Dicas para a transição do banho de banheira para o banho de chuveiro

Dicas para a transição do banho de banheira para o banho de chuveiro


18 de novembro de 2014

Na semana passada, resolvi começar a dar banho no Leo de chuveiro. Sim, com 2 anos e meio eu ainda dava banho nele naquelas banheiras com suporte e, além dele quase não caber mais lá, já estava bem perigoso por conta do peso dele (a indicação é que se use esse tipo de banheira até um ano ou 10/11kg. Eu passei bastante disso, mas jamais deixei o Leo dentro da banheira sem supervisão).

Confesso que, nesse caso, eu optei pela praticidade e por isso eu demorei tanto para tirá-lo da banheira. Para mim, era fácil colocá-lo lá e não ter que me agachar para dar banho. Só que agora, já no sétimo mês de gestação, levantá-lo não é a coisa mais fácil desse mundo e aí tive que mudar a dinâmica da coisa.

dicas para banho de chuveiro
Photo Credit: Rafael Peñaloza via Compfight cc

Como nunca tinha pensando muito no assunto, no primeiro dia que resolvi dar banho “de chuveiro” eu simplesmente coloquei a banheira no chão, coloquei o Leo dentro e abri o chuveirinho para banhá-lo. Achei que seria simples, que só eu que teria que me adaptar a esse novo formato, ele não. Mas que nada, eu estava errada! Leo estranhou muito a novidade, chorou bastante, queria sair a todo custo do box do banheiro e eu resolvi pedir ajuda aos universitários.

O que eu fiz? Publiquei um post na fanpage do Macetes de Mãe pedindo dicas de como passar o banho de banheira para o banho de chuveiro e, como sou muito querida (risos!) contei com a super colaboração das minhas amadas leitoras.

Foram, ao todo, mais de 1000 (isso mesmo, mil!) comentários dando dicas e compartilhando macetes  E é claro que eu anotei tudinho (muita informação se repetiu, é claro), coloquei várias coisas em prática (outras não foram necessárias, mas compartilho aqui) e em mais dois ou três dias o nosso banho de “chuveiro” não era mais uma guerra.

Assim, abaixo, compartilho com vocês as dicas e sugestões passadas pelas leitoras e, no final do texto, explico brevemente como é que eu estou fazendo e o que tem funcionado para a gente. Espero que curtam! Acho que o post ficou bem completinho e com muita dica simples, mas bem útil.

Dicas que ajudam na hora de passar os pequenos para o banho de chuveiro:

  • Forrar o chão do box com algum material anti-derrapante para a criança não se sentir insegura quando pisar no chão molhado e também não escorregar  (tapetes EVA ou de outro material anti-derrapante);
  • Seguir a técnica da transição, sempre muito indicada em se tratando de qualquer mudança na rotina da criança. Nesse caso, a sugestão é manter a banheira (ou usar uma bacia grande) no chão por um tempo e colocar a criança dentro dela, primeiro sentada ou direto de pé (fizemos isso, mas com o Leo já direto de pé), até ela acostumar e ficar direto no chão (e aí, sempre sobre uma superfície anti-derrapante);
  • Se usar o chuveiro para dar banho, evitar que saia muita água para não assustar a criança e também evitar que ela caia direto sobre a cabecinha;
  • Se preferir algo ainda mais “suave”, dar banho de chuveirinho em vez de usar o chuveiro. Muitas crianças preferem e aqui em casa estamos fazendo assim.
  • Seguir sempre a mesma ordem do banho, para a criança não ter surpresas: cabeça, corpo e pé, que é a mais indicada para a higiene.
  • Levar brinquedos para o box do banheiro, para a criança se divertir enquanto toma banho. Dicas:
    • Potinhos para a criança encher e esvaziar de água  (ou usá-los para dar banho em algum boneco);
    • Brinquedos que “crescem” na água – Leo tem um peixinho e um dinossauro que, quando colocados na água por algumas horas, aumentam de tamanho e, quando ficam fora da água, voltam ao tamanho normal. Assim, todas noites levamos um dos dois para o banho para ele crescer até o dia seguinte (aí deixamos dentro de um potinho de água no final do banho).
    • Canetas que escrevem no azulejo (e depois saem);
    • Adesivos de silicone que enfeitam os azulejos e/ou o vidro do box;
  • Levar a criança para escolher alguns brinquedos novos que serão usados no banho;
  • Usar banquinhos, um para a criança e outro para quem está dando o banho (alternativa para o caso da criança se negar a sentar na banheira, sentar no tapete antiderrapante ou ficar de pé).
  • Na hora de lavar a cabeça, evitar a todo custo que caia água e sabão no rosto. Muitas vezes, a gente acha que se evitar só do sabão entrar não vai arder, mas a verdade é que só água no olho também dói.
  • Na hora de lavar o bumbum, partir para a brincadeira: pedir para a criança colocar a mão na parede, ficar de costas para quem está dando o banho e agachar um pouquinho.
  • Na hora de lavar os pezinhos, também brincar: pedir para a criança colocar a mão no ombro de quem está dando o banho (ou na parede) e falar algo como “dá o pé, loro”. Eles se divertem!
  • Quando terminar o banho, fazer uma festa com a criança. Se ela ficou com medo, falar que ela foi corajosa, que deixou a mamãe orgulhosa, etc… Se ela curtiu, falar que amanhã terá mais brincadeira para deixá-la empolgada com a experiência. E encher o(a) pequeno(a) de beijos, abraços e carinho para ele curtir cada vez mais a experiência.
foto banho chuveiro
Foto que uma leitora querida me mandou mostrando como ela montou o espaço de banho do filhote para ficar seguro e divertido (e ele adorou). Tem enfeite na parede, brinquedos especiais de banho, um tapete “passadeira” bem colorido (desses que se compra de metro e corta no tamanho certo) e também uma bacia para o pequeno sentar e brincar dentro, se quiser. O tapete, segundo ela, costuma mofar, mas como não é caro, dá para ir trocando quando necessário. Ah! E no espaço do ralo ela recortou um pedacinho para não acumular água. Adorei! Não ficou uma graça?

Como nós fizemos/estamos fazendo aqui em casa:

  • Coloquei um tapete anti-derrapante no chão, para o Leo não se sentir inseguro quando pisar no chão molhado;
  • Coloquei a banheira no chão, sobre o tapete (ele fica de pé dentro dela pois prefere);
  • Levei para a banheira vários brinquedinhos que ele curte (principalmente os bichinhos que crescem na água, que mencionei acima) e também potinhos para ele brincar com água.
  • Dou o banho na ordem cabeça, corpo pés. Na hora de lavar os pés, às vezes ele senta, outras ele segura no meu ombro e levanta a perninha. Vai do que ele está a fim de fazer no dia.
  • No final do banho, faço a maior festa com ele, dizendo que ele foi corajoso, que a mamãe está orgulhosa e ele fica todo feliz.
  • Não abri o chuveiro ainda. Dou banho nele usando o chuveirinho pois achei dessa forma mais “suave”. Quando partir para o chuveiro, vou deixá-lo com uma pressão de água menor, para não assustar.
  • Em breve vou tirar a banheira porque acho que o tapete anti-derrapante vai fazer com que ele se sinta mais seguro que a própria banheira (já que ele fica de pé dentro dela mesmo).

Bom, gente, acho que é isso. Dei dicas gerais, para vocês testarem e definirem o que funciona melhor por aí e também contei como a gente tem feito aqui em casa. Espero que essas ideias ajudem e que o processo de transição banheira-chuveiro seja bem tranquilo. Ah, e lembrando que muitos pais optam por tomar banho com os filhos de chuveiro desde muito cedo e que não tem nada de errado com isso. Pelo contrário. Se for prático e confortável para os pais, também é excelente para as crianças, que se divertem e têm o vínculo do banho criado de forma ainda mais forte (sim, a hora do banho é uma ótima hora para aproximar pais e filhos).