Como montar o quarto do bebê já pensando que ele vai crescer | Macetes de Mãe

Como montar o quarto do bebê já pensando que ele vai crescer


16 de setembro de 2017

O texto de hoje, com dicas para montar o quarto do bebê já pensando que ele irá crescer, é de autoria da Fabiana Visacro, psicóloga e decoradora, especializada em design de interiores, que já colaborou com o blog antes dando dicas de decoração para estimular a autonomia das crianças e dicas de decoração que ajudam as crianças a organizarem e guardarem brinquedos.

Confira!

Photo Credit: Paintzen Flickr via Compfight cc

Como montar o quarto do bebê já pensando que ele vai crescer

Por Fabiana Visacro

Nenhum ambiente de uma casa é mais sonhado que o quarto de um bebê. Muitas vezes, antes mesmo do filho estar a caminho, os futuros papais já possuem em mente todo um planejamento de como será aquele lugarzinho especial. Nessas horas de sonho e empolgação, é normal quase não considerar que o bebê vai crescer. E é num piscar de olhos.

A dificuldade de alguns pais de se desapegarem do tão desejado quartinho pode adiar o momento de transição, o que não é legal para o pequeno. O bebê, afinal, precisa se desenvolver e o ambiente onde ele vive é um grande aliado de seu desenvolvimento cognitivo.

Para tornar essa fase de transição mais tranquila, uma excelente alternativa é, na hora de executar o quarto do bebê, já pensar em elementos que podem se transformar ou ganhar novas funções. O trocador de fraldas, por exemplo, pode ser uma bancada de altura regulável que, mais tarde, poderá se transformar numa mesa de estudos. A poltrona de amamentação, pode ganhar um novo revestimento e se tornar uma poltrona de leitura, em outro cômodo da casa. É possível, até mesmo, encontrar no mercado berços que se transformam em mini-camas.

O berço, aliás, costuma ser o grande motivo de insegurança por parte dos pais. Permitir que o filho passe a dormir em uma cama é, sem dúvidas, um grande passo. Escolher camas baixinhas e que, num primeiro momento, tenham grades, é a melhor maneira de fazer essa mudança sem traumas. Assim, os pais ficarão tranquilos quanto à possibilidade de uma queda e as crianças se sentirão mais segura e independentes, ao se perceberem capazes de sair sozinhas da cama.

Claro que proporcionar esse tipo de autonomia à criança requer uma série de cuidados. A partir do momento em que o pequeno puder sair sozinho da cama, é prioritário cuidar para que no quarto não haja nada que possa lhe causar algum risco. Por outro lado, deixar alguns brinquedos ao seu alcance poderá estimular sua independência. Um tapete emborrachado também é uma boa pedida para trazer um colorido ao quarto e garantir conforto e segurança nesta fase de descobertas.

No mais, é aproveitar muito mais esta etapa da vida do filhote que (também!) passa voando.