Introduzindo papinha de frutas e suquinho na dieta do bebê - Dicas | Macetes de Mãe

Introduzindo papinha de frutas e suquinho na dieta do bebê – Dicas


26 de novembro de 2012

A introdução de alimentos sólidos foi um momento esperado com ansiedade aqui em casa. O Léo nunca mamou direito, nem peito, nem mamadeira, porque sempre teve refluxo severo e, em consequência disso, até uma esofagite. Assim sendo, eu contava os dias para vê-lo comer papinhas.

Com cinco meses e meio, o pediatra dele introduziu as frutinhas em papinha e suquinho de laranja Lima. Para minha sorte e alívio, ele aceitou sem muita dificuldade ambos.

Primeiro demos o suquinho de laranja, começando com 50ml no primeiro dia, 100 no segundo e 150 no terceiro. Depois que ele aceitou o suco, fomos para a papinha. Comecei com pêra, que não caiu no gosto do meu pequeno (ele fazia até ânsia), aí fui para a maçã cozida, que também não gerou grande empolgação e aí, sem insitir muito, experimentei banana, que ele amou de cara!

Assim que ele pegou a banana, introduzi o mamão, que também foi bem aceito.

Com certeza, cada pediatra tem sua orientação sobre o início dos sólidos e suquinho e cada mãe deve seguir, em primeiro lugar, o que é dito por ele. Entretanto, se alguém quiser saber como foi o processo com o meu pequeno, processo que eu considerei bem tranquilo, é só dar uma olhada abaixo.

Essas orientações me foram passada pelo gastropediatra do meu filhote, dr. Ricardo Toma, da clínica Infantia, de São Paulo.

1. Começamos com suquinho de laranja Lima, que é mais docinha e menos ácida. Demos no primeiro dia 50ml, no segundo 100 e no terceiro 150. O horário sugerido foi o meio da manhã. A idéia de começar só com 50ml é porque se fizesse mal, o bebê não teria ingerido muito. Achei que faz total sentido essa orientação.
2. Antes de espremer as laranjas, lave-as bem. Esprema-as à mão ou em espremedores manuais, caso você use a mamadeira para dar o suquinho. Quando espremidas em espremedores elétricos as fibras acabam sendo super bem trituradinhas e aí passam pelo coador, o que faz o bico da mamadeira entupir. Para dar o suquinho você pode usar mamadeira ou copinhos de transição. O que você preferir. E não esqueça de coar o suquinho quando ele for dado em mamadeira.
3. Assim que foi aceito o suco, introduzimos a papinha de frutas. O horário sugerido para darmos a papinha foi o meio da tarde. Como no caso do suquinho, o pediatra também sugeriu que iniciássemos com 50g, no segundo dia passássemos para 100g e só no terceiro oferecessemos 150g. Também para o caso de fazer algum mal o bebê ter ingerido pouca quantidade.
4. As frutas introduzidas foram maçã, banana, mamão e pêra. Segundo o dr. Toma, qualquer tipo dessas frutas pode ser oferecido, entretanto, os bebês costumam aceitar melhor a maçã Argentina, a banana Prata, a pêra Willams e o mamão Papaya.
5. No caso da maçã ou da pêra não serem bem aceitas, por serem frutas um pouco mais ácidas, o que pode ser feito é cozinhá-las até rachar a casca e aí fazer um purezinho da fruta (sempre descartando a casca). Essa sugestão não me foi passada pelo pediatra, mas quando o questionei sobre esse método ele disse que não havia problema em usá-lo.
6. Agora minha dica pessoal: ofereça primeiro as frutas mais cremosas, macias e doces, como a banana e o mamão, pois são mais fáceis de serem aceitas (pelo menos foi assim aqui em casa). A pêra e a maçã, além de serem mais ácidas, não ficam com pedacinhos mais durinhos no meio do purê e aí o bebê costuma estranhar um pouco.
7. Outro ponto que considero importante: nesse início, jamais insista demais com o bebê para ele comer se ele não está aceitando bem determinada fruta. Nesse caso, é melhor desistir e tentar outra no dia seguinte. Lembre-se que isso é uma nova experiência para o bebê e ele tem que encará-la como algo gostoso, divertido, prazeroso. Nada de choro ou fazer comer até fazer ânsia (quando o Léo fez ânsia com a pêra eu desisti rapidinho e vou tentar de novo dentro de alguns dias).
8. Ainda… vale tudo para fazer desse momento algo legal: sente num lugar gostoso da casa, no qual o bebê parece se sentir bem, brinque com ele, cante, faça ele rir e quando estiver com a boquinha aberta introduza com jeitinho a colher. Como eu disse, faça com que ele assimile o momento de comer com algo prazeroso, jamais com uma obrigação.
9. Outro detalhe importante: se seu bebê tem intestino preso, dê preferência à pêra e ao mamão, que soltam o intestino. Se for o contrário, invista na banana e na maçã.
10. Por fim: nunca misture duas frutas, pois se o bebê não aceitar muito bem uma delas, e passar mal, você não saberá qual delas causou o estrago. Sempre que for introduzir uma nova fruta, dê somente ela por, pelo menos, três dias. Assim, se algo sair errado, você saberá de quem é a culpa.
11. Para dar a papinha, escolha um pratinho ou cumbuquinha que serão apenas do bebê e utilize colher de silicone e jamais de metal, pois pode machucar o bebê (a colher de metal deve ser usada só para raspar as frutinhas).

Mamães, isso é um pouquinho da experiência que eu vivi com meu filhote nesses primeiros dias de alimentação sólida. Diferentes de muitos lares, achei que foi algo tranquilo, prazeroso e divertido. Claro que cada bebê é um bebê, que uns aceitam melhor e outros nem tanto a mudança do leite para o sólido, mas cabe a nós tentarmos tornar essa nova experiência o mais gostosa e divertida possível.
Boa sorte!

PS: Meninas!!! Tive que vir aqui fazer um adendo a esse post. Agora, duas semanas depois que tentei dar pera Williams para o meu Léo, resolvi oferecer pera Portuguesa e ele ADOROU. Fica a dica!!!!

SAIBA MAIS: