Leo dois anos. E as mudanças que ele trouxe à minha vida.

Leo dois anos. E as mudanças que ele trouxe à minha vida.


22 de Maio de 2014

post leoNeste momento, noite de 21 de maio de 2014, depois de um dia bem intenso, paro para escrever esse post. Na noite hoje, há dois anos, eu nem sonhava que 21/05/12 seria a última noite sem o Leo na minha vida. Nem sonhava que na noite seguinte ele já estaria nos meus braços. E nem sonhava que tudo iria acontecer tão rápido (e como segue acontecendo desde então).

Na noite de 21 para 22 de maio de 2012 eu tive um sangramento, voamos para o hospital, a enfermeira que me atendeu cogitou me deixar internada, já avisando que o Leo chegaria em breve, mas eu não topei e o meu obstetra também achou desnecessário. Assim, voltei para casa bem no iniciozinho da manhã do dia 22, dia que o Leo viria ao mundo,  fiz minha unha, almocei, fui consultar com o obstetra de novo, voltei para casa, mandei email para várias amigas, recebi inúmeros telefonemas, recebi flores e fui para o hospital. 20h saímos de casa. 23h08 minutos o Leo veio ao mundo, de parto normal, como eu desejava.

A partir desse momento, minha vida se transformou por completo. O Leo nasceu, eu renasci, eu desci ao fundo do poço (nos momentos de crise máxima da sua APLV), eu perdi parte da minha liberdade, eu ganhei mais responsabilidade, eu ganhei até uma nova profissão. Sim, o Leo fez tudo isso e muito, muito, muito mais comigo.

Hoje, olho para trás e, fazendo um balanço de tudo que já vivi até agora, posso dizer que foram os dois anos mais intensos da minha vida. Nem os anos que vivi fora do país, nem os anos que fiz faculdade e morei fora de casa, tão pouco os meus primeiros anos nessa cidade maluca que é São Paulo foram tão intensos como esses dois na companhia do meu filho.

Nesse tempo todo, descobri mais sobre a vida e sobre mim mesma do que nos 33, quase 34, anos anteriores. O Leo me ensinou a ter mais paciência (só com ele, porque para o resto sigo igual), a aceitar que as coisas nem sempre saem como a gente espera, a ceder, a acreditar, a ter fé, a tentar de tudo, a não perder a esperança, a rir do comum, a sobreviver dormindo menos de 3h por noite, a aceitar melhor meus erros, a ser menos orgulhosa e a amar, amar, amar, amar e amar independente do que aconteça, independente de ser retribuída, independente dos defeitos e limitações do outro.

Leo também despertou em mim uma vontade de ser sempre melhor e de buscar as mudanças necessárias em vez de ficar sentada esperando que elas venham por si. Me fez pensar e repensar no que eu quero de verdade para a vida e qual é a vida e o mundo que eu quero deixar para ele.

Enfim, colocar um filho no mundo é a gente viver a vida para outra pessoa, mas também é voltar nossos olhos para uma parte de nós que, talvez, nunca teria aparecido se nosso corpo, um dia, lá atrás, não tivesse se separado em dois.

Apesar de todas os desafios enfrentados ao longo desses dois anos (e o dia de hoje é um exemplo deles. welcome terrible two!), tenho certeza que ter um filho foi a decisão mais corajosa e acertada da minha vida.

leon dia do nascimento
Leo na noite do seu nascimento.
Leo dois anos
Leo aos dois anos.