O que guardar do enxoval do primeiro filho para o segundo | Macetes de Mãe

O que guardar do enxoval do primeiro filho para o segundo


26 de Janeiro de 2015

Há alguns dias, postei no Instagram do Macetes de Mãe uma foto de um item do enxoval do Leo que vou reutilizar com o Caê e aí uma seguidora deu a dica de eu fazer um post com a relação dos itens do enxoval do primeiro filho que vale a pena guardar para o segundo.

Achei a ideia ótima e me perguntei como eu ainda não havia pensando nisso.

Bom, cá estou para fazer essa relação e passar algumas dicas para vocês. Espero que gostem.

PS: De antemão já adianto: praticamente, vale a pena guardar tudo se você pensa em ter um segundo filho. Eu fiz isso e não me arrependo. Economizei demais no enxoval do Caê.

Reaproveitando o enxoval do primeiro filho
Photo Credit: Kevin Conor Keller via Compfight cc

O que vale a pena guardar:

Roupas que estiverem em bom estado. Isso significa que vale a pena guardar praticamente todas as roupinhas que são usadas quando o bebê é mais novo, pois ele cresce mais rápido e, assim, as utiliza por menos tempo. Conforme ele vai crescendo, as roupas servem por menos tempo e, também, o bebê está mais ativo (engatinha, anda, corre, brinca) e aí o seu estado de conservação fica pior. Após um ano da criança, as roupas tendem a ficar bem mais gastas, então, depende da sua exigência para definir se vale a pena guardar ou não.

Sapatinhos que estiverem em bom estado. Mesma coisa que eu coloquei sobre as roupinhas. Quanto menor o tamanho do sapato, mais vale a pena guardar. Quando a criança já anda, corre, brinca, o estado de conservação acaba ficando bem ruim, então, muitas vezes, você vai guardar, mas não vai utilizar com o segundo. Só vai ocupar espaço no armário.

Itens grandes do enxoval – carrinho, bebê conforto, cadeirinha do carro, cadeira de alimentação, banheira, berço desmontável, etc…. Na minha opinião, vale a pena guardar tudo.

Acessórios de cama e banho – lençóis, cobertores, mantinhas, toalhas de banho. Também acho que vale a pena guardar. Quase sempre, o estado de conservação é ótimo então, por que comprar tudo de novo?

Acessórios caros – babá eletrônica, bombina de tirar leite, entre outros. Com certeza, vale a pena guardar. Pois são itens caros e se você tiver que comprar de novo vai ficar furiosa.

Acessórios de passeio – canguru, sling, espelho de carro, protetor de sol para carro, bolsa do bebê. Pode guardar, porque se você usou com o primeiro, vai também usar com o segundo.

Móveis – berço, cômoda, poltrona amamentação, criado mudo, prateleiras, nichos, etc… Na minha opinião, vale a pena guardar e, depois, dar uma repagina e utilizar com o segundo filho. Foi exatamente o que eu fiz com as coisas do Leo: berço pintei, cômoda adesivei e poltrona de amamentação fiz uma capa. Assim, dei uma cara nova e reaproveitei tudo! (Aqui, nada se cria, nada se perde. Tudo se transforma).

Brinquedos, tapetinhos, jogos, etc…: também acho que os que estão em bom estado, vale a pena guardar. Com certeza, o segundo irá aproveitar.

O que não vale a pena guardar:

Mamadeiras, chupetas, copinhos e outros itens de alimentação. Minha opinião: esses itens, não vale a pena guardar. Mamadeiras, chupetas e copinhos por uma questão de higiene. Outros itens de alimentação como pratos e talheres porque o primeiro filho vai seguir usando, então, não vai sobrar para o segundo.

Meias, cuecas e calcinhas. Não costumam se manter em bom estado de conservação, então, é melhor descartar.

Acessórios de uso bem pessoal – como aspirador nasal. Esses itens mais pessoais, por uma questão de higiene, é melhor que não sejam compartilhados.

Itens que você usou pouco ou não usou com o primeiro. Tem coisas que você comprou porque achou o máximo na hora, se empolgou, mas aí não usou com o primeiro e resolveu guardar porque vai que você acabe usando com o segundo. Vá por mim, você não vai usar. Se aquilo não lhe pareceu útil na primeira experiência, vai ser menos ainda na segunda, quando você é ainda mais prática.

Tudo que estiver em má estado de conservação. Se está um pouco usadinho, sem problemas, mas se está com uma aparência bem ruim, nem guarde, porque você só vai ocupar espaço na sua casa por um tempo e quando o baby novo chegar não vai querer usar (a não ser que seja uma necessidade).

Tudo aquilo que você tem em excesso. Se você tiver algo em excesso, não guarde. Doe. Mesmo que esteja em ótimo estado, quase novo (doação também tem que ser em bom estado. Lembre-se!). Seu segundo filho não usará mais coisas que o primeiro. Pelo contrário. Então, se você tem roupas, brinquedos ou acessórios em excesso, doe assim que não forem mais úteis para o primeiro filho. Guarde apenas a quantidade necessária para o segundo.

Itens de decoração. Dificilmente você vai querer usar exatamente a mesma decoração do quarto do primeiro filho no quarto do segundo. Assim, se você já tiver mudado a cara de quarto de bebê para quarto de criança e muita coisa da decoração “sobrou”, descarte. Você não irá usar com o novo filhote que está para chegar (a não ser que seja bem neutro ou você possa aproveitar partes, como a moldura de quadros).

Confirma dicas sobre economia no enxoval do bebê nesse vídeo do Canal Macetes de Mãe: