15 dicas para curtir Santiago do Chile com crianças

Santiago com crianças – Parte I: 15 dicas para começar


27 de novembro de 2013

santiago do chileNo último feriado, viajamos para o Chile, mais precisamente para Santiago, e aproveitei algumas descobertas e aprendizados dessa viagem para fazer o post de hoje. Esse post será, na verdade, o primeiro de uma série de quatro que irão abordar os seguintes assuntos: dicas básicas gerais (que vocês vêem abaixo), dicas de programas, dicas de alimentação e dicas de compras.

Espero que vocês gostem do conteúdo e convido quem já visitou a cidade para compartilhar, abaixo, nos comentários, as suas próprias experiências e aprendizados. Elas serão muito úteis para as demais mamães leitoras do blog.

Santiago com crianças, o que você precisa saber para começar:
1. Se vocês estiverem viajando em família, ou seja, se o pai e a mãe estiverem juntos com os filhos, estes precisarão portar apenas RG ou Passaporte+RG para embarcar (se levar o Passaporte tem que levar o RG também, pois no passaporte não tem filiação). O Léo foi com o RG dele (veja aqui como fazer o RG da criança) e não tivemos problema nenhum.

2. Caso apenas um dos pais esteja presente na viagem, é necessário, tanto na ida quanto na volta, o acompanhante portar uma autorização por escrito daquele que estiver ausente. Para fazer essa tal autorização, o pai ou a mãe – aquele que não estiver presente na viagem- deverá ir até um cartório onde tenha firma aberta, solicitar o formulário de autorização de viagem internacional para menores, preenchê-lo à mão e, depois, reconhecer firma. Para mais informações, acesse aqui o site do CNJ – Conselho Nacional de Justiça. Nele você irá encontrar a Cartilha de Viagem de Crianças e Adolescentes ao Exterior.

3. A viagem não é longa, em torno de quatro horas de duração, mas contando o tempo de embarque e desembarque, podemos considerar que a criança ficará dentro da aeronave por cinco horas, mais ou menos. Esse é um tempo significativo para ela, então, a sugestão é levar brinquedos, vídeos, jogos, alimentos, leite, água, suco, fraldas e mudas de roupa extras para uma eventualidade. Nos voos da Lan e Tam há TVs com 12 filmes infantis disponíveis. Para as mães que viajam sozinhas, existe a possibilidade de uma das aeromoças ficar com a criança enquanto a mãe faz a sua refeição com um pouco de tranquilidade (claro que isso só pode ser feito depois que a refeição já tiver sido servida para os demais e recolhida, mas já é alguma coisa!).

4. Escolha assentos próximos às janelas e mostre para os filhotes a cordilheira dos antes. A vista é linda! Até o Léo, que tem só um ano e meio, amou! O lado esquerdo na ida tem a melhor vista. O voo diurno vale a pena por isso. Já o noturno vale a pena para a criança dormir.

5. Atenção se você estiver pensando em levar algum alimento para o seu filhote! Alimentos de origem animal ou vegetal são proibidos de entrar no Chile (as malas são revistadas na entrada). Caso você queira levar algum alimento industrializado, declare-o no documento de controle sanitário de entrada, para não ter problemas. Todas as malas passam pelo RAIO X no desembarque. Então, nem adianta falar que não tem alimentos, pois eles irão encontrar e, aí, confiscam mesmo!

6. É claro que, como se trata de uma viagem internacional, você vai querer dar uma passadinha no FreeShop e aproveitar para fazer umas comprinhas. Dica: deixe para comprar no FreeShop de Santiago, que é melhor que o do Brasil, e faça suas compras na saída, já que o FreeShop da saída é muito maior que o da chegada (mas não chegue em cima da hora e torça para não deixar o país doente, como foi o meu caso, pois aí você não vai conseguir nem olhar para o tal do FreeShop!).

7. Para se locomover do aeroporto até o local onde vocês ficarão hospedados, você poderá pegar um táxi no aeroporto mesmo. Logo na saída do desembarque há os guichês de empresas que prestam o serviço de transporte e é super tranquilo e seguro usá-los (como no Brasil, nos táxis do Chile vocês poderão andar sem a cadeirinha de segurança para bebês e crianças). O custo do transporte aeroporto-destino costuma custar em torno de 20mil pesos. Na volta, uma alternativa é reservar com antecedência um táxi ou uma van, por 16mil pesos, em média (esse também é o custo da van, não importando quantas pessoas ela trasportará – uma ou o seu limite de passageiros). O contato de um desses táxis van é o sr. Eduardo, telefone + 56 9 9829-5484. Já para rodar por Santiago, um motorista que a minha querida amiga Nati – que mora lá – me indicou é o sr. Jorge, que inclusive fala Português. Contato: + 56 9 5629-7146.

8. Com relação aos gastos, o que mais vale a pena é vocês levarem Reais do Brasil e trocarem lá por Pesos, pois em Santiago não se cobra taxa por essa transação (e é melhor levar dólar que real, na hora da conversão compensa mais). Troque no aeroporto o suficiente para o primeiro dia e depois troque o resto do dinheiro em casas de câmbio do centro (na rua Augustinas, são as que tem as melhores cotações) do Parque Arauco ou do Costanera Center (esses dois locais também tem cotações vantajosas). Cartão de crédito também é super prático, mas tem a cobrança de IOF sobre as compras internacionais. E não esqueça de avisar a sua operadora do cartão de que está fazendo uma viagem internacional para não correr o risco dela bloquear o seu cartão quando identificar uma transação em outro país . Ah, e se você for cliente Itáu, saiba que há diversas agências do banco em Santiago. Só que para usar a opção de saque nelas você deverá desbloquear essa opção antes também. Detalhe: use a opção de saque em caso de extrema necessidade, pois há cobrança de taxa sobre essa transação.

9. Ninguém está livre de passar mal, ter um problema, pegar alguma virose ou algo parecido quando está em outro país. E se isso acontecer com você, em Santiago, a dica é procurar a Clínica Alemana. Um hospital excelente, com ótima equipe e atendimento exemplar, que não deixa a desejar aos melhores hospitais do Brasil. O Léo passou mal no nosso penúltimo dia de viagem e foi para lá que o levamos. Ele foi atendido numa espécie de sala individual (onde tomou soro), fez alguns exames e foi medicado. O único problema é que tivemos que pagar por todo esse atendimento, ou seja, ele foi particular. Mas se você quer evitar esse inconveniente, fique de olho na próxima dica.

10. Antes de viajar, ligue para o seu plano de saúde e questione como é que funciona o atendimento quando você está em outro país. Eu esqueci de fazer isso e tive que pagar particular, pois estava sem o “voucher” do plano para atendimento no exterior. Caso seu plano não tenha cobertura internacional, vale a pena fazer um seguro de viagem ou checar com o cartão de crédito com o qual a passagem aérea foi emitida se eles tem algum seguro de saúde internacional gratuito (alguns cartões tem esse benefício). Mas viajar com um seguro de saúde válido é super importante, ainda mais quando se está com crianças.

11. Tenha sempre água com você e ofereça em abundância para as crianças. O clima no Chile é muito seco e se os pequenos não beberem líquido suficiente poderão se sentir mal ou até desidratar. Também não esqueça de umidificar bem o narizinho deles, usando bastante soro fisiológico.

12. Ainda com relação ao clima: mesmo no verão, com dias quentes, as madrugadas e o início da manhã costumam ser mais frios. Por isso, não esqueça de levar agasalho para vocês e para as crianças, principalmente.

13. Use e abuse do protetor solar. Como clima em Santiago no verão é quente e seco durante o dia você não pode esquecer de levar e passar protetor solar nas crianças.

14. Não esqueça também de levar mudas extras de roupa e uma mini farmacinha. Você nunca sabe quando os pequenos vão sujar mais roupas que o previsto ou quando vão precisar de um medicamento para enjôo, dor, febre, alergia, etc…

15. Prepare-se para enfrentar escadas. Santiago é uma cidade que não está 100% preparada para receber deficientes físicos e crianças que usam carrinhos. Muitos dos locais turísticos não tem rampa de acesso e aí é um pequeno transtorno.

Bom, para finalizar, quero super agradecer a mega ajuda que a minha querida amiga Nati deu para a produção desse post. Ela mora em Santiago há alguns meses e contribuiu com várias importantíssimas dicas que vocês acabaram de conferir aqui. Obrigadão, amiga! Pelo post e pelos ótimos dias que passamos juntas no seu novo país. :-)
Leia outros posts sobre o assunto viagem com pequenos aqui no blog:
Como levar papinha congelada em viagens

Viajando com bebês – o que levar na mala

Viajando de avião com um bebê – o que você precisa saber