Introdução alimentar e a amamentação

Introdução alimentar e a amamentação


12 de junho de 2015

No post de hoje, Gabriela Giacheta, nossa colunista de Aleitamento Materno, fala sobre a introdução alimentar e a amamentação: como ficam as mamadas depois que a criança começa a comer alimentos sólidos.

Vale a pena a leitura, para tirar dúvidas e “grilos”.

Introdução alimentar e a amamentação

Gabriela Giacheta

Muitas mães me questionam como fica a amamentação ao introduzir alimentos quando o bebê completa seis meses de vida.

Primeiro, precisamos entender que para essa será uma grande novidade e a mãe não deve se iludir achando que, no primeiro dia, o bebê irá comer toda a frutinha e não querer mais mamar.

introducao alimentar
Photo Credit: Kurt & Kristina via Compfight cc

O bebê precisa aprender, pois ainda não sabe os movimentos que terá que fazer para conseguir se alimentar. Portanto, muita calma. Eu, particularmente, sou a favor da técnica de BLW, onde a criança se alimenta “sozinha” e no seu ritmo e oriento as mães que se aproximam dessa fase a se informar, ler, se possível buscar um nutricionistas que seja a favor do aleitamento materno para sanar suas dúvidas e receber uma orientação adequada.

Quanto ao aleitamento materno e sua manutenção, há bebês que aceitam muito bem a introdução alimentar, mantendo as mamadas ou fazendo intervalos maiores (ou não). Também há bebês que apresentam uma recusa inicial, mantendo o ritmo normal das mamadas. Para essas, eu digo: calma, seu filho vai comer um dia. Não precisa se desesperar se no início as coisas forem um pouco mais complicadas. A introdução alimentar deve ser iniciada aos seis meses, mas isso não significa que nessa idade ele já vai estar comendo. Tudo é uma questão de se tornar familiarizado com a novidade e se adequar a ela. Junto a isso, gosto ainda de ressaltar a importância da mãe estar segura e tranquila nessa fase de mudanças e desafios para a criança.

Como a introdução alimentar é gradual, o organismo da mãe entende e, aos poucos, sua produção láctea vai se reajustando. Claro, há relatos de mulheres que se sentem incomodadas, com as mamas “cheias”e isso também é absolutamente normal. Quando isso acontecer, o ideal é massagear as mamas e só então oferecer ao bebê. E então, caso ele não queira porque acabou de mamar ou comer, o próximo passo é ordenhar.

De forma gradual, pouco a pouco, o organismo se adapta. O mesmo acontece quando falamos de desmame natural, que também se dá de maneira gradativa e, por isso, é mais difícil ocorrer ingurgitamento mamário. Já em desmames abruptos casos de ingurgitamento são mais comuns.

Dessa forma, mantemos a livre demanda mesmo com a introdução alimentar. Tanto durante o dia como durante as madrugadas. Desmames antes de um ano de idade são considerados precoces. Em outro momento irei abordar sobre mamadas noturnas após o primeiro ano de vida! Até a próxima!

Confira, no vídeo abaixo, como preparar a papinha ideal: