Sobre tornar-se mãe | Macetes de Mãe

Sobre tornar-se mãe


26 de novembro de 2017

No post de hoje, a psicóloga perinatal e coach Cíntia Aleixo fala sobre a intensa experiência de tornar-se mãe. Esse texto é um compilado das impressões captadas através do seu projeto Possibilidades Materntas no qual, junto com outras mães, ela discute o universo feminino e materno e dá suporte psicológico para novas mães.

Sobre tornar-se mãe

Por Cíntia Aleixo, psicóloga e coach

Photo Credit: wrapsodybaby Flickr via Compfight cc

Desde pequenas aprendemos que devemos ser mães maravilhosas, cuidadoras, apaixonadas e que o instinto materno irá aflorar a partir do momento em que sabemos que estamos gestando um bebê. Mas nem sempre esta construção social e pessoal da  maternidade acontece de modo instintivo e inato para todas as mulheres.

O tornar-se mãe é um longo percurso que se inicia muito antes do nascimento de um filho. É um processo de construção ao longo do exercício da maternidade, ou seja, no dia a dia da mãe com os seus filhos e no qual acontecem mudanças de acordo com cada experiência (isso é muito pessoal, subjetivo além de imperceptível).

Durante a gestação, passamos por um processo psíquico chamado transparência psíquica. Neste período, mesmo que inconscientemente, refletimos sobre  como foram nossas relações com nossos cuidadores e fazemos uma relação, um balanço com o que desejamos constituir a nossa maternidade e consequentemente  a nossa relação mãe- filho.

Esse movimento de reflexão se torna mais latente a partir do momento em que uma mulher deseja ter um filho. Inclusive, essa construção da relação e da forma de exercer a maternidade depende muito mais do desejo de ter um filho do que dos modelos antigos tradicionais de família que nossas avós tiveram, por exemplo, aonde historicamente a mulher nascia para se casar e ter filhos. Pouco importava o seu desejo de exercer a maternidade.

Não necessariamente as pessoas são criadas pelo pai e pela mãe, sendo assim a criação que recebemos no passado de nossos cuidadores ( De quem nos criou) reflete muito em nosso comportamento com nossos filhos. A forma que agimos, nossos ideais de vida,nossos medos, o modo de oferecer afeto, estímulo, cuidado,o  tipo de preocupação com as crianças, valores e por aí vai. Por isso que a idéia de que essa construção do tornar-se mãe acontece muito antes da gestação, é fundamentada.

Todas nós temos uma representação materna e fomos adquirindo-a ao longo de nossa história. O que significa que nos espelhamos em alguma figura materna desde pequenas. Um exemplo disso é como nos comportávamos durante as brincadeiras de boneca, as experiências e fantasias que criávamos na nossa adolescência com relação a constituição de nossa família , até mesmo pelos modelos de relações amorosas experimentadas por nós e no ambiente em que vivíamos.

Todos estes aspectos contribuem para a formação da nossa maternidade, além dos fatores biológicos, psíquicos e culturais.

O bacana é termos consciência que este processo vai acontecendo e tendo continuidade mesmo após o nascimento do bebê, porque estamos sempre em processo de transformação e podemos modificar o que nos angustia, por exemplo.

Isso é maravilhoso!

Esta reflexão é ambígua, podendo ser positiva ou não,  pois poderemos acessar nossas fantasias mais infantis e colocarmos em questão ou em prática algo que criamos nos nossos pensamentos com relação aos bons ou maus tratos que recebemos de nossos cuidadores e reproduzirmos no laço com nossos filhos.

A dica é para que você compreenda que o momento de construção de sua maternidade não é tão fácil, nem rápido, que acontece ao longo do crescimento de seu filho, que ele pode ser transformador, que é compreensível,  mas que se estiver sendo difícil passar por este momento, é super recomendado a busca pela ajuda profissional através da Psicologia.

Trabalhar,conhecer  e reconhecer nossas emoções é fundamental para as nossas vidas.

É através desse reconhecimento que conseguimos solucionar nossos conflitos internos com maior facilidade.

Sobre Cíntia Aleixo:

Cíntia Aleixo é Psicologa Clínica com especialização em Psicologia Perinatal, coach e idealizadora do Projeto Possibilidades Maternas, através do qual oferece suporte psicológico para mães através de grupos terapêuticos. Acompanhe a Cíntia em suas redes sociais:  YouTube, Instagram e Facebook,