Entrevista - conheça o trabalho de uma consultora de sono e confira dicas valiosas

Entrevista – conheça o trabalho de uma consultora de sono e confira dicas valiosas


30 de dezembro de 2013

O post de hoje é uma entrevista com uma Consultora de Sono, a Márcia Horbácio, brasileira que mora no Canadá e atua nessa função, atendendo famílias do mundo todo, há mais de nove anos. Conheci o trabalho da Márcia através de uma amiga que recorreu aos seus serviços para melhorar o sono da sua filha de quase um ano. Como os resultados foram super positivos, eu fiquei curiosa para saber um pouco mais sobre essa profissão e lá fui eu bater um papo com a Márcia e tentar reunir algumas dicas para ajudá-las nessa tarefa nem sempre fácil que é administrar o sono dos filhos.

Márcia é consultora de sono certificada pelo IMI – International Maternity Institute (Califórnia) e doula pós-parto certificada pela Cappa Canada. Na sua formação ainda consta o curso sobre  Privação do Sono e Hábitos Saudáveis de Sono para Crianças, realizado na Harvard Medical School. Atualmente, é instrutora formadora no curso Maternity and Child Sleep Consultant, da IMI.

Como consultora de sono, Márcia atende famílias do mundo todo, inclusive do Brasil, com orientações em Português e realizadas através da internet (e-mail, chat e Skype).

Na entrevista abaixo, ela nos conta um pouco sobre o seu trabalho e dá dicas valiosas para os pais que querem melhorar o sono dos seus pequenos. Não deixe de conferir.

MdM: Há quanto tempo você trabalha como consultora de sono e omo começou sua experiência como consultora de sono?

Márcia: Comecei a trabalhar com famílias com problemas de sono em 2004. Ao começar a trabalhar como doula pós-parto, aqui em Toronto, percebi os problemas enfrentados pelas famílias com relação ao sono dos pais e dos bebês e tive uma vontade imensa de ajudá-los. Assim, busquei entender melhor a privação de sono e como enfrentá-la da melhor maneira possível para dar esses pais as ferramentas certas para lidar com isso e assim, serem capazes de aproveitar o momento lindo e delicado que estavam vivendo.

MdM: Há alguma formação específica para ser uma consultora de sono?

Márcia: Quando eu comecei, não havia nenhuma escola no mundo. Pesquisei na época em vários países, liguei para escolas na Europa, médicos e pesquisadores, entrei em contato com outras consultoras de sono para saber onde tinham se formado e a realidade era que, naquela época, não havia um curso. Todas as consultoras que contatei trabalhavam com base na experiência de enfermeiras neonatais, doulas ou obstetrizes. Eu não tive alternativa senão comprar mais de 40 livros de vários países diferentes e começar o meu estudo. Só vários anos depois é que apareceram cursos e hoje, já sou certificada pelo IMI – International Maternity Institute na Califórnia.

MdM: O que, exatamente, faz uma consultora de sono?

Márcia: Uma consultora do sono ajuda os pais a promoverem um ambiente e as condições para um sono saudável para a família toda. Uma consultora de sono não é uma “treinadora de bebês”, embora o treinamento do sono seja uma das coisas que também fazemos para bebês acima dos seis meses de idade. Nós oferecemos orientação, educação e informação aos pais sobre o sono do bebê e, o melhor, nós damos a esses pais as ferramentas para promoverem esse sono para seus bebês, sendo que a orientação respeitará o estilo de maternagem e paternagem de cada família.

MdM: Quais são os métodos que você emprega?

Márcia: Eu não trabalho nunca orientada pelo método, mas pela dinâmica da família. Como consultora, ofereço aos pais várias opções de estilos – Encantadora de Bebês, Elizabeth Pantley, método do choro controlado, método da cadeira de Kim West, etc…- e decidimos juntos o que será mais adequado.  Assim, atendo famílias que praticam a cama compartilhada, e as que não praticam, as que desejam parar a cama compartilhada porque não está mais funcionando para eles e as que desejam continuar assim.

MdM: Desde que você começou a trabalhar como consultora de sono, quantas famílias já atendeu?

Márcia: Já orientei mais de 3000 famílias aqui no Canadá, na Inglaterra, no Peru, na Russia, no Brasil, na Austrália, nos Estados Unidos, na China e até algumas famílias na India, e uma no Sri Lanka ( consultas por email e Skype).

MdM: Quais os principais problemas de sono dos bebês e crianças?

Márica: São três. O primeiro é a falta de habilidade para adormecer sem ser ninado, ou amamentado, ou balançado. Adormecer é uma habilidade que se aprende e muitos bebês sabem fazer isso. Os que não sabem, precisam de ajuda. O segundo é acordar muitas vezes à noite (não estou falando claro dos bebês que ainda precisam mamar a noite, estou falando dos bebês que não têm mais essa necessidade, mas acordam várias vezes só voltando a dormir se forem ninados, balançados ou amamentados.) E o terceiro problema é acordar muito cedo de manhã.

MdM: Por que tantos bebês e crianças tendem a dormir mal?

Márcia: Para responder sua pergunta, precisamos entender como os bebês dormem de maneira diferente dos adultos. Os bebês estão crescendo muito rápido, o cérebro se desenvolvendo numa velocidade gigantesca e isso acontece enquanto eles dormem. Assim, eles precisam dormir muito, mas seus ciclos de sono são curtos (de 40-50 minutos, enquanto os do adulto são de 70-100 minutos) e entre os ciclos eles tem um breve despertar (como todos nós temos) e , quando isso acontece, muitos não sabem voltar a dormir sozinhos.
Além dos ciclos curtos, eles ficam mais tempo em sono leve do que nós. Então, na verdade, muitos recém-nascidos não “dormem mal” , o que acontece é que as expectativas dos pais é que são diferentes da realidade (poucos pais se preparam para a privação de sono dos primeiros meses ou semanas).

Agora, é claro, também temos os casos de crianças mais velhas, que ainda não sabem voltar a dormir sozinhas quando acordam no meio da noite. Nesses casos, a maioria dos experts concorda que isso acontece porque quando a criança é colocada para dormir no colo, ao acordar no meio de noite, para voltar a dormir novamente, ela precisa encontrar a mesma situação que tinha antes, na hora que pegou no sono. Agora imagine: você, um dia, acorda de madrugada, no chão da cozinha. É claro que vai pensa “como vim parar aqui?”, mas, sendo adulto , você vai voltar para a cama e continuar descansando. Só que o bebê, quando acorda no berço depois de ter como última lembrança o colinho, o balançar e a chupeta, não vai saber o que fazer e ele provavelmente irá pensar: “como vim parar aqui?”. Isso não quer dizer que é ruim colocar o bebê na cama depois de um colinho, uma mamada, ou um ninar, mas o bebê precisa adormecer sabendo onde está. Então, para a maioria desses experts, a dica é: faça tudo que precisa para deixar o bebê bem sonolento, mas tente sempre colocar na cama ainda um pouquinho acordado.

MdM: Que dicas você dá para as famílias que tem filhos com problemas de sono? Há alguma(s) dica(s) geral(is) que ajudam a amenizar problemas de sono de bebês e crianças em geral?

Márcia: A maior dica que posso dar e que serve para a grande maioria é: procure proporcionar uma rotina para o seu filho e incluir um ritual de sono para as sonecas e para a noite. A criança se sente segura quando sabe o que vai acontecer, ela gosta de previsibilidade. Não precisa ser uma rotina rígida. Regular sim, rígida, não. Nisso, todos os experts de sono concordam, até mesmo os de corrente de pensamento contrária: consistência é a chave. Outras dicas valiosas que posso dar são:

1) Sonecas: muitos pais não percebem que seus filhos estão cansados e ultrapassam a janela de sono, fazendo com que a criança fique super cansada e pule sonecas. Janela de sono é o intervalo entre uma soneca e outra e para a maioria dos bebês até 6 meses é de mais ou menos 90 minutos. Bebês menores de 3 meses podem precisar voltar a dormir a cada 1 hora! Esse é um erro que encontro e as vezes consertamos e tudo melhora para as sonecas!

2) Muitos pais dizem que são regulares nos horários de sono mas só cuidam da hora de ir pra cama, esquecendo que o horário de acordar de manhã também tem que ser regular para não atrapalhar as sonecas. Algumas crianças vão dormir todo dia na mesma hora mas um dia acordam às 7, outro às 8,, outro às 8:30…. horário regular de acordar também, assim as sonecas acontecem mais ou menos nas mesmas horas…

3) Transições com sonecas: Quando o bebê começa a se recusar a dormir a soneca da manhã, isso pode afetar o sono da noite.. a melhor maneira de lidar com isso é mudar o horário da soneca da tarde para um horário intermediário entre o que antes era soneca da manhã e soneca da tarde , além de claro, colocar a criança na cama mais cedo. Fazendo isso a soneca da tarde se transforma numa soneca de começo da tarde e fim da manhã e a soneca da manhã gradualmente desaparece.

Se você quiser conhecer melhor o trabalho da Márcia poderá acessar o site www.nanniesanddoulas.ca  ou mandar um email para nanniesanddoulas@live.com.