Bebês e crianças - Dicas para um sono seguro e tranquilo

Bebês e crianças – Dicas para um sono seguro e tranquilo


21 de novembro de 2014

Mamães, no post de hoje da sua coluna Sono e Pós-Parto a consultora de sono e doula pós-parto Marcia Horbacio irá abordar um assunto bastante importante em se tratando de bebês e crianças: a segurança na hora de dormir.

Com informações precisas e dicas valiosas, a Marcia aborda o tema de forma direta, gostosa e muito clara. Boa leitura e bom proveito!

Promovendo um sono seguro para o seu bebê

Por Márcia Horbácio

para um sono tranquilo e seguro
Photo Credit: Scott Smith (SRisonS) via Compfight cc

Para o post de hoje, escolhi um dos temas mais importantes em se tratando do sono de bebês e crianças – a segurança – e abaixo, trago oito aspectos que vocês devem observar para garantir que a hora de dormir dos seus pequenos – e de vocês também – seja sempre tranquila.

Dica 1: A Academia Americana e a Academia Canadense de Pediatria recomendam que o bebê seja sempre colocado para dormir de barriga para cima, numa superfície firme, sem cobertores ou travesseiros que possam sufocá-lo. Se um cobertor for mesmo necessário, que seja um cobertor com furinhos, por onde o ar possa passar. E lembre-se que ambientes mais fofos, como sofás, colchões de água e poltronas também não são lugares adequados para o bebê dormir.

Dica 2: Um bebê superaquecido corre um risco maior de sofrer a Síndrome da Morte Súbita do Lactente, (a morte repentina de um bebê saudável), que é uma das causas líderes de morte de bebês entre 2 e 4 meses, principalmente nos países mais frios). Assim, sempre, certifique-se de que a temperatura do ambiente está entre 21 e 24 graus. Se está confortável para você, estará confortável para o bebê também. Com a temperatura entre 21 e 24 graus o bebê pode vestir apenas uma “camada” de roupas, como um pijama de um tecido de espessura fina (24 graus) ou mais grossa (21 graus). A mãe também deve ficar atenta à temperatura do corpo do bebê: se parecer quente quando ela tocar o pescoço, ele está super aquecido. Se estiver suado, com as roupas úmidas, também.

Dica 3: Se você tem um bebê que não gosta de tirar as sonecas no berço e está sempre dormindo de dia no carrinho, na cadeirinha de carro ou no bebê conforto, semi-sentado, tome muito cuidado para que ele não deixe a cabecinha “cair” para a frente, bloqueando a passagem de ar. Há vários casos de morte de bebês dormindo suas sonecas nesses lugares que não foram capazes de acordar a tempo de voltar a respirar. Se você realmente quer que ele durma assim, fique por perto, vigiando seu filho.

Dica 4: Quando instalar cortinas ou persianas, tome cuidado com as cordas e fios para ter certeza de que o bebê nunca poderá puxá-las, correndo o risco de estrangulamento. Deixa-as longe, enroladas para cima, numa posição que o bebê nunca possa alcançá-las. Também, verifique sempre se não há por perto fios elétricos (de uma babá eletrônica por exemplo), uma porta que dê acesso a um local perigoso ou uma janela que o bebê possa alcançar.

Dica 5: Quando estiverem viajando ou quando o bebê/criança for dormir em um lugar diferente, é importante inspecionar o cômodo onde ele ficará. Afinal, a casa do vovô, pode não ser tão segura quanto o seu próprio quartinho já que o vovô e a vovó não estão mais acostumados a terem uma criança em casa e a deixarem o ambiente 100% preparado para ela. Na creche/escolinha é a mesma coisa. É importante você visitar e inspecionar o local para ver se ele oferece segurança para o seu filho na hora de dormir. E aqui algumas dicas do que você deve observar ao inspecionar num ambiente novo: Certifique-se de que o colchão do berço é firme e está bem apertado entre a cabeceira e as grades; verifique se a distância entre as grades do berço não ultrapassa 6.5 cm (se passa uma lata de refrigerante na horizontal entre as grades, não é seguro); verifique se o berço não está muito próximo de cortinas que possam estar com as cordas baixas e possam ser alcançadas pelo bebê; verifique também a temperatura do quarto e lembre-se de perguntar aos donos da casa ou gerente do hotel se a temperatura é constante durante a noite (alguns condicionadores de ar gelam na madrugada); observe se a vovó não deixou bichinhos de pelúcia no berço ou cobertores e travesseiros (que sabemos não são seguros para o bebê); verifique se no novo ambiente tem grade na janela e, se não tiver, mantenha a janela trancada.

Dica 6: Os lindos bichinhos de pelúcia e os protetores de berço também não são indicados para berços, mini camas ou camas por representarem risco de sufocamento e, no caso do kit berço, também risco da criança usá-lo para escalar o berço e subir (inclui essa parte da escalada).

Dica 7: O famoso “charutinho” (enrolar o bebê para dormir) foi mais uma vez declarado seguro num estudo publicado neste ano no Jornal Pediatrics. Essa técnica, além de contribuir para um sono mais longo e profundo fazendo o bebê se sentir num ambiente parecido com o do útero materno, reduz o choro, diminui a agitação do bebê e reduz o estresse tanto para a mãe quanto para o filho. Assim, desde que feito de maneira correta (e já vimos algumas demonstrações aqui no Macetes), o “charutinho” não prejudica o quadril do bebê nem representa risco de sufocamento. (Se alguém quiser pesquisar o estudo completo, aqui está o título:  McDonnell E and Moon RY.  Infant deaths and injuries associated with wearable blankets, swaddle wraps, and swaddling.  J Peds 2014; 164:1152-56.)

Veja em detalhes como fazer o charutinho:

Dica 8: Ainda, além desses cuidados básicos, a Academia Americana de Pediatria e a Sociedade Brasileira de Pediatra recomendam que o bebê durma no quarto dos pais, em seu próprio berço ou moisés, nos primeiros seis meses de vida. Entretanto, como as famílias são diferentes e têm diferentes estilos de maternagem e paternagem, nós sabemos que não é sempre assim que as coisas acontecem. E uma alternativa que costuma ser bastante comum a esta indicação é a cama compartilhada que, embora não recomendada pela AAP e pela SBP, é reconhecida pelos seus benefícios à amamentação nos primeiros anos de vida do bebê. Então, como muitos pais praticam essa opção, coloco abaixo algumas recomendações para garantir a segurança do bebê que dorme em cama compartilhada.

  • O bebê deve estar numa superfície plana e firme, sem travesseiros ou cobertores.
  • O lençol deve estar colocado de maneira bem apertada no colchão.
  • O colchão deve estar bem justo na cabeceira e nos pés da cama.
  • Não deve haver espaço entre a parede e a cama onde o bebê possa cair.
  • Não pratique a cama compartilhada se você for fumante.
  • Não durma com o seu bebê se você ou seu companheiro tiverem tomado alguma medicação que causa sonolência.
  • Não faça coma compartilhada se você ou seu companheiro forem obesos.

 

Espero que tenham gostado das dicas e me coloco à disposição para tirar dúvidas. Para isso, utilizem o espaço para comentários abaixo. Será um prazer ajuda-las.

E, por mim, um lembrete mais do que importante: fiquem atentas à segurança do seu bebê para o sono da família toda ser tranquilo e feliz! Até a próxima edição da nossa coluna.

Colunistas MdM Marcia- sono. - NOVO 25.08cdr