Viajando de avião com um bebê – o que você deve saber | Macetes de Mãe

Viajando de avião com um bebê – o que você deve saber


27 de novembro de 2012

Há duas semanas viajei de avião com o Léo pela primeira vez. A experiência foi tranquila, mas considerando que eu cometi duas pequenas gafes, achei que seria legal fazer um post sobre isso e alertar as mamães de primeira viagem (nos dois sentidos) para que elas não passem pelo mesmo sufoco.

Abaixo, um guiazinho rápido do que cuidar antes e durante a viagem. Essas dicas são válidas para vôos nacionais, já que no caso de internacionais algumas regras mudam. Vamos lá…1. Quando for emitir a passagem, não faça como a avoada aqui e lembre-se de marcar a opção que informa que você está viajando com um bebê de 0 a 23 meses. Eu não fiz isso no ato da emissão e tive que chegar no aeroporto com antecedência, para inserir o Léo na lista dos passageiros. Esse foi meu primeiro erro.

2. Quando for embarcar, não esqueça de levar documento original do seu filhote ou uma cópia autenticada. Eu cheguei no aeroporto só com uma cópia simples e não pude embarcar. Coisa que mãe de primeira viagem. Acabei tendo que remarcar a passagem para dois dias depois e pagar a diferença. Os documentos aceitos são: certidão de nascimento e RG.
3. Se você viajar sozinha com seu bebê, peça que alguém a leve até o aeroporto e a ajude até o momento que você despachar as malas no check in. A não ser que você seja uma mamãe ninja, se você não contar com a ajuda de alguém vai passar por um bom perrengue. É quase impossível você empurrar o carrinho do bebê e o carrinho das malas e ainda carregar sua bolsa, a bolsa do bebê e o próprio bebê. Caso não tenha mesmo como obter ajuda, tente usar um canguru para colocar o bebê, aí você fica com as duas mãos livres para se virar por lá.
4. Tente chegar com mais tempo de antecedência do que o que é exigido pelas companhias aéreas, pois aí você garante que haverá espaço para você e seu baby na primeira fileira do avião (esses acentos só podem ser marcados no momento do embarque e são reservados para grávidas, mamães com crianças de colo, idosos e portadores de deficiência física).
5. Se for fazer uma viagem de algumas horas, solicite para a companhia aérea, por telefone e com antecedência, um bercinho para o bebê. Algumas das companhias aéreas disponibilizam esse acessório. Ele é indicado para bebês de até quatro meses.
6. Alguns bebês costumam sentir algum desconforto nos ouvidos na hora da decolagem e aterrisagem. Para amenizar isso, ofereça o peito, a mamadeira ou a chupeta. Quando o bebê suga, o desconforto da mudança de pressão atmosférica é amenizado. No meu caso, o Léo dormiu tanto na decolagem quanto aterrisagem e aí não reclamou nadinha, mas se o bebê estiver acordado, experimente a técnica de sugar que quem já usou garante que faz efeito.
7. Você tem direito a levar o carrinho do bebê sem que ele conte como bagagem. Você pode ficar com o carrinho até o momento de entrar no avião. Nessa hora, alguém da companhia aérea ajudará-la a fechá-lo e o colocará no compartimento de bagagens. Quando o avião estiver em solo, o carrinho será entregue para você de novo.
8. Não esqueça de levar na sua bagagem de mão: mamadeiras com água preparar o leite do bebê (se ele tomar mamadeira), o leite em pó já separado na quantidade certa, mamadeira com água ou suquinho (se ele já tomar esses líquidos), um paninho de boca, uma mantinha para cobrir o bebê, um trocador portátil, um travesseirinho para acomodar melhor o bebê nos seus braços, pelo menos dois brinquedinhos (que façam pouco barulho, para não atrapalhar os demais passageiros), um número suficiente de fraldas descartáveis, pomada para assadura, lenços umedecidos, remédios que o bebê estiver tomando e uma muda de roupa extra, para o caso de algum acidente.
9. Ao entrar no avião, retire da sacola de mão os itens que você irá precisar durante o vôo, pois essa bagagem não poderá ficar com você (ela terá que ir para o compartimento superior da aeronave). Dica de algumas coisas que eu acho interessantes você retirar da bolsa: mamadeira (para oferecer ao bebê na decolagem e aterrisagem), um brinquedinho, um paninho de boca e uma mantinha para cobrir o bebê se ficar frio na aeronave. Caso você precise de alguma coisa que ficou na sacola guardada, solicite ajuda a algum(a) comissário(a) de bordo.

No geral, achei bem tranquilo viajar sozinha com meu bebê. O vôo foi curto e tranquilo e o pequeno Léo se comportou bem. Os únicos contra-tempos foram responsabilidade da mamãe aqui, mas se você ficar de olho nas dicas acima não passará pelos perrenguinhos que eu passei.

Se você quiser mais dicas de como viajar com bebês e crianças dê uma olhada no link abaixo, do blog Baby Dicas. Está completíssimo! Eles explicam direitinho como conseguir o bercinho, falam sobre como trocar fraldas no avião (coisa que não precisei fazer) e dão algumas dicas para viagem com crianças mais velhas.

Link BABY DICAS: Dicas para viagens aéreas
 Aproveite as dicas e boa viagem!!! 

Leia mais sobre esse tema aqui no blog:
Viajando com um bebê – como organizar a mala
Viajando com bebês – o que levar na mala