche. Outro detalhe importante: escolha modelos que tenham o retentor entre pernas, e ainda daqueles mais larguinhos e firmes (os bebês vivem tentando sair por baixo da bandeja. Bom, pelo menos o meu).
  • Conforto: a cadeira de alimentação não precisa ser uma poltrona de fofa e macia, mas deve ser minimamente confortável, afinal, o bebê vai se alimentar ali e ninguém gosta de comer quando está desconfortável. Assim, sugiro escolher um modelo que tenha uma cobertura acolchoada, macia e fofinha.
  • Facilidade para limpar: escolha um modelo que contenha somente (ou a grande parte) de peças com material impermeável (veja, principalmente, se o acento é coberto com esse material). Além disso, o modelo não deve ter muitos detalhes que atrapalhem na hora da limpeza (vocês não imaginam onde bebês conseguem jogar, enfiar, introduzir restos de alimentos). Se possível, escolha uma cadeira que solte com facilidade as partes que costumam sujar com mais frequência, como a bandeja da cadeira. Há alguns modelos que possuem duas bandejas, uma em cima da outra, e a de cima pode ser retirada para lavar.
  • Cor neutra: na minha opinião, o ideal é comprar a cadeira de alimentação numa cor neutra, por dois motivos. Primeiro, porque esse negócio de rosa para meninas e azul para meninos não está com nada e porque, mesmo que você seja super a favor disso, se escolher esse item numa cor neutra, não vai querer/precisar comprar outro quando o segundo baby chegar (se for do sexo oposto do primeiro). Economia! Economia, minha gente!

O que acho desnecessário numa cadeira de alimentação (na minha opinião):

  • Opção de reclinar: eu, particularmente, acho isso desnecessário, pois como a intenção da cadeira é servir como lugar para o bebê comer, creio que uma posição só, sentandinho, é suficiente. Mas há modelos que oferecem essa opção e talvez você possa preferir. Mas só para você saber: o modelo que eu escolhi por acaso tem (eu nem sabia) e eu nunca usei.
  • Ajustes de altura: há modelos que tem opção de ajuste de altura da cadeira, da bandeja e de outros acessórios, mas também é desnecessário, na minha opinião (é interessante, mas não tenho e sobrevivo muito bem sem).
  • Rodizios: rodizios são rodinhas nos pés da cadeira. São interessantes, mas não necessários, também. Eu não sinto falta nenhuma por não tê-los, até porque acostumei o Léo a comer sempre no mesmo lugar e não preciso ficar arrastando o negócio de um lado para o outro.
  • Música: algumas cadeiras também vem a opção de som/música, para o bebê se entreter. Acho que não vale o custo. Meeeeeeesmo!
  • Brinquedos: alguns modelos vem com brinquedinhos acoplados. Desnecessário. Só para gastar mais dinheiro também (se quiser, você mesma pode dar um brinquedinho para o bebê brincar na hora que está comendo, o que não indicado, mas muitas vezes faz-se necessário).

Alguns modelos disponíveis:

Fiz uma breve pesquisa para levantar alguns modelos de cadeira de alimentação disponíveis no mercado. Vamos a eles:
Cadeirão Standard Galzeano
Nunca cheguei a testar, mas sei que é bastante comercializada. Parece ter uma estrutura bem segura (base dos pés larga, tem cinto) e ser fácil de limpar (o acento é de material impermeável). Os pontos negativos, pelo que vi, é que ela não é tão confortável (o encosto é um pouco estofadinho, mas o acento não) e o retentor entre pernas é bem fininho (prefiro que seja mais larguinho e firme, pois isso é super importante, na minha opinião).
Preço deste modelo: de R$ 130 a R$ 170 (de acordo com o site Buscapé)
Cadeirão Merenda Burigotto
Um modelo um pouquinho mais completo que o anterior: tem opção de reclinar (que acho desnecessário), possui duas bandejas sobrepostas (o que ajuda na hora de limpar) e o retentor entre pernas (que acho super importante) me parece mais seguro que o do modelo acima.
Esse é o modelo que eu escolhi e acho um ótimo custo benefício. Ela é segura e confortável e seu preço não deixa a gente pobre).
Preço deste modelo: de R$ 250 a R$ 280 (de acordo com o site Buscapé)
Merenda Burigotto – o cadeirão que eu escolhi, super na sorte, mas que deu certo. Não me arrependi.
Mamalove 5046 Burigotto
Outro modelo da Burigotto, que contém todos os detalhes que eu comentei no modelo Merenda e ainda alguns extra (que acho desnecessários): porta bebida retrátil, cinco posições para ajuste da altura, assento removível que pode ser usado como cadeira de descanso ou como assento de elevação e rodízios.
Preço deste modelo: de R$ 460 a R$ 540 (de acordo com o site Buscapé)
É super bonitinha, mas tem vários acessórios que a encarecem e são totalmente desnecessários.
Cadeirinha compacta para acoplar à mesa – modelo Easy Lunch Chicco
Esse tipo de cadeira é acoplado à mesa e tem como principal benefício o fato de ser super compacto (não ocupa lugar nenhum na casa) e de poder ser levado para ser usado em qualquer lugar (desde que a mesa seja firme).
Nunca cheguei a testar e também não conheço ninguém que tenha. Mas é uma alternativa para casas/apartamentos pequenos e para famílias que costumam comer bastante fora de casa.
Preço deste modelo da Chicco: R$ 289 (de acordo com o site Buscapé)
O modelo Easy Lunch da Chicco é acoplado a mesas. Super compacto e prático para quem costuma fazer várias refeções  com o bebê fora de casa.
 
Cadeirinha compacta para acoplar a cadeiras – modelo Fisher-Price Booster Leãozinho
Esse modelo acompla às cadeiras da casa. A vantagem é que é compacto, não ocupa o espaço de um cadeirão, mas, por outro lado, não é tão confortável e alguns modelos não podem ser usados por muito tempo.
Preço deste modelo da Fisher-Price: de R$ 180 a R$ 200 (de acordo com o site Buscapé)
Cadeirinha de acoplar da Fisher-Price, modelo Leãozinho.
Cadeira Bumbo
Esse modelo é um tipo de cadeira que é muito usado para “ensinar” os bebês a ficarem sentadinhos ou simplesmente como alternativa de lugar para eles ficarem enquanto ainda não sentam. Entretanto, há a opção de acoplar uma bandeja à cadeira Bumbo e aí ela vira também uma cadeira de alimentação. Ponto negativo: muitas mães comentam que bebês com perninhas mais grossas não conseguem usar a cadeira Bumbo. Além disso, ela também não pode ser usada por muito tempo, justamente porque a criança cresce e não cabe mais nela. E também, pelo que me parece, a bandeja dela é bem pequena. Eu, definitivamente, não compraria para o fim de cadeira de alimentação.
Cadeira Bumbo com bandeja de alimentação.
Uma observação final:
Há modelos de cadeirinha que acoplam à mesa bem mais em conta que esse da Chicco, então, pode ser uma boa opção para quem quer economizar na grana e no espaço. Já os modelos que acoplam a cadeiras, costumam só economizar espaço, já que o seu valor é muito similar aos cadeirões que, na minha opinião, são bem mais interessates, já que são mais confortáveis, podem ser usados por mais tempo e me dão a impressão de serem mais seguros.

Leia mais sobre esse tema em outros sites e blogs: