Dor de Crescimento

Dor de crescimento


23 de agosto de 2016

Crescer não é uma tarefa fácil e para piorar algumas vezes vem acompanhada de dor. Hoje vamos falar um pouco sobre a tal da dor de crescimento.

A ideia foi sugestão de uma leitora nossa que tem dois filhos, sendo que o mais velho passou por essa experiência. Aos 8 anos ele começou a sentir dores nas pernas, logo abaixo do joelho, sem nenhum motivo aparente. E essa dor durava algumas horas e sumia do nada, ficando dias sem aparecer. Ao conversar com o pediatra nossa leitora descobriu que ele estava com a dor do crescimento.

Como esse é um problema comum, que afeta muitas crianças ao menos uma vez na vida, ela pediu que falássemos sobre isso aqui no blog, até para orientar outras mães, então vamos lá.

dor de crescimento
Photo Credit: evilpeacock via Compfight cc

A dor do crescimento não é nenhum tipo de doença, mas ela pode aparecer entre o 3 e 8 anos de idade. Seu filho vai reclamar de dor na panturrilha, atrás dos joelhos ou nas coxas, geralmente no final da tarde ou começo da noite, que é quando eles resolvem descansar e então a musculatura relaxa e esfria.

É importante as mães ficarem atentas porque podemos desconfiar de manha, já que em um dia a criança reclama de dor e no outro (ou mesmo algumas horas depois) é como se não tivesse nada e às vezes pode demorar dias para se queixar novamente (como relatou nossa leitora). Mas a dor do crescimento é assim mesmo, chega sem avisar e também vai embora sem deixar rastros.

E de onde surge essa dor que não é doença?

Ah, primeiro é importante saber que a dor do crescimento sempre vem sozinha, ou seja, sem febre, inchaço, vermelhidão, perda do apetite, cansaço e nem nada do tipo.

Sobre a causa da dor, há várias teorias sobre o assunto. Uma é de que os músculos e os tendões estão crescendo mais rápido do que deveriam, outra é de fadiga muscular por excesso de atividade ou brincadeira e também se fala em sintoma hereditário (você se lembra de ter sentido isso?). Mas a verdade é que não existe uma explicação científica para o caso.

O que se sabe é que fatores psicológicos podem levar à dor. Por exemplo, a dor aparece quando precisamos mudar a criança de escola, quando ela está sofrendo bullyng, quando nós pais, brigamos com frequência na frente dela ou quando ela recebe a notícia da chegada de um irmãozinho.

Então é a hora de mimar os pequenos!

Para acalmar as crianças a receita médica é bem fácil e uma velha e famosa conhecida, o colinho de mãe (pelos que os médicos dizem poucas vezes é receitado algum remédio já que a dor desaparece sozinha). Ao mimar o seu filho explique que essa dor logo vai passar. Para ajudar, faça uma massagem ou coloque uma bolsa de água morna que também resolve. Também poupe a criança de situações de estresse ou de atividades ou brincadeiras que a deixem cansada.

Agora, se a dor aparecer com frequência, uma opinião médica é importante, porque às vezes dá para fazer acompanhamento com fisioterapia.

E você, também já passou por isso com o seu filho?

Quero aproveitar e agradecer nossa leitora pela sugestão, realmente é um assunto bem interessante!