Como economizar no enxoval do bebê

Os oito itens mais caros do enxoval e como economizar nas compras


21 de Maio de 2013
Quando vamos fazer o enxoval dos pequenos compramos um sem número de coisas. É produtinho, coisinha, itenzinho que não acaba mais. Só que alguns desses itens são mais caros (beeeeem mais caros) e esses sim fazem bastante diferença na hora de fechar o orçamento.
Hoje, eu trago para vocês a seleção dos oito itens mais caros do enxoval do bebê  e dicas preciosas que vão ajudá-las a economizar na hora de comprá-los.Com certeza, o dindin economizado nessas compras vai pesar no seu bolso. Isso porque, se você economizar 10% ou 20% num peça que custa 20 reais é uma coisa, já economizar esse mesmo percentual num item de 200, 500 ou até 1000 reais é completamente outra.
 
A Amazon é um dos melhores locais para se comprar
carrinhos quando se faz o enxoval fora.
Carrinho do bebê: certamente o item mais caro do enxoval. Se quiser, dá para gastar mais de cinco mil reais em um modelinho bacaninha, mas para mim isso é insanidade. Meu conselho simples e direto, nesse caso, é: compre fora! E de preferência na Amazon, que é ainda mais barato que em qualquer outro local. Se você quer um modelo legal, desses que custam mais de mil reais aqui no Brasil, o ideal é comprá-lo nos Estados Unidos. Dependendo do modelo que você comprar, vale quase a pena fazer a viagem só para adquirir esse item. Outras sugestão é mudar o modelo do carrinho por um mais barato ou comprar usado. Só que no caso de comprar usado, é importante checar antes o estado do carrinho, afinal, esse é um item suuuuuper usado pelo bebê, então, por mais que os antigos donos sejam cuidadosos, é possível ele estar bem “acabadinho”.
 
Uma forma de economizar na babá eletrônica é comprá-la
de segunda mão. No Facebook há diversos grupos de
“desapego” e esse é um dos itens mais comercilizados por lá.
Babá eletrônica: a dica, como no caso do carrinho, é comprar fora ou então usada. Tem vários e vários grupos e páginas de desapego no Facebook e vira e mexe tem alguém querendo se desfazer de alguma babá eletrônica. O próprio Macetes de Mãe tem um grupo cujas integrantes compram, vendem e trocam itens usados: o Feirinha Macetes de Mãe. Só que, no caso desse item, assim como no do carrinho, é importante sempre checar com a vendedora o estado do produto antes de adquirí-lo (no caso de adquirir usado). E, também, checar antes a opinião de outras pessoas que tem o mesmo produto, para ver se ele funciona bem, se não dá interferência, se não deixa de funcionar depois de alguns poucos meses de uso (essa dica é válida para quando se  comprar o item novo também). Por exemplo: tem várias mamães que já relataram ter tido problemas com a babá da marca Summer Infant. Segundo elas, de uma hora para a outra, com poucos meses de uso, ela simplesmente para de funcionar, e aí minha gente, a solução é aposentar o aparelho (acho que não tem assistência no Brasil). Bom, para quem vai fazer o enxoval fora, esse é um dos itens que tem que comprar lá. Fica a dica. Ok?
Bomba de tirar leite: no caso da bombinha, minha indicação também é comprar fora ou então alugar. Isso mesmo! Há empresas que alugam esse item para mamães que não querem comprá-lo. Acho uma ótima alternativa esse serviço, pois não dá para ter certeza de que se vai realmente usar a bombinha, de que vai se adaptar com o modelo escolhido, dentre outras coisas. Como é um investimento alto, se existe a dúvida, é melhor alugar. Uma empresa que faz o aluguel de bombinhas de tirar leite é empresa Cantinho da Mamãe. Nunca cheguei a utilizar o serviço deles, mas já ouvi falar bem.
Cadeira de alimentação: a cadeira de alimentação também não é um item dos mais baratinhos. Modelinhos mais básicos podem custar acima de 150 reais e modelos mais top podem chegar a 3.000 reais (quem é o doido que paga isso? Gé-zuis!). E minha gente, esse é um item que eu não indico trazer de fora, a não ser que seja um modelo compacto, desses que se acopla em cima de cadeiras normais, pois o volume ocupado não compensa a economia feita (vai pagar menos na cadeira, mas vai gastar uma grana para despachar um volume extra). Aqui, a minha sugestão para economizar é optar por um modelo basiquinho de cadeirão (o que eu comprei acho ÓTIMO e custou em torno de 200 reais, nenhum absurdo, considerando-se o quanto eu uso o negócio) ou até mudar para um modelo de cadeirinha que se acopla em cadeiras normais (esses mais baratinhos ainda e que tem a vantagem de poderem ser levados para qualquer lugar). Então, deixe para comprar esse item aqui no Brasil mesmo (ou pedir no chá de bebê, pois as amigas podem fazer uma vaquinha para dar para você) e opte por um modelo mais em conta. Afinal, a diferença que existe entre os modelos mais em conta e os mais top é perfumaria. O básico e realmente importante os modelos mais simples também tem. Ah! A alternativa comprar usado também se encaixa aqui. Acho que é, inclusive, uma ótima opção. Ok?
Banheira:também não vale a pena trazer de fora pois ocupa muito espaço e dá para comprar um modelo aqui que não custa tão caro assim. Eu tenho um modelo que adoro – seguro, prático, confortável (para mim e para o Léo) – e que não custou nenhum absurdo. Ah! Esse item também costuma ser uma boa pedida para chá de bebê, pois pode ser dado por várias amigas em conjunto. Ou pode ser pedido para aquele parente que quer dar um presentinho mais caro e especial para celebrar a chegada do bebê (avós ou padrinhos, por exemplo).
Kit berço:esse item costuma ser carinho também e muitas mamães não abrem mão. Alternativas: comprar usado, comprar em feiras de bebê e gestante (costuma ter fornecedores com preços mais em conta), comprar fora ou, não comprar. Isso mesmo! Já cansei de ouvir alertas sobre o perigo de se usar kit berço. Isso porque o bebê pode morrer asfixiado com eles ou, mais tarde, quando estiver mais velho, usá-lo para escalar e pular o berço, o que é um perigo. Eu usei com o Léo até ele fazer um mês, aí tirei por medo dele se sufocar. Quando ele estava maiorzinho voltei a colocar (ele já se virava super bem, não tinha o risco de começar a se sufocar e não conseguir se virar), mas já está na hora de tirar de novo (daqui a pouco ele usa o apetrecho para saltar do berço. Certeza!).
 
Uma forma de economizar no berço desmontável é escolhendo
um modelo bem básico.
Berço desmontável: o berço desmontável não é um item suuuuuuper caro, mas com certeza faz um pouquinho de diferença no enxoval, ainda mais se vocês não o utilizarem muito (tem gente que até viaja bastante, mas como sempre ficam em hoteis, não precisa levar o acessório junto). Como ele também é pesadinho e um pouco volumosinho para trazer (ó o volume extra aí minha gente!), eu sugiro comprar por aqui mesmo, um modelinho bem, bem, bem básico. Já fiz um post falando sobre o meu modelo de berço desmontável eleito, então, se quiser saber mais sobre o assunto, é só clicar aqui.
Brinquedos caros: alguns brinquedos carinhos e bem populares são o tapetinho/ginásio de atividades e o Jumperoo, ambos da marca Fisher-Price, que é uma das queridinhas das mamães (quase sempre) e dos bebês/crianças (nem sempre, o Léo é um dos que não curtem). A alternativa, nesse caso, é comprar fora (custa um terço ou um quarto do preço daqui, dependendo do brinquedo) ou alugá-lo. Isso mesmo! Tem empresas aqui no Brasil que tem pacotes de assinatura de brinquedos e aí dá para escolher o brinquedo, usá-lo por um tempo e depois devolver. Por que esse serviço é legal? Porque dá para testar aquilo que a criança realmente gosta (e não jogar dinheiro fora comprando algo que não vai agradar), variar nos tipos de brinquedos oferecidos (quem é mãe sabe que os pequenos logo enjoam das novidades) e gastar menos, bem menos que comprando. Eu estou louca para assinar e experimentar um serviço desses.
Gente, agora uma dica que vale para todos os itens acima: pegar emprestado com amigas! Isso mesmo. Você tem uma amiga que tem tudo isso aí de cima (ou parte dessas cosias), essa amiga anda num período de entre-safra (o filhote já não usa esses itens e não tem outro baby ainda a caminho), ou seja, não vai precisar deles por um tempo, então, o que custa pedir emprestado? Eu, por exemplo, emprestei todo o enxoval de roupinhas do Léo para um amiga querida, que teve o seu segundo filhote no mesmo mês que o Léo nasceu, só que um ano depois (o primeiro baby dela era uma menina, então não deu para aproveitar as roupinhas). Assim que o Léo deixar de usar alguns brinquedinhos maiores, também vou passar para ela, pois para mim também é interessante: libero mais espaço aqui em casa, coisa que anda beeeem em falta por aqui.
Bom, espero que essas dicas tenham sido úteis. E, se quiser, compartilhe conosco (abaixo, nos comentários) os seus macetes preciosos para economizar na compra desses itens.
 

Confira mais dicas sobre como economizar no enxoval do bebê:

Leia outros posts com assuntos similares: