Leo e Caê - o grande encontro

Leo e Caê – o primeiro encontro


26 de Fevereiro de 2015

Um momento que eu sempre imaginei durante a minha gestação é como seria o encontro do Leo e do Caê. E confesso que sempre que eu pensava nisso eu me emocionava. Eu ficava imaginando a carinha do Leo, a sua reação, o seu olha para o irmão, os seus sentimentos. Aquele mix de curiosidade, empolgação e medo. Medo do desconhecido, medo daquele serzinho que estava chegando para dividir com ele seus “bens” mais preciosos, medo do que mudaria na sua vida. Mas também emoção por conhecer um IRMÃO, alguém que faria parte da sua vida pela vida inteira, alguém que não iria só dividir, as também somar à sua existência.

o primeiro encontro leo e cae

E assim, resolvi que queria registrar esse momento. Queria ter alguém ali com uma câmera na mão, para fotografar e deixar para a posteridade a beleza, simplicidade e força daquele momento. E para isso eu chamei a Viridiana Brandão, que já havia feito o meu ensaio de gestante ao ar livre e alguém que o Leo curtiu demais, ficou à vontade e já tinha um carinho especial.

Decidimos que o Leo conheceria o irmão no dia que ele nasceu, pois ele estava curioso demais e não tinha porque esperar. Assim, no dia 08 mesmo, ele chegou, à tarde, à maternidade. Ele veio nos braços do pai e me encontrou amamentando o Caê (confesso que preferia não estar amamentando nesse momento, para o Leo não ter a sua primeira visão do irmão no peito da mãe – o ciúmes! – mas se era assim que as coisas estavam rolando na hora, eu não iria interromper nada, pois também queria que tudo fosse o mais natural possível, e nada montado para seguir protocolos ou fazer um registro fotográfico de editorial de revista).

Assim que o Leo entrou no quarto, eu vi nos seus olhos a curiosidade estampada. Ele procurava por nós e quando nos encontrou, foi muito emocionante ver a alegria no seu rostinho.

De cara, deu para perceber que ele se encantou com o irmão. Talvez pela novidade, talvez por já sentir um amor delicado por ele. Mas o que importa mesmo, é que os primeiros minutos deles juntos foi tocante. Leo querendo fazer carinho, dar beijinho, dando sorrisos tímidos.

Combinamos com antecedência que o leo traria um presentinho para o irmão e que o irmão também entregaria um presentinho para ele. Assim, Caê ganhou uma naninha (que o Leo vive pegando e dando para o irmão em casa de novo) e Leo ganhou a mochila e lancheira do Homem Aranha que tanto nos pedia.

Por alguns bons 15 minutos curtimos e nos emocionamos com a interação dos dois. O que foi muito, muito, muito gostoso. Aquela sensação de que agora a família está completa, repleta de amor e companheirismo.

Mas como nem tudo são rosas e a vida não é comercial de margarina… (risos!)…

Alguns minutos depois, Leo começou a ficar mais irritado e choroso e percebemos que o ciúmes e a insegurança estavam batendo. Fizemos o que foi possível para acalmá-lo, dar atenção para ele, mas ele estava começando a ficar incomodado com a presença do irmão e ele mesmo pediu para ir embora.

Nesse dia, para dar uma atenção maior para ele, o pai foi embora com ele e dormiu com ele na casa da avó e eu fiquei com a minha mãe na maternidade. Afinal, todas as atenções voltadas para Caê, Leo merecia, pelo menos, ter o pai só para ele, e foi o que fizemos.

Bom, assim foi o encontro dos nossos pequenos. Cheio de amor e emoção (e até das fortes no final. risos!).

Abaixo, as fotos do primeiro encontro, cheias de alegria, descoberta e amor.

VB_01_20150208
Imagem: Viridiana Brandão Fotografia
VB_09_20150208
Imagem: Viridiana Brandão Fotografia

 

VB_03_20150208
Imagem: Viridiana Brandão Fotografia 
VB_14_20150208
Imagem: Viridiana Brandão Fotografia
VB_17_20150208
Imagem: Viridiana Brandão Fotografia
VB_19_20150208
A gente com as duas avós.