Dicas para preparar papinhas

Dicas para preparar papinhas


21 de fevereiro de 2014

Captura de Tela 2014-02-21 às 08.51.50Olá, mais uma vez, estou aqui para compartilhar com vocês algumas dicas para o preparo da refeição das crianças. E hoje é dia passar algumas informações importantes e úteis para o preparo de papinhas.

Boa leitura e bom proveito!

Que alimentos incluir em uma papinha completa

Para a papinha ser completa, ou seja, possuir todos os nutrientes que se fazem necessários nessa fase da criança, é importante que ela tenha pelo menos um ingrediente de cada um dos grupos abaixo:

  • Proteína: carne (sem gordura), peito de frango (sem pele), peru, peixe ou ovo. Sendo que estes dois últimos só devem ser introduzidos com a autorização do pediatra, normalmente após 6 ou 12 meses de vida.  (Veja, no fim desse post, dicas para o cozimento do ovo).
  • Hortaliça ou legume: acelga, alface, folha de beterraba, espinafre, vagem, cenoura, beterraba, brócolis, couve, repolho, aspargo, couve-flor, chuchu, couve de bruxelas, abobrinha (desse grupo você pode escolher até três ingredientes).
  • Tubérculo ou cereal: batata, mandioquinha, inhame, mandioca, cará, abóbora, arroz, semolina, aveia, cevada, centeio, milho, …
  • Leguminosas (proteína vegetal): ervilha, feijão, soja, grão-de-bico, lentilha…

Sugestões:

  • Não coloque muitos ingredientes na mesma papinha para que todas elas não fiquem com o mesmo gosto
  • Os grupos A e D fornecem proteína, portanto não é necessário colocar ambos em todas as receitas. Mas, se quiser usar os dois, pode usá-los só que em menor quantidade.

Como preparar a papinha

O método de cozimento mais saudável para o preparo de papinhas é o a vapor, que mantém melhor os nutrientes dos alimentos. Entretanto, se você não tem uma panela que permita esse tipo de preparo, a dica é cozinhá-los em água, desde que esta esteja em menor quantidade (só ate a metade dos ingredientes que estão na panela).

Dessa forma, você cozinha os alimentos também no vapor que irá se formar dentro da panela e a pouca água que sobrar no recipiente poderá ser usada para o preparo da papinha. Ou seja, você não perde nenhum nutriente.

Nesse tipo de cozimento a dica é manter o fogo alto até que a água começa a ferver e aí, então, baixá-lo e manter a panela fechada até que os alimentos estejam no ponto.

Assim que estiverem prontos, basta tirá-los e esmagá-los com o garfo e, depois, misturar um pouco da água que ficou na panela até os ingredientes atingiem a consistência desejada.

No início da introdução das papinhas amassa-se mais os ingredientes cozidos, tendo como resultado uma consistência bem cremosa, com poucos pedacinhos. Depois, aos poucos, a dica é ir amassando cada vez menos, resultando em uma papinha mais consistente e pedaçuda.

Em se tratando de frutas, a dica é amassar a banana, o mamão e o abacate e ralar a pera e a maçã.

Frutas difíceis de amassar ou ralar, como pêssego, abacaxi, ameixa, uva ou damasco, podem ser cozidas (no vapor ou em pouca água) e depois processadas no liquidificador (mas sempre com o mínimo de água).

Para o preparo e introdução do ovo:  Cozinhe-o por 15 minutos, para ficar bem duro (e para evitar intoxicação por bactérias como a salmonela). Depois, ofereça apenas 1/4 da gema (e nada da clara). Aos poucos, vá aumentando a quantidade até oferecer a gema completa. Por fim, introduza a clara picada, também aos poucos. É importante esse cuidado na introdução do ovo (introdução aos poucos) pois o ovo é um alimento bastante alergênico e que deve ser testado antes da sua introdução completa.

Mayra Abucham

foto sobreMayra Abucham é engenheira de alimentos e chef de cozinha, autora do livro “O que fazer para meu filho comer bem?” e mãe de quatro filhos: Pedro, Julia, Francisco e Felipe. Durante cinco anos, atendeu e orientou famílias que buscavam o prazer de comer bem (através da Dedo de Moça) e é atualmente consultora em alimentação infantil (na Dedinho de Moça). Seu vasto conhecimento teórico e prático em alimentação saudável a levou a integrar o time de profissionais do quadro “Meu filho não come”, do programa Bem Estar da Globo, ajudando crianças com seus problemas alimentares através de um approach lúdico, que tem como diferencial o envolvimento das crianças em todo o processo da alimentação.